aCONTECIMENTOS eclesiais

DA SANTA SÉ

 

 

VATICANO

Desenvolvimento inclusivo

Fundação “Centesimus Annus pro Pontífice”

 

Na Conferência, promovida pela Fundação Centesimus Annus pro Pontífice, no dia 8 de outubro no Vaticano, o Papa Francisco disse que o desenvolvimento é inclusivo ou não é desenvolvimento.

O Papa defendeu que o crescimento deve partir dum olhar sobre si mesmo, livre da maximização dos lucros. A pobreza não se combate com o assistencialismo

No seu discurso, o papa Francisco, citando a Encíclica “Laudato si”, lembrou que ajudar os pobres com dinheiro, deve ser sempre um remédio temporário, uma vez que o objetivo é permitir-lhes uma vida digna através do trabalho.

Para o Papa, se não existir o compromisso de todos, em cultivar políticas trabalhistas para os mais frágeis, favorece-se uma cultura mundial de descarte.

Segundo Francisco a expressão-chave, estava contida no tema da Conferência: «Crescimento inclusivo».

O Papa convidou a uma conversão do olhar – um olhar humilde de quem vê em cada homem e mulher que encontra, um irmão ou uma irmã a serem respeitados em sua dignidade e não apenas como um cliente com quem fazer negócio.

 

 

VATICANO

Cardeal Tolentino de Mendonça, nomeado perfeito para a Cultura e a educação

 

O Papa, nomeou no dia 26 de setembro, o cardeal D. José Tolentino Mendonça, como perfeito do novo Dicastério para a Cultura e a Educação.

Este Dicastério surgiu da reforma da Cúria Romana, promovida pelo Papa Francisco, assumindo as missões anteriormente confiadas à Congregação para a Educação Católica e ao Conselho Pontifício para a Cultura.

Nasceu com a publicação da constituição apostólica “Praedicate Evangelium” a 19 de março deste ano.

A notícia da nomeação do novo “ministro da Cultura do Vaticano”, mereceu imediata reação nos meios culturais e políticos do País, desde a Conferência Episcopal Portuguesa, ao Presidente da República e membros ao Governo Regional da Madeira.

Reconhecendo ser uma grande honra para Portugal, felicitaram o Cardeal pelo reconhecimento dos dons e qualidades que lhe mereceram, a atribuição do elevado serviço, que é chamado a prestar.

 

 

VATICANO

Papa nomeou novo Núncio para países africanos

 

O Papa Francisco nomeou no princípio de setembro, D. Waldemar Stanislaw Sommertag, como embaixador da Santa Sé para embaixador da Santa Sé em Cabo Verde, Guiné-Bissau, Mauritânia e Senegal.

O arcebispo era embaixador na Nicarágua desde 2018, mas foi expulso em março passado, pelo Governo local, numa decisão criticada pelo Vaticano.

A decisão do Governo exigia a retirada imediata, destacando “o papel desempenhado pelo diplomata como testemunha e acompanhante na Mesa de Diálogo Nacional entre o governo e a oposição política com vista à reconciliação do país e à libertação dos presos políticos”, segundo comunicado da Sala de Imprensa do Vaticano enviado à Agência Ecclesia.

Recentemente o Papa manifestou a sua preocupação com a situação da Nicarágua, onde a Igreja Católica tem sido alvo de repressão, por parte do regime de Daniel Ortega

 

 

IGREJA – LOC/MTC

Trabalhadores cristãos da Arquidiocese de Braga assumem prioridades

 

A Liga Operária Católica/Movimento dos Trabalhadores Cristãos, da Arquidiocese de Braga, definiu como “prioridades para o ano pastoral 2022/2023, a dignificação do trabalho, “cuidar da casa comum” e “expandir e rejuvenescer o movimento”.

“Acreditamos ser possível conciliar o trabalho com a vida familiar, felicitamos o esforço de algumas empresas neste sentido, bem como aqueles que reservam o domingo para a família, para tomar as refeições em conjunto, passear, visitar os doentes, celebrar a fé. Há trabalhos ao domingo, que são dispensáveis”, lê-se nas conclusões da Assembleia Diocesana que teve lugar no dia 22 de outubro no Centro Cultural e Pastoral da Arquidiocese.

O arcebispo de Braga, D. José Cordeiro, presidiu e orientou os trabalhos da primeira parte da assembleia, dedicada à formação e destacou quatro pontos na sua intervenção: dignidade; o bem-comum; a subsidiariedade e a caridade cristã.

 

 

IGREJA

Educação é via fundamental para mudanças de comportamento

 

João Antunes e Rita Nascimento, lançaram um projeto sustentável para mudança de comportamentos com impacto nas gerações mais novas. Surgiu durante a pandemia, e contou com a colaboração dos três filhos com seis, quatro e um ano de idade.

O objetivo do projeto é procurar que as novas gerações cresçam, adequando comportamentos sustentáveis.

Este casal, que participou no encontro de Assis, reconheceu com alegria o seu projeto “ratificado” e enriquecido com a partilha com os outros.

“Percebemos que podemos ser facilitadores entre escolas, educadores, organizadores, alunos e conseguiríamos ter esse impacto na criação de consciência e mudança de comportamentos, com foco nas novas gerações. As crianças percebem mais do que se pode imaginar. A educação tem de ser mudada: temos de parar de pensar que as crianças não percebem”, explicou Rita Nascimento à Agência Ecclesia.

Durante a pandemia, o jovem casal, criou um projeto – Treethis.com, respondendo à vontade de criar consciência e “apagar a pegada carbónica” através da plantação de árvores em locais onde a desflorestação acontece, mas após a participação no encontro com o Papa Francisco, e pela experiência que vivem com os seus três filhos, a educação é o caminho.

Rita Nascimento, formada em gestão, é atualmente aluna de doutoramento em Sustentabilidade na Nova School of Business and Economics, e gere projetos na área da inovação social, enquanto João Antunes trabalha como consultor e acredita que esta é uma área que tem muito a ganhar com a dimensão da sustentabilidade.

O foco do casal é investir na educação: “Ir à escola, pensar em programas de formação”, porque acreditam que as novas gerações assimilam os conteúdos e crescem com a mudança.

Em casa, com os filhos, o casal fez um plano para se manter fiel a opções sustentáveis, quer a nível da alimentação, “comprando local e sazonal”, como na diminuição do consumo, com “opções mais conscientes” e na utilização de roupa “em especial para as crianças”, procurando evitar o marketing que circunda o mundo infantil.

O difícil, reconheceu João, é manter o entusiasmo inicial. Estimula então a atenção das crianças, que se apercebem rapidamente que alguma coisa não está certa, seja com o gasto da água, a separação do lixo, a indecisão de utilizarmos o carro ou deslocarmos a pé.

 

 

IGREJA

Papa Francisco e Jovens assinaram «pacto» em Assis.

 

Terminou em 24 de setembro, em Assis, um encontro em que participaram cerca de mil jovens, de 120 países, incluindo Portugal.

Neste encontro de três dias, propôs-se “uma economia de paz e não de guerra, uma economia que cuida da criação”.

Os economistas, empresários e empresárias, agentes de mudança, estudantes, trabalhadoras e trabalhadores, defendem “uma economia ao serviço da pessoa”, sobretudo dos mais frágeis e vulneráveis, que não deixa “ninguém para trás”.

No discurso de encerramento, o Papa destacou a importância de “trabalho digno e seguro para todos, onde as finanças sejam amigas e aliadas de economia real e do trabalho”.

Este encontro, foi a resposta a um desafio lançado aos jovens pelo Papa Francisco, em maio de 2019, adiado pela pandemia.

A “Economia de Francisco”, como ficou a chamar-se, deu origem a um movimento internacional de jovens, para repensar modelos económicos, financeiros e de desenvolvimento, com várias iniciativas online, em volta de 12 “aldeias”, sobre temáticas que vão do papel da mulher na economia à sustentabilidade e a crise ecológica.

O encontro de Assis terminou com a assinatura de todos os participantes de um «pacto» por uma nova Economia

 

 

IGREJA

Ação de formação «exorcismos e dimensão terapêutica da espiritualidade crista»

 

Teve lugar no dia 14 de setembro, em Fátima, uma reflexão promovida pelas comissões episcopais de Liturgia e Espiritualidade e da Educação Cristã e Doutrina da Fé.

Esta reflexão pretendeu aprofundar o contributo do Ritual dos Exorcismos, na resposta pastoral a situações de sofrimento, que surgem hoje nas comunidades cristãs.

Durante o dia, os participantes, bispos e presbíteros, que ultrapassaram as quatro dezenas, de várias dioceses de Portugal, refletiram sobre a “visão evangélica do mistério do mal e a atitude de Jesus para com os que sofrem”. Abordaram “algumas” noções básicas de saúde / doença mental, sob orientação duma médica psiquiatra, e esclareceram a “terminologia em torno da temática e o acompanhamento pastoral, feito dum modo interdisciplinar.”

O exorcismo é um ato de que a Igreja Católica dispõe para ordenar que alguém, lugar ou objeto seja protegido da ação do mal ou liberto do seu domínio, estando previsto, por exemplo, na preparação do Batismo das crianças e dos adultos.

O chamado “grande exorcismo”, reservado nos casos de possessão diabólica, excluindo as situações de doença do foro neurológico só pode ser feito por um padre com licença do bispo.

“Os participantes manifestaram o desejo que esta ação seja continuada em futuros encontros de formação” – pudemos ler no comunicado enviado à Agência Ecclesia.

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial