JORNADAS MUNDIAIS DA JUVENTUDE 2023

 

 

JMJ23:

Peregrinação dos símbolos da JMJ

ao ponto mais alto de Portugal continental

foi uma «oportunidade única»

 

Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), a cruz e o ícone mariano, estiveram na Torre da Serra da Estrela, o ponto mais alto de Portugal continental, no contexto da peregrinação na Diocese da Guarda.

“O lugar onde estamos é simbólico, é o lugar mais alto de Portugal continental, junto à Capela da Senhora do Ar. Aqui as condições de meteorológicas são sempre imprevisíveis e hoje isso aconteceu, felizmente é possível irmos ao lugar que representa dois mil metros de altura com a cruz que lá está colocada”, disse o bispo da Guarda em declarações à Agência ECCLESIA.

A Cruz Peregrina e o ícone de Nossa Senhora ‘Salus Populi Romani’, os dois símbolos da JMJ, estão a percorrer a Diocese da Guarda, até ao próximo dia 5 de abril, e este domingo foram à Torre da Serra da Estrela, para a meditação da Via Sacra.

“Tínhamos uma vontade imensa de vir ao ponto mais alto de Portugal continental e trazermos os símbolos connosco, porque estamos mais perto do céu ainda. É uma alegria estar aqui, as condições climatéricas dão-nos essa possibilidade, o sábado passado estava cheio de neve, não teria sido possível”, explicou a coordenadora do Comité Organizador Diocesano (COD) da Guarda para a JMJ Lisboa 2023.

 “É uma oportunidade única para nós que vivemos esta realidade e para quem está de visita à serra”, destacou a responsável do COD da Guarda.

Salomé Loureiro, que ia receber os símbolos na sua paróquia no final dia, na vila de São Romão, disse que estava a ser “incrível”, “com muito frio mas uma sensação incrível”.

A jovem estava acompanhada com mais duas amigas que garantiram que estava “toda a gente motivada e à espera” da cruz e do ícone de Maria em São Romão, no município de Seia, que a JMJ Lisboa 2023 está na agenda e que se vai fazer “com muito gosto”.               

Entre os peregrinos também estavam seminaristas da Diocese da Guarda, “esperançosos” que a JMJ 2023 seja um “bom momento para a juventude em Portugal e para toda a Igreja, explicou Ricardo Bernardes, que estuda na Arquidiocese de Braga.

“Este é um momento que faz os jovens pensar na vida, na sua vocação. Também somos jovens e a presença dos símbolos é uma marca que nos motiva e interpela”, acrescentou Tiago Fonseca.

 “As pessoas aderem à passagem dos símbolos e vivem de facto estes momentos de fé ao máximo. Tem sido muitíssimo gratificante! Estou muito feliz”, acrescentou a responsável do COD da Guarda.

D. Manuel Felício realçou que os símbolos transmitem aos jovens o convite para “sem porem a caminho da Jornada Mundial da Juventude 2023”.

“Esperamos que as pessoas partam daqui entusiasmadas a continuarem a estimar a presença dos símbolos no meio de nós”, disse o bispo da Guarda na Serra da Estrela.

 

JMJ 2023:

Diocese de Coimbra inicia a «Rota dos Patronos»

 

O Comité Organizador Diocesano da Jornada Mundial da Juventude divulgou hoje a iniciativa da Rota dos Patronos, que decorre entre 03 de abril de 2022 a 31 de maio de 2023.

“Esta peregrinação da Rota dos Patronos, poderá ser feita em grupo ou individualmente, decorrendo de 03 de abril de 2022 a 31 de maio de 2023, e será oportunidade de os jovens e comunidades da diocese conhecerem alguns locais emblemáticos da nossa cidade de Coimbra”, explica nota enviada à Agência Ecclesia.

A Diocese de Coimbra escolheu quatro figuras que a representam ao nível nacional: Rainha Santa Isabel, São Teotónio, Santo António e Santo Agostinho, cada um deles “diretamente relacionado com a cidade”, sendo que só “Santo Agostinho não viveu em Coimbra”, mas é o padroeiro principal da cidade.

“Nestas quatro vidas queremos representar homens e mulheres, leigos e consagrados, contemplativos e missionários, santos e pecadores… que esperamos que sejam um estímulo para os jovens que se preparam para o grande encontro com o Papa em 2023”, pode ler-se.

A peregrinação traz a oportunidade de conhecer “locais emblemáticos da cidade de Coimbra, nomeadamente: Mosteiro de Sta Clara-a-Nova (Rainha Santa Isabel), Mosteiro de Sta. Cruz (São Teotónio), Igreja de Santo António dos Olivais (Santo António) e Seminário Maior de Coimbra (Santo Agostinho), a que se junta ainda a Sé Velha de Coimbra, local onde os jovens se encontram todos os dias 23 de cada mês para celebrar e rezar”.

A “Rota dos Patronos” teve início no dia 3 de abril de 2022 com uma celebração às 15h00 na Igreja da Rainha Santa, presidida pelo Bispo D. Virgílio Antunes.

 

JMJ 2023:

Diocese de Lamego deixa desafio aos jovens –

«A tua jornada começa aqui»

 

A Diocese de Lamego promoveu um encontro dos Comités Organizadores Paroquiais (COP) para a próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ), assumindo a intenção de colocar o território no percurso do evento internacional de 2023.

‘A tua jornada começa aqui’, refere um outdoor, colocado este domingo no centro da cidade, para convidar à preparação e participação na JMJ 2023, que vai decorrer em Lisboa de 1 a 6 de agosto do próximo ano.

D. António Couto, bispo de Lamego, disse à Agência Ecclesia que “Lamego não vai ficar atrás dos outros”, neste caminho.

“Espero desta jornada que, juntamente com esta juventude, se envolva toda a população, os pais, os avós. Não é possível deixar os jovens sozinhos”, assinalou.

O Bispo de Lamego destaca o entusiasmo dos jovens, mostrando-se empenhado em acompanhá-los até à JMJ 2023 “com toda a alma, com toda a emoção, com todo o coração”.

Num Interior “envelhecido”, D. António Couto lamenta que estas novas gerações acabem por abandonar o território diocesano, por motivos académicos ou de trabalho, vendo na preparação da JMJ uma oportunidade de encontro, num território vasto e disperso, com “maneiras de ser diferentes”.

“É bonito ver esta gente toda, proveniente de diversos lugares, a reunir-se, a sentir-se da mesma família”, precisou.

Cláudia Dias, 22 anos, da paróquia de Vila da Ponte, aponta já aos chamados ‘Dias nas Dioceses’, sublinhando que o tempo até à JMJ 2023 é cada vez mais curto.

“Todos juntos vamos conseguir chegar a bom porto”, indicou.

A também chamada ‘pré-jornada’ é um encontro que antecede a semana da JMJ, promovendo a integração de jovens vindos de todo o mundo em comunidades paroquiais, nas várias dioceses do país, de norte a sul de Portugal e nas ilhas.

“Vai ser muito bom partilharmos aquilo que faz parte das nossas tradições”, indicou Cláudia Dias, confessando “ansiedade” pelo grande encontro mundial de Lisboa.

A jovem destaca as atividades desenvolvidas a nível diocesano, mensalmente, a cada dia 23, assinalando que “há todo um caminho ainda a percorrer”.

 

JMJ Lisboa 2023:

«O encontro tem de ser original»,

afirma o Papa numa mensagem vídeo

 

O Papa pede os jovens a não viver “dos rendimentos, do que se fez nos outros encontros” mundiais da juventude, procurando antes “criar o encontro”.

“Se vocês não forem criativos, se vocês não forem poetas, este encontro não vai resultar, não vai ser original, vai ser uma fotocópia de outros encontros. E como dizia o jovem beato italiano [Carlo Acutis]: cada um de nós tem de ser original, não uma fotocópia”, afirmou.

Francisco dirige-se a todos os que estão a preparar, como voluntários, a próxima JMJ, em Portugal e nos vários países, reconhece que no contexto atual “não é fácil” e pede-lhes para “olhar no mesmo sentido”.

“Não é fácil porque andamos de crise em crise. Saímos de uma crise pandémica, entramos numa crise económica e agora estamos na crise da guerra, que é um dos piores males que pode acontecer”, lembrou.

No meio de todas estas crises, vocês têm de preparar e ajudar para que o evento de agosto de 2023 seja um evento jovem, um evento fresco, um evento com vida, um evento com força, um evento criativo”.

O Papa lembrou que “as crises superam-se juntos, não sós” e que, das crises, ou se sai “melhores ou piores”.

“O desafio que se coloca hoje é para sairmos melhores! E o melhor de vocês é serem criativos: vocês são criativos, poetas! Façam essa poesia da criatividade a olhar para agosto de 2023”, acrescentou.

Francisco lembrou todos os jovens que vão participar, “seja pessoalmente, seja por meios telemáticos”, desejando que “seja um encontro fecundo”.

“Que cada um de nós saia melhor do que chegou. Peço-lhes, por favor, que rezem por mim, porque eu também preciso que me sustentem com a oração”, acrescentou.

O Papa disse que já está a “olhar para agosto de 2023”, para Portugal, para Lisboa, para Fátima, para o encontro com cada jovem e despediu-se, na mensagem vídeo, “até agosto” de 2023.

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é um encontro dos jovens de todo o mundo com o Papa, foi instituída por João Paulo II, em 1985. A primeira edição aconteceu em 1986, em Roma, e desde então a JMJ já passou pelas seguintes cidades: Buenos Aires (1987), Santiago de Compostela (1989), Czestochowa (1991), Denver (1993), Manila (1995), Paris (1997), Roma (2000), Toronto (2002), Colónia (2005), Sidney (2008), Madrid (2011), Rio de Janeiro (2013), Cracóvia (2016) e Panamá (2019).

 

JMJ Lisboa 2023:

Preparação dos terrenos para o encontro de jovens com o Papa

começou em março

 

Os presidentes das autarquias de Lisboa e de Loures visitaram os terrenos onde vai decorrer o encontro do Papa com jovens de todo o mundo e afirmaram que os trabalhos vão “iniciar rapidamente”, no “próximo mês”.

Citado pela Renascença, Carlos Moedas, presidente da Câmara Municipal e Lisboa disse que “os concursos estão todos abertos e as equipas prontas” para iniciar “no próximo mês” as obras no espaço onde vão decorrer os atos centrais da Jornada Mundial da Juventude, em agosto de 2023.

“Da nossa parte só estamos à espera que se retirem ainda alguns contentores para iniciar rapidamente todos os trabalhos”, afirmou Ricardo Leão, presidente da Câmara Municipal de Loures.

A visita dos autarcas de Lisboa e Loures decorreu na tarde de hoje e com a presença do presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o coordenador do grupo de projeto que vai acompanhar a preparação das Jornadas Mundiais da Juventude, em 2023, José Sá Fernandes, e o presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, D. Américo Aguiar.

Participou também na visita o novo embaixador de Portugal junto da Santa Sé, Jorge Oliveira Carmo, que se prepara para iniciar funções diplomáticas em Roma, encontrando-se com o Papa Francisco.

“Nessa ocasião é inevitável que um tema cimeiro seja o das jornadas no ano que vem. Ora, para o senhor embaixador era fundamental não apenas ter ouvido, mas ter conhecido e poder dizer ao Papa Francisco ‘Lá estivemos, pode estar calmo, Sua Santidade’”, Marcelo Rebelo de Sousa.

Em declarações aos jornalistas, os autarcas asseguraram que tudo vai estar pronto para receber a Jornada Mundial da Juventude, um evento “único” pelo acolhimento de jovens de todo o mundo e para a recuperação da frente do Tejo.

Os atos centrais da JMJ Lisboa 2023, a vigília de oração e a Missa final, presididas pelo Papa Francisco, vão decorrer na zona do Parque das Nações e nos terrenos do concelho de Loures que estão na continuidade da margem do Tejo.

 

JMJ:

«Jovens de todos os continentes

faziam um só povo e comunidade» – D. Rui Valério

 

O bispo das Forças Armadas e de Segurança recordou a sua participação em várias edições da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), desde a primeira em 1986, onde “jovens oriundos de todos os continentes e culturas, fazia um só povo, uma só comunidade”.

“A primeira Jornada teve lugar em Roma, em 1986, onde tive a graça de estar presente. Apercebi-me, logo ali, o quanto esse encontro é ocasião propícia de fazer uma experiência de e com Cristo”, afirmou D. Rui Valério aos jovens do Ordinariato Castrense, num encontro de preparação para a JMJ Lisboa 2023.

As JMJ foram lançadas por São João Paulo II que, em 1986, reuniu os jovens em Roma, com o objetivo de promover um encontro religioso e cultural a nível mundial, a acontecer todos os anos, a nível diocesano, e a cada dois ou três anos numa grande cidade, convocando os jovens para um encontro internacional.

“Em 1986 a Europa estava ainda dividida mas em Roma foi impressionante ver a união dos jovens e recordo a alegria exuberante dos jovens espanhóis, em particular”, regista à Agência Ecclesia.

Já sacerdote, ordenado em 1991, tendo emitido os votos perpétuos na Congregação dos Padres Monfortinos, D. Rui Valério participou na edição de Paris, em 1997.

“O número de jovens inscritos (e que eram os esperados) foi largamente superado pelos que compareceram na Jornada parisiense, de tal maneira que, quando se chegava a Paris, confrontávamo-nos logo com a insuficiência de tudo, no alojamento, na comida, nos espaços de oração”, recordou o bispo do Ordinariato Castrense ao jovens das paróquias de Santo Antônio dos Cavaleiros, Frielas, Póvoa de Santo Adrião e Olival Basto, durante numa Vigília de oração por ocasião da passagem da Cruz Diocesana da JMJ pela Vigararia Loures-Odivelas.

 “Ali constatamos como Cristo continua a multiplicar os cinco pães e os dois peixes para saciar quem O procura e segue”, valoriza.

Em 2000, D. Rui Valério esteve em Roma, regressando a uma cidade “completamente rendida aos jovens”.

“Uma cidade, normalmente caraterizada pela pressa e pela pressão da vida moderna, agora, com os jovens lá, estava totalmente por conta deles. É o que Cristo nos dá: uma nova prospetiva: sobre a vida, o mundo, a humanidade. Também impressionou a comunhão profunda com que se viveu a vigília de oração em Tor Vergata com o Papa João Paulo II”, sublinha.

A última em que o bispo participou na JMJ foi em Madrid, em 2011, onde lembra o vendaval que se abateu na noite da vigília de oração com o Papa Bento XVI mas que foi insuficiente para demover os participantes de “permanecer firmes em Cristo”.

“Durante todo o tempo da Jornada, houve um tema sempre em foco: os novos desafios da religiosidade pós-moderna. Os jovens participantes da Jornada ofereceram a todo o mundo um testemunho intemporal sobre a força da fé: «Se Deus está por nós, quem pode estar contra nós?»”, recorda.

 

JMJ:

Dia 23 de cada mês prepara jornada de 2023,

a acontecer desde já em cada diocese

 

Cristiana Lopes, do Comité Organizador Diocesano (COD) de Leiria-Fátima, disse à Agência Ecclesia que as iniciativas propostas para preparar a Jornada Mundial da Juventude de 2023, no dia 23 de cada mês, estão a ter “boa participação”.

“Temos tido uma boa participação, tirando o facto da pandemia nos condicionar, mas para ultrapassar essa dificuldade fizemos diretos no Instagram, que tiveram grande recetividade e estamos a espalhar a magia da jornada na diocese”, afirmou.

Para Cristiana Lopes, o objetivo é que “mês a mês, cada um vá sabendo melhor o que está a acontecer na jornada” e que a jornada “também está a acontecer” na Diocese de Leiria-Fátima.

“Acreditamos que passito a passito vamos chegar lá”, afirmou a colaboradora do Comité Organizador Diocesano de Leiria-Fátima.

 “Convidamos movimentos e organismos da diocese a preparar, juntamente com o COD. É muito importante o caminharmos juntos rumo á JMJ”, afirmou.

Hugo Monteiro disse que “cada grupo que prepara traz sempre a sua ideia e a sua diferença na oração”, o que “torna todas as orações diferentes e especiais”.

Para o padre Jorge Nunes, Diretor do Secretariado Diocesano da Pastoral da Juventude e responsável pelo COD do Porto, o “Dia JMJ” tem sido ocasião para “propor diversas atividades para que os jovens – e não só – possam marcar nas suas paróquias, vigararias e na diocese” a preparação da Jornada Mundial da Juventude.

“Nos primeiros meses tivemos uma avalanche com a participação e a pandemia não impediu que conseguíssemos continuar iniciativas on-line. Tem havido crescimento e começamos começámos a sentir um interesse maior não só pelos dias 23, mas da diocese pela JMJ”, afirmou

Em Viana do Castelo, o dia 23 tem chegado com uma proposta diferente, desde ornamentos de Natal ao cantar das janeiras, e, neste mês de fevereiro, o COD propôs o primeiro encontro com o bispo diocesano, D. João Lavrador, “desafiando os jovens a convidar outros jovens a participar”.

“Temos alargado os horizontes, mas queremos mobilizar agora estruturalmente”, afirmou o padre José Meira, diretor do Secretariado da Pastoral Juvenil da diocese e responsável pelo COD.

 

 

JMJ2023:

Felgueiras vai receber 1500 jovens vicentinos

 

A Câmara Municipal de Felgueiras celebrou um protocolo com a Província Portuguesa da Congregação da Missão para acolher mais de 1500 jovens do Encontro Internacional de Jovens Vicentinos.

Para além deste encontro, os jovens vicentinos vão participar também na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) que decorre de 01 a 06 de agosto de 2023, realça um comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

A assinatura do protocolo, dia 25 deste mês, com o Município de Felgueiras é “mais um passo na preparação das JMJ, em 2023”, lê-se.

O presidente da edilidade, Nuno Fonseca, demonstrou o agrado pelo facto de Felgueiras ser o palco deste evento: “É um gosto, um orgulho assinar este protocolo que tem tanto significado, podendo abrir Felgueiras aos jovens de todo o mundo. É um evento único e ímpar”, salientou o autarca.

Nuno Fonseca destacou que a aposta na juventude é uma das prioridades do seu executivo.

“Consideramos que a juventude é o motor do desenvolvimento de um concelho. O acolhimento de mais de 1500 jovens, durante quatro dias, permitir-nos-á divulgar a cultura do nosso concelho, as suas potencialidades. É uma oportunidade única de promovermos Felgueiras na primeira pessoa mas também de promovermos a interculturalidade entre os jovens”, aludiu.

O representante da província Portuguesa da Congregação da Missão, padre Nélio Pereira Pita, salientou que Felgueiras é uma cidade muito representativa para esta instituição.

“A comunidade Vicentina em Felgueiras tem uma representatividade muito forte e, por isso, não poderia ficar de fora neste evento tão importante”.

A autarquia assegura a logística para a realização do encontro, durante quatro dias, que será de preparação para a jornada mundial.

Depois de deixar o nosso concelho os jovens deslocar-se-ão para Lisboa para o grande encontro com o Papa.

 

JMJ2023:

Jovens dos arciprestados da Diocese de Lamego rumam à Catedral

 

Os jovens dos arciprestados da Diocese de Lamego vão reuniram-se, em 20 de abril, às 15h30, na Sé daquela cidade onde vai ser entregue uma bandeira da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) aos Comités Organizadores Paroquiais (COPs) deste evento que se realiza, de 01 a 06 de agosto, em Lisboa.

«Rumo à Jornada Mundial da Juventude» é o lema desta iniciativa que começa, às 14h30, com uma reunião com os COPs, no Museu Diocesano de Lamego, realça uma nota enviada à Agência Ecclesia.

Na iniciativa também foi entregue um símbolo, com o logotipo da JMJ, a cada Comité Organizador Arciprestal (COA).

“Lisboa à vista… e a nossa Diocese vai dar mais um passo importante nesta caminhada rumo à JMJ 2023”, lê-se.

 

JMJ2023:

Movimento Juvenil Salesiano lançou o WYD Don Bosco 23

 O Movimento Juvenil Salesiano apresentou o site WYD Don Bosco 23, o encontro de jovens dos ambientes salesianos que terá lugar durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) que se realiza de 01 a 06 de agosto, em Lisboa.

“Convidando os jovens a viver a JMJ Lisboa 2023 segundo o carisma de D, Bosco, a WYD DON BOSCO 23 procura, ainda, acompanhar todo o dinamismo e momentos previstos da Jornada, assim como valorizar, num dia em particular, o “Dia SYM”, toda a sua dimensão associativa e juvenil”, lê-se numa nota enviada à Agência Ecclesia.

No website www.wyddonbosco23.pt, lançado dia 31 de janeiro, solenidade do seu fundador São João Bosco,estão disponíveis diversas informações sobre Portugal, Lisboa, a JMJ

Para divulgar este “grande encontro”, a organização quer envolver todas as casas salesianas de todo o mundo salesiano, equipas pastorais, animadores juvenis e catequistas.

No lançamento foi também apresentado o vídeo de promoção do encontro.

“Pensado, gravado e protagonizado por alunos e antigos alunos de diferentes ambientes salesianos de Portugal, este vídeo apela à participação dos membros do MJS de todo o mundo neste encontro e convida-os a viverem-no segundo o carisma de Dom Bosco”, realça.

 

JMJ2023:

Revista «Mensageiro de Santo António»

inicia nova rubrica «Além do sofá»

 

A revista «Mensageiro de Santo António» inicia com a edição de fevereiro, uma nova rubrica «Além do sofá», que se prolonga até às Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), de 01 a 06 de agosto de 2023, em Lisboa

Esta rubrica “de jovens para jovens” dá a conhecer “quem são os jovens de hoje, mostrar que há espaço para os jovens na Igreja e manifestar a alegria de viver o dia a dia conhecendo o amor de Deus”, lê-se numa nota enviada à Agência Ecclesia.

O Sínodo em marcha continua nas páginas centrais do especial, desta vez sob o mote “Não é preciso fazer outra Igreja; é preciso fazer uma Igreja diferente”, com a coordenação do Juan Ambrósio e a participação especial de Inês Espada Vieira, Francisco Vaz e Américo Pereira.

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial