aCONTECIMENTOS eclesiais

DO MUNDO

 

 

ANGOLA

Inaugurada a capela do Uquende na Diocese de Sumbe.

Data de 2006 o protocolo entre as Dioceses de Leiria-Fátima e a Diocese de Sumbe, situada no litoral de Angola.

Graças a esta geminação, um novo passo foi dado, no dia 8 de outubro, com a inauguração de uma capela no território angolano. Dedicada a S. Francisco de Assis, a Capela do Uquende, nas montanhas do Gungo, foi inaugurada na presença do Padre Vitor Mira.

“Neste momento estão o padre David Nogueira, a Sílvia Antunes, a mana Teresa e o avô Filipe, em Angola, e o padre Lucas Lucamba, da Diocese de Sumbe, a trabalhar na Paróquia de Maceira. Neste mês missionário, rezemos para que este projeto cresça nas duas dioceses”, referia na altura uma nota divulgada pela diocese portuguesa.

Em 12 de outubro, viajou para Angola um elemento do Grupo missionário “Ondjoyetu”, da Diocese de Leiria-Fátima. O Carlos que esteve na Missão em 2018, voltou para, durante três meses, ajudar o padre David, nas suas múltiplas tarefas na missão.

 

 

ANGOLA

147ª Assembleia geral da União Interparlamentar reuniu pela primeira vez em Angola

Angola foi o primeiro país de expressão portuguesa, da África, a acolher a Assembleia geral da União Interparlamentar (UIP) organização que conta com mais de 46 mil deputados de 179 parlamentos nacionais, cuja missão é promover a paz e a democracia.

Os parlamentares de todo o mundo que reuniram na capital angolana, de 23 a 27 de outubro, discutiram questões ligadas ao terrorismo e alterações climáticas.

Na abertura do evento, o Chefe de Estado angolano, João Lourenço apelou ser urgente que se calem as armas e se dê lugar à diplomacia “para que se salvem as vidas dos civis, crianças, mulheres e velhos, e se evite uma catástrofe humanitária nesses conflitos”.

O Presidente angolano referiu também que a Assembleia aconteceu numa altura em que os povos do mundo. Em geral, clamam por paz, justiça e instituições cada vez mais inclusivas, mais atuantes, nos propósitos globais da comunidade internacional.

A Presidente da Assembleia Nacional da República de Angola, Carolina Cerqueira, reafirmou o empenho dos parlamentares na construção de pontes de diálogo e fraternidade, valores humanos universais a cultivar e preservar num contexto de grandes desafios a nível mundial.

Já o Presidente da União Interparlamentar (UIP), o português Duarte Pacheco, disse que “é natural que aqui em Angola seja o lugar certo para falar de paz”, referindo que os angolanos sabem quanto a “paz” é fundamental para assegurar o desenvolvimento económico e social

O evento que decorreu sob o lema “Ação Parlamentar para a paz, justiça e instituições fortes”, teve a participação de mais de 130 países.

 

 

BURUNDI

Aprovada a Universidade “Laudato Sì” na diocese de Bururi

No passado mês de outubro o Ministério da Educação e Pesquisa do Burundi, aprovou a iniciativa da diocese de Bururi e assim vai abrir a Universidade “Laudato Sí – Le Palmier” um instituto que incluirá a Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas particularmente atentas à proteção ambiental, mas também à paz e ao desenvolvimento.

“A iniciativa de termos uma Universidade própria, nasceu da vontade do Bispo de Bururi, Dom Salvator Niciteretse”, disse à Agência Fides o Padre Emile Ndayizigiye, sacerdote diocesano, doutorado em Doutrina Social da Igreja, pela Universidade Lateranense de Roma.

O Bispo da Diocese, que sempre esteve muito preocupado com os jovens, e como as universidades do Burundi se encontram nas grandes cidades, no norte do país, viu a necessidade de abrir uma no sul do país que fosse acessível a todos sem exceção, em particular aos repatriados da Tanzânia e da República Democrática do Congo.

A sede fica no planalto do Lago Tanganica, na cidade de Romonge, que é também nome de uma das três províncias da diocese de Bururi, juntamente com Makamba e a homónima Bururi.

O Padre Emile especificou que Romonge, fica a uma hora de carro de Buta, onde, em 1997, foram assassinados 40 seminaristas que se recusaram a dividir-se com base em etnias Huti e Tutsi que ficaram conhecidos como “os mártires da fraternidade do Burundi”.

O objetivo é criar uma Universidade como lugar de paz. Burundi é um país de jovens, onde 50% da população, tem menos de 30 anos de idade. – Informação da Agência Fides.

 

 

GUINÉ-BISSAU

Guiné-Bissau sensibilizou mulheres na prevenção do radicalismo violento

Uma formação de dois dias, foi oferecida em outubro a 50 jovens mulheres da Guiné-Bissau, capacitando-as para a detenção de sinais de radicalismo e extremismo violento, bem como mobilizá-las para a promoção e a coesão social.

Na abertura dos trabalhos, a Ministra da Ação Social, Família e Promoção da Mulher, Cadi Seide, apontou a fraca liderança nos vários domínios das estruturas organizacionais, como uma das razões que podem motivar as pessoas a enveredar pelo caminho do radicalismo e extremismo violento.

São caminhos inglórios. “Paremos um pouco, tenhamos pena dos nossos povos, do nosso Pais, dialoguemos em busca de soluções e não aceitemos ser empurrados pelos extremismos violentos”, explicou a Ministra.

O Presidente Interino da LGDH, Bubacar Turé, enfatizou o papel preponderante das mulheres guineenses no processo de democratização e do desenvolvimento do País, não obstante vários outros fatores adversos.

“Como guerreiras que são, as mulheres guineenses tem rejeitado, todas as tentações que visam fraturar o tecido social guineense, através de discursos de ódio, dando primazia à coesão social e à paz”, acrescentou.

Durante dois dias, abordaram vários temas, entre os quais o género, como questão transversal na luta contra o radicalismo e o extremismo violento e o papel das mulheres na prevenção, identificação e desconstrução do discurso radicais e extremistas na Guiné-Bissau.

A iniciativa foi financiada pela União Europeia, no âmbito do projeto “Observatório da Paz – Nó Cudji Paz”

 

 

MALAWI

Projeto Sant’Egídio quer oferecer educação a 40 meninos em Lilongwe

 

No Malawi há 15 mil meninos que vivem na rua. Um drama causado pela pobreza, pela degradação familiar ou pelo Hiv/Sida que, segundo estimativas, deixou cerca de 1,2 milhões de meninos órfãos, no país e a Comunidade Sant’Igídio prevê oferecer educação a 40 meninos da rua na capital Lilongwe.

Segundo informações da Agência Fides a situação está a agravar-se pela crescente insegurança na alimentação que exerce forte pressão sobre as famílias e a pobreza, leva as crianças a abandonar a escola e a fugir ou serem expulsas de casa.

Para sobreviverem, muitas vezes juntam-se a bandas criminosas e os mais novos, obrigados a mendigar e roubar, para sobreviverem e serem protegidos pelos membros mais velhos. Estes, por seu lado, exercem sobre os mais frágeis todo o tipo de abusos.

É dramática a vida destas crianças porque mesmo quando um dia se integram numa família ou pequena comunidade, as perspetivas são geralmente para a continuação de uma vida marginal.

Como muitos crimes são atribuídos a estas bandas, gerou-se um ambiente de muita insegurança.

Entre as iniciativas para enfrentar esta tragédia está a da Comunidade de Sant’Egídio que iniciou um projeto para educar e melhorar o bem-estar dos meninos da rua em Lilongwe.

O projeto Sant’Egídio, tem duração inicial de 5 anos e prevê oferecer educação a 40 crianças da rua, informou a Agência Fides.

 

 

OPRESSÃO NA NIGÉRIA

Assassinado beneditino, sequestrado na Nigéria

A Santa Sé, tornou pública, no final do mês de outubro, a notícia do assassinato do Monge Godwin Eze, um dos três beneditinos sequestrados no dia 16 de outubro.

Os outros dois beneditinos: os postulantes Anthony Eze e Peter Olarewaj, foram libertados em 21 de outubro.

Os dois monges libertados descreveram as circunstâncias do sequestro. O grupo armado, descrito como um bando de pastores Fulani atacou o dormitório do noviciado onde cerca de 10 irmãos, entre noviços e postulantes dormiam.

Por volta da uma da manhã do dia 17 de outubro, sequestraram os três. obrigando-os a caminhar descalços de noite. Ao chegarem à margem do rio atiraram contra o irmão Godwin e lançaram o seu corpo à água. Ameaçaram com facões os dois postulantes, afirmando estarem à procura de dinheiro. Por fim, no dia 21 de outubro, foram libertados, desconhecendo-se, se foi pago algum resgate.

Este triste caso, soma-se à longa lista de sacerdotes e religiosos, não só católicos, sequestrados nos últimos anos, por grupos armados, principalmente para fins de extorsão, um fenômeno que se insere no contexto geral de insegurança reinante no país africano, também devido aos conflitos étnicos

 

 

EUA

Papa Francisco participou na «Clinton Global Initiative»

No dia 18 de setembro, o Papa Francisco participou no evento ‘Clinton Global Initiative’, através dos meios digitais.

A iniciativa com a duração de dois dias, realizou-se na cidade norte-americana de Nova Iorque (EUA) e a participação do Santo Padre, foi organizada pela Fundação Clinton, ex-presidente dos Estados Unidos.

O Papa Francisco, falou sobre os “desafios mais urgentes do nosso tempo, como as alterações climáticas, a crise dos refugiados, o bem-estar das crianças e a missão e os projetos do Hospital Pediátrico Bambino Gesu da Santa Sé”, informou o comunicado enviado à Agência Ecclesia.

Também participaram representantes dos Patrons of Bambino Gesu Children’s Hospital, organização sem fins lucrativos, que apoia os projetos humanitários do Hospital Pediátrico do Papa, nos EUA.

Constituída há poucos meses como uma Corporação, a organização de mecenas dos Estados Unidos da América, apoia “projetos especiais como a conclusão do novo Centro Pediátrico de Cuidados Paliativos, inaugurado em 2022 em Passoscuro, na costa do Lácio, dedicado a crianças e adolescentes com doenças raras e incuráveis e com necessidades assistenciais complexas”.

 

 

ESPANHA

Cardeal Américo Aguiar presidiu às festas da Senhora do Pilar

O cardeal D. Américo Aguiar, presidiu, no dia 12 de outubro, à festa da Virgem do Pilar, patrona de Saragoça e da Hispanidade, agradecendo aos bispos e jovens de Espanha a presença na Jornada Mundial da Juventude, em Lisboa.

“Venho cá para dizer à Senhora do Pilar: obrigado, obrigado, obrigado por tudo o que fez pela JMJ de Lisboa”, disse o bispo eleito de Setúbal.

Na homilia da Missa que presidiu na Basílica-Catedral de Saragoça, D. Américo Aguiar agradeceu a participação de Espanha e disse que “agora é para continuar”.

Como sinal de agradecimento e confiando à Senhora, o ministério que vai iniciar na diocese de Setúbal, o recém Cardeal colocou o anel cardinalício e o solidéu, diante da imagem veneranda da Virgem do Pilar.

No dia da Hispanidade, D. Américo, saudou “todos os irmãos” e disse que o que é diferente em cada um, é “uma riqueza para a Igreja”. Referindo-se ao Sínodo que está a decorrer em Roma, afirmou que a “missão de todos, é rezar com Maria”, cumprindo o pedido do Papa Francisco.

As festas de Nossa Senhora do Pilar, em Saragoça, iniciam-se no dia 3 de outubro, com a novena e terminam no dia 12, dia da Virgem do Pilar, com a Missa estacional, seguida da procissão.

 

 

CANADÁ

Presidente da República em Montreal (Canadá)

No dia 14 de setembro, o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, visitou a missão portuguesa, de Santa Cruz, em Montreal, Canadá.

Marcelo Rebelo de Sousa, “visitou a igreja e participou num porto de honra com a comunidade portuguesa, no salão nobre da missão”, referiu à Agência Ecclesia o diácono António Cruz Ramos, responsável na instituição.

Para assinalar a presença do Presidente da República na Missão, foi desterrada uma placa comemorativa, na galeria de honra do Centro Comunitário da missão de santa Cruz.

Em seguida visitou o parque de Portugal, situado na chamada “village portugaise”, onde noutros tempos residiram mais de 15 mil portugueses. Aí se conserva uma calçada portuguesa, um coreto, um marco dos descobrimentos que fez parte do pavilhão da Expo de 1967, um mural de Amália Rodrigues e outro mural de Aristides de Sousa Mendes”.

Esta Missão foi erigida em 1964, como instituição jurídica com o nome de Comunidade dos Católicos Portugueses da Diocese de Montreal e tem desenvolvido um papel importante na assistência religiosa, cultural, social e recreativa aos imigrantes portugueses que chegaram a Halifax em 13 de Maio de 1953 e sucessivas vagas de imigrantes que se estabeleceram em Montreal, salientou o diácono entrevistado.

O complexo de Santa Cruz é constituído por “um centro comunitário, uma residência para pessoas de terceira idade com baixos rendimentos, a casa paroquial e a igreja de Santa Cruz”.

A igreja tem a capacidade para 750 pessoas sentadas e foi concebida por um arquiteto português.

A visita do Presidente da República, a Montreal e Toronto, que o manteve no Canadá até ao dia 17 de setembro, teve por objetivo “contatar a numerosa comunidade portuguesa e luso-descendente aí residente e prestar um tributo a todas as portuguesas e portugueses que cruzaram o Atlântico”, lemos no site da Presidência.

 

 

ITÁLIA – migrações e diversidade cultural

«Diversidade de rostos na Igreja», motivou encontro de missionários da diáspora.

Estiveram reunidos em Roma de 23 a 27 de outubro, missionários da diáspora de língua portuguesa, para refletir sobre a “diversidade de rostos na igreja”.

“A diversidade cultural, fruto da aceleração da globalização que está sempre mais presente nas paróquias, movimentos e comunidades migrantes, não é, de maneira nenhuma, ameaça à unidade da Igreja: família de rosto pluriforme”, lê-se no comunicado enviado à Agência Ecclesia.

Participaram neste encontro 40 agentes pastorais: sacerdotes, religiosas e leigos. Comprometidos no acompanhamento espiritual e missionário dos emigrantes portugueses e lusófonos (caboverdianos, brasileiros, guineenses, entre outros) no continente europeu, refletiram sobre a diversidade cultural e suas implicações na atividade pastoral que desenvolvem.

Numa Europa em “crise de valores e imaginação, em mutação cultural que se divide ao pensar e ao agir sob os fluxos migratórios atuais; numa Europa onde aumentam os nacionalismos e se assiste ao crescendo do racismo, xenofobia e violência, numa Europa onde as igrejas locais procedem ao seu processo de reestruturação geográfica e económica nas paróquias e dioceses, para se adaptarem às consequências da secularização e relação com os Estados laicos”, os participantes no Encontro,  veem nas mudanças, “ não uma situação de agonia, mas um novo parto, rumo a uma nova vida”.

A língua portuguesa, que congrega em contexto de migrações, cristãos de diferentes culturas e nações numa única comunidade lusófona, é um testemunho da universalidade, na igreja local, porção do povo de Deus”, referiu também o comunicado.

A Jornada Mundial da Juventude 2023 foi para as comunidades da diáspora portuguesa foi uma “mais-valia” para o “surgir e consolidar de grupos de jovens lusófonos”.

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial