DO MUNDO

 

 

S. TOMÉ E PRÍNCIPE

Dom João de Ceita Nazaré apelou à unidade dos sacerdotes na Missa Crismal

Durante a celebração da missa Crismal, na Paróquia de Nossa Senhora das Graças, Sé Catedral, O Bispo de S. Tomé e Príncipe, dirigindo-se aos sacerdotes, deixou o apelo: «Unidos seremos capazes de conduzir a barca»., na que foi a sua primeira Missa Crismal como Bispo desta Diocese.

Na sua mensagem o Prelado quis tomar em consideração, o esforço feito pelos sacerdotes no cumprimento da missão. “Gostaria de agradecer a cada um de vós pelo serviço que tendes levado a cabo nesta diocese. Sabemos de antemão que a messe é grande e os trabalhadores são poucos, exigindo às vezes a cada um de vós um esforço redobrado, mas unidos, seremos capazes de conduzir bem a barca”, enfatizou Dom João Nazaré.

O Bispo encorajou ainda os sacerdotes, com as seguintes palavras: “o mesmo Espírito que impeliu Jesus para o deserto, lugar de sede e fome, lugar de isolamento, de confronto com Satanás, nos é dado também a nós, mas Jesus nos ensinou que é possível vencer as contrariedades, porque Ele estará connosco, basta ter alguma intimidade com Ele”.

Para terminar, D. João Nazaré deixou a recomendação: “Irmãos caríssimos, é bom que estejamos em paz; nós não estaremos em paz se ao abraçarmos esta especial consagração, não formos conscientemente livres do sentimento do ter, para não nos impedir de exercer com caridade a nossa tarefa sacerdotal”.

Esta foi a primeira vez que se celebrou a Missa Crismal, por um Bispo nativo, naquele país africano.

 

 

MOÇAMBIQUE

Proliferação de novas Igrejas em Moçambique

Moçambique assistiu nos últimos tempos a uma proliferação de novas Igrejas, fundamentadas na Laicidade do Estado. Devido a este número crescente e desordenado de Igrejas, o Governo quer organizar o setor através da legislação sobre Liberdade Religiosa no país.

A Ministra da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, Helena Kida, em entrevista ao Vatican News, em Maputo, afirmou que a proliferação de novas Igrejas, é um problema interno de algumas Igrejas. Por essa razão a Lei sobre a liberdade religiosa já está agendada para debate e aprovação na Assembleia da República, tendo a mesma que entrar em vigor no presente ano.

No entanto a Ministra da Justiça, esclareceu que Moçambique é um exemplo de convivência e coexistência pacífica.

As confissões religiosas são pela paz, nunca pela guerra, nem pela violência.

 

MOÇAMBIQUE

III Jornada Nacional da Juventude, em Moçambique

A III Jornada Nacional da Juventude moçambicana, já tem data marcada.

Os bispos de Moçambique emitiram um comunicado dirigido às comunidades cristãs, e a todas as pessoas de boa vontade, informando que está em curso a preparação da III Jornada Nacional da Juventude de 3 a 7 de dezembro de 2025 em Maputo, com o tema “A Esperança não engana, porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações”.

No mesmo documento, os Bispos Católicos de Moçambique, lamentam a morte de 98 pessoas no acidente marítimo ocorrido na Diocese de Nacala.

Ainda neste tópico, a CEM, agradeceu a solidariedade do Santo Padre, manifestada pelo telegrama enviado ao Bispo de Nacala.

Tendo em vista as celebrações do Ano Santo de 2025 e os 50 anos da independência de Moçambique no próximo ano, os bispos recomendaram a partir do mês de maio do corrente ano, o primeiro domingo de cada mês, seja dedicado à oração pela paz.

 

IGREJA – Diálogo – caminho da unidade

Papa: buscar no diálogo o caminho da unidade contra as polarizações.

O Papa Francisco, numa breve mensagem para ser compartilhada na apresentação do livro “Les pido en nombre de Dios”, realizada em Buenos Aires (Argentina), em 15 de março, destacou a importância da reflexão comunitária “para que haja, um enfoque nas coincidências que unem.”

O autor do livro é Hernán Reyes Alcaide e inclui dez orações do Papa Francisco por um futuro de esperança, onde também expressa as suas grandes preocupações com o mundo de hoje: guerras, migrações, alterações climáticas, entre outras-

“Devia ser comum sentar-se, refletir e partilhar pontos de vista entre pessoas com áreas e percursos de trabalho tão diversos como estão fazendo hoje”, disse o Papa mo início da mensagem.

Voltou a recordar a imagem do poliedro, explicando que neste exercício de encontro, pede-se pontos em comum, sem que isso signifique que tenham de renunciar às próprias identidades.

“O atual quadro de dificuldades para milhões de irmãos e irmãs do nosso país, obriga-nos a deixar de lado os pontos que dividem, para que haja um enfoque nas concordâncias que unem”, sublinhou.

Em relação ao livro, manifestou a esperança de que “ajude não só a pensar, mas a dialogar, a discutir como irmãos, buscando neste contexto de diálogo o caminho da unidade contra as polarizações que vivemos hoje,”

 

 

HAITI

Situação na capital do Haiti “fora de controlo”.

O superior provincial dos Espiritanos no Haiti, alertou que a situação na capital do país estava a ficar fora de controlo, após ter sido assaltado no dia 1 de abril, o seminário dirigido pela Congregação.

Atacados por um gangue armado. Durante o ataque, espalharam o terror, roubando, saqueando, incendiando. Após seis horas de vandalismo que os residentes não puderam impedir. Finalmente, os missionários e as pessoas que se encontravam no seminário conseguiram escapar, refugiando-se alguns na Casa de Formação, a 30 minutos a pé, segundo informação do padre Raynold Joseph no comunicado à Fundação AIS.

“Durante a noite os elementos do grupo, saltaram o muro do Seminário Menor de Saint Martial, neutralizaram os guardas e deixaram um rasto de destruição por onde passaram”, lia-se no comunicado.

Sem poderem resistir, os padres, membros da direção do colégio e funcionários que ali se encontravam, tiveram de se esconder enquanto os invasores, vandalizavam o edifício.

Não houve vítimas físicas durante o assalto, mas os danos materiais foram consideráveis: quatro carros queimados, outros vandalizados, a administração da escola incendiada, o gabinete do responsável da escola, saqueado, bem como a residência da comunidade e da escola: frigoríficos, painéis solares, baterias, inversores, um sistema de purificação de água, colchões, equipamento informático e eletrónico.

Mantinha-se o receio de novos ataques. Face à violência registada, mais de 50 mil pessoas foram obrigadas a fugir, abandonando a cidade, anunciou um relatório enviado pela Organização Internacional das Migrações.

A situação não é nova no país, que tem sido devastado por desastres naturais, pela pobreza, instabilidade política e violência de gangues.

Devido a divergências entre os partidos políticos e outras partes interessadas que deveriam nomear o próximo primeiro-ministro, e dúvidas sobre a legalidade do organismo, a formação do conselho ainda não foi concluída.

Na sequência dos muitos incidentes registados anteriormente, o Papa Francisco, em março pediu a libertação das pessoas sequestradas no Haiti, com a ajuda da comunidade internacional.

 

EUROPEIAS 2024

Bispos Católicos pedem voto responsável

A comissão dos bispos católicos da UE (COMECE), no dia 13 de março, apelou a um “voto responsável” nas próximas eleições para o Parlamento Europeu, que promova os valores cristãos e o projeto europeu.

“Sabemos que a União Europeia não é perfeita e que muitas das suas propostas políticas e jurídicas, não estão de acordo com os valores cristãos e com as expectativas de muitos dos seus cidadãos mas acreditamos que somos chamados a contribuir e a melhorá-la, com os instrumentos que a democracia nos oferece”, indicou a nota do organismo episcopal.

As eleições para o Parlamento Europeu vão decorrer, nos vários Estados-membros, de 6 a 9 de junho de 2024.

“É nossa responsabilidade fazer a melhor escolha possível nas próximas eleições”, indicaram os bispos, alertando para os tempos difíceis e incertos” que a Europa e o mundo, estão a viver,

A COMECE reiterou o seu apoio ao projeto de uma Europa unida na diversidade, forte, democrática, livre, pacífica, próspera e justa.

“Encorajamos os jovens a exercerem o seu direito ao voto nas próximas eleições europeias e a construírem assim uma Europa que assegure o seu futuro e faça justiça às suas verdadeiras aspirações”, pode ler-se.

A declaração intitulada ‘Por um voto responsável que promova os valores cristãos e o projeto europeu’, foi assinado por todos os bispos delegados dos episcopados da EU na Assembleia da COMECE:

 

UNIÃO EUROPEIA

Bispos Católicos apoiam alargamento da União Europeia

Perante a guerra de agressão da Rússia, os Bispos Católicos apoiam o alargamento da União Europeia. Com a finalidade de promover a estabilidade e a paz

Após as crises dos últimos anos, nomeadamente a guerra contra a Ucrânia e os desenvolvimentos geopolíticos na vizinhança da EU, geraram uma nova dinâmica para futuras novas adesões à União, especialmente no que diz respeito aos países das Balcãs e do Leste da Europa.

A COMECE esteve reunida em assembleia plenária na cidade polaca de Lomza, entre 17 e 19 de abril,

Os bispos, na nota divulgaram que além de ser uma necessidade geopolítica para a estabilidade, o alargamento, pela adesão de novos estados, representa uma forte mensagem de esperança., para os países candidatos e uma resposta ao seu desejo de viver em paz e justiça.

Os responsáveis católicos entendem que o futuro alargamento da UE, é uma oportunidade para atualizar a ideia de uma Europa unida e enraizada na solidariedade prática.

 

UNIV 2024

Jovens universitários vivem Semana Santa em Roma

De 24 a 31 de março, jovens universitários reuniram-se em Roma para o habitual encontro internacional que este ano se centrou noa avanços da tecnologia em contraste com a criatividade e as dimensões essenciais da experiência humana,

Este grande encontro internacional – UNIV – levou a Roma cerca de 3000 estudantes universitários que para além de conferências culturais sobre o tema central dos avanços da tecnologia, puderam viver a Semana Santa, próximos do Papa, puderam participar nas cerimónias litúrgicas e em encontros com o prelado do Opus Dei, Mons. Fernando Ocáriz.

Os universitários puderam participar em encontros de aprofundamento e debate sobre o tema anual “The Human Factor”, no dia 26 de março. No dia seguinte, no UNIV Forum, e no UNIV Lab, refletiram sobre os avanços tecnológicos na Inteligência Artificial que nos surpreenderam a todos e que além disso puseram em questão temas como: Que é a inteligência humana? Que é a criatividade humana? E “Que nos torna humanos?”

Os encontros UNIV, nasceram em 1968, sob inspiração e impulso de São Josemaria Escrivá e já levaram a Roma desde então, mais de 100 000 estudantes universitários

Do programa fez parte, como sempre tem acontecido, a participação na audiência com o Santo Padre,

A UNIV 2024 preparou e ofereceu aos universitários, programas culturais em vários locais de Roma: conferências, colóquios, ‘posters’, mesas redondas com conferencistas com reconhecido mérito académico.

A Prelatura do Opus Dei organizou para esta altura, atividades de formação cristã, de acompanhamento ao programa do encontro, para oferecer a oportunidade de percorrer a Semana Santa com uma vida de oração mais intensa, de conhecer a cidade, de Roma, participando em visitas guiadas a museus, exposições de arte e ainda a visitas aos lugares onde se podem seguir as pegadas da história da Igreja,

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial