acontecimentos eclesiais

DO MUNDO


ESPANHA


ENSINO DA RELIGIÃO

NA ESCOLA PÚBLICA


A Confederação de Mães e Pais de Alunos, que agrupa associações com 1,2 milhões de membros, publicou una nota de apoio à nova regulação do ensino da Religião na escola pública.


Em virtude de uma ordem ministerial de Dezembro passado, passa a existir uma disciplina comum de Sociedade, Cultura e Religião, com uma versão confessional e outra com conteúdos de história das religiões. As famílias decidirão qual dos dois cursos seguirão os seus filhos.

Esta regulação, afirma a Confederação, «é a mais coerente com a nossa Constituição e totalmente respeitosa com o direito de escolha dos pais». Acrescenta que a aula de Religião não fere a aconfessionalidade do Estado, que é algo diferente do laicismo que proíbe as manifestações religiosas em lugares públicos.



ESTADOS UNIDOS


Nos últimos anos, centenas de escolas decidiram incluir a educação ética como parte integrante do plano de estudos. São já 14 os Estados onde é obrigatória, e 47 redes de escolas públicas recebem fundos federais para financiar esses programas.


Casos como a matança de Columbine e outros que põem de manifesto um aumento da violência escolar, fizeram saltar os alarmes e levaram os colégios a ter em conta também a formação do carácter, além da meramente académica. Além disso, há Associações que promovem este tipo de formação à escala nacional.

Estes programas procuram inculcar nos estudantes princípios básicos, como o respeito pelos outros, a responsabilidade, a tolerância e o civismo. Porém, não se trata apenas de uma disciplina, mas pretende-se que o ensino ético esteja presente em outras matérias. Assim, por exemplo, Maxime Bush, directora do departamento de inglês num colégio católico, indica aos alunos a leitura de obras literárias que permitam depois discutir com eles alguns temas éticos. Deste modo, consegue ensinar algo mais que literatura.



UNIÃO EUROPEIA


SÃO NECESSÁRIOS

MAIS EMIGRANTES


O Secretário-Geral das Nações Unidas, Kofi Annam, lançou um apelo à União Europeia para que receba mais emigrantes.


Tal atitude, em seu entender, seria benéfica para a Europa e também para países menos desenvolvidos de onde esses emigrantes são originários. Numa intervenção de fundo, em Bruxelas, Kofi Annam frisou que «os emigrantes precisam da Europa, mas a Europa também precisa dos emigrantes».

Esta posição surge perante o receio, em certos sectores, de que a Europa esteja a adoptar uma política de imigração mais restritiva. Uma abertura das fronteiras seria uma forma de compensar a perda de população que se regista no continente, referiu o Secretário-Geral, que recordou: «sem imigração, a população de 452 milhões de pessoas da União Europeia (com 25 países) desceria para menos de 400 milhões em 2050».



ESTADOS UNIDOS


ESTREIA DO FILME

«A PAIXÃO DE CRISTO»


O filme «A Paixão de Cristo», do realizador australiano Mel Gibson, foi estreado em duas mil salas do país na Quarta-feira de Cinzas, 25 de Fevereiro passado, com um record de bilheteira.


O guião, de que Gibson é co-autor, baseia-se nos diários da mística alemã Ana Catarina Emmerich, publicados no livro «A dolorosa Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo».

O porta-voz do Vaticano, Joaquin Navarro-Valls, confirmara que «o Santo Padre tivera oportunidade de ver o filme The Passion of the Christ. O filme é uma adaptação cinematográfica do facto histórico da Paixão de Jesus Cristo segundo o relato evangélico. É costume do Santo Padre não exprimir juízos públicos sobre obras artísticas, juízos que estão sempre abertos a diversas apreciações de carácter estético».

(Ver também CL, 2003/04, 1, p. 283).



TIMOR LESTE


BISPOS PARA

AS DUAS DIOCESES


O Santo Padre nomeou D. Basílio do Nascimento Bispo de Baucau e, para a diocese de Díli, nomeou como Bispo D. Alberto Ricardo da Silva.


D. Basílio do Nascimento era Administrador Apostólico de Baucau e, desde que D. Ximenes Belo resignara, também de Díli. A diocese de Baucau tem 265 mil habitantes (95 % de católicos).

D. Alberto Ricardo da Silva era Reitor do Seminário Maior interdiocesano de Díli. A diocese tem 559 mil habitantes (92 % de católicos).


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial