aCONTECIMENTOS eclesiais

DO MUNDO

 

BRASIL

 

PROLONGA-SE O

ANO DA EUCARISTIA

 

O Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Cardeal Geraldo Majella Agnelo, anunciou que O Papa Bento XVI, acolhendo o pedido apresentado pela 43.ª Assembleia Geral da CNBB, prolongou o Ano da Eucaristia no Brasil até 21 de Maio de 2006.

 

Nesta data será concluído o XV Congresso Eucarístico Nacional no país, sobre o tema «Ele está no meio de nós» e o lema «Vinde e vede». Até 21 de Maio, os fiéis brasileiros poderão gozar também da possibilidade de receber a indulgência plenária, concedida por ocasião do Ano da Eucaristia.

 

 

POLÓNIA

 

TRIBUNAL PARA A CAUSA DE

BEATIFICAÇÃO DE JOÃO PAULO II

 

Foi constituído em Cracóvia o tribunal rogatório para a causa de beatificação de João Paulo II, encarregado de recolher testemunhos sobre a vida e a actividade de Karol Wojtyla quando era Bispo e Cardeal no seu país natal.

 

A cerimónia realizou-se no dia 4 de Novembro passado, festa litúrgica de São Carlos Borromeu, onomástico de Karol Wojtyla, que lhe tinha muita devoção. Teve lugar na Catedral de Wawel e foi presidida pelo Arcebispo de Cracóvia, Mons. Stanislaw Dziwisz, que foi secretário pessoal de João Paulo II ao longo de várias décadas.

O Pe. Slawomir Oder, postulador do processo de beatificação e canonização de João Paulo II, entregou, nesta ocasião, a nomeação do vice-postulador, o Pe. Stefan Rylko.

O trabalho do processo rogatório será orientando pelo Bispo Tadeusz Pieronek, antigo reitor da Academia Pontifícia de Teologia de Cracóvia, como juiz delegado por Mons. Dziwisz.

O processo está, neste momento, na fase diocesana, que começou em dia 28 de Junho passado, em Roma, durante a qual se procede à recolha de todos os documentos relativos à vida e obra de João Paulo II, incluindo os escritos inéditos, anteriores à sua eleição como Papa; e também se recolhem os depoimentos das testemunhas.

Posteriormente, inicia-se outra fase, na Santa Sé. Na Congregação para as Causas dos Santos, teólogos, médicos e historiadores irão analisar esses dados. As suas conclusões serão depois submetidas ao exame da Assembleia Ordinária da Congregação, composta por 30 membros, entre Cardeais, Arcebispos e Bispos: é a eles que compete aprová-las ou não.

O site oficial da Causa de beatificação e canonização (www.vicariatusurbis.org/beatificazione/) está cheio de orações a pedir graças por intercessão de João Paulo II, bem como de testemunhos das suas virtudes e de milagres que lhe são atribuídos.

.

 

ITÁLIA

 

BEATIFICAÇÃO DE

MÃE DE NOVE FILHOS

 

O Cardeal José Saraiva Martins presidiu no Domingo 6 de Novembro passado à cerimónia de beatificação de Eurosia Fabris (1866-1932), mais conhecida como «Mamã Rosa», mãe de nove filhos, três deles sacerdotes, apresentada como «modelo de santidade possível para todos».

 

A beatificação foi proclamada na catedral de Vicenza, na Lombardia (Norte de Itália). O Bispo da diocese, D. Cesare Nosiglia, salientou que «Mamã Rosa» é referenciada como «um modelo de santidade possível para todos porque, como esposa e mãe, viveu com simplicidade evangélica».

O Bispo de Vicenza recordou também as vocações religiosas que enriqueceram a casa de«Mamã Rosa», referindo que hoje a vocação sacerdotal de um filho representa uma preocupação, enquanto para a nova Beata, a «alegria em ver os seus filhos encaminharem-se para a vida consagrada, aderindo de todo o coração a Cristo, era também motivo de consolo».

Eurosia Fabris, nascida em 27 de Setembro de 1866, numa pequena localidade agrícola, a poucos quilómetros de Vicenza. Deixou a escola após os dois primeiros anos de educação geral básica para ajudar os seus pais nas tarefas do campo e da casa.

Aprendeu, contudo, a ler e escrever. Entre os seus livros preferidos estavam a História sagrada, a «Filotea» de São Francisco de Sales e as «Máximas eternas» de Santo Afonso Maria de Ligório.

Eurosia, que pertencia à Ordem Terceira Franciscana, morreu a 8 de Janeiro de 1932. Pio XII afirmou dela: «É necessário dar a conhecer esta bela alma, exemplo para a família de hoje!».

A sua vida conjugal foi caracterizada pela profunda comunhão com o marido, terno amor para todos os filhos, capacidade de trabalho para além do normal, atenção aos pobres e aos doentes, intensa vida de oração.

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial