aCONTECIMENTOS eclesiais

DO MUNDO

 

A IGREJA CINCO CONTINENTES

 

 

EUROPA

 

 

Itália:

Papa inaugurou assembleia extraordinária da Conferência Episcopal

 

O Papa participou, em Roma, num encontro reservado dos bispos italianos para a abertura da 75ª Assembleia Geral Extraordinária da Conferência Episcopal Italiana (CEI), que se realiza até quinta-feira, informou o Vaticano.

O encontro tem como tema “Caminho sinodal das Igrejas na Itália”.

Francisco distribuiu aos participantes um postal com a imagem do Bom Pastor e o texto das ‘Bem-aventuranças do Bispo’.

 

Grécia:

Papa celebra Missa com minoria católica, que convida a superar medos

 

O Papa presidiu à Missa na sala de concertos Megaron, de Atenas, onde convidou a minoria católica da Grécia a superar medos e hesitações, testemunhando a sua fé na sociedade.

“Não temais a pequenez, porque a questão não é ser pequenos e poucos, mas abrir-se a Deus e aos outros. E não temais sequer a aridez, pois não a teme Deus, que nela nos vem visitar”, disse, na homilia da celebração, com transmissão online.

O Papa partiu das passagens bíblicas propostas para a liturgia do II domingo do Advento, o tempo de preparação para o Natal no calendário católica, que se centra na simbologia do deserto e da figura de São João Batista.

“Deus surpreende-nos, as suas opções surpreendem: não entram nas previsões humanas, não seguem o poder e a grandeza que o homem habitualmente lhe associa. O Senhor prefere a pequenez e a humildade. A redenção não começa em Jerusalém, Atenas ou Roma, mas no deserto”, referiu Francisco.

O Papa sublinhou o “paradoxo do deserto”, local escolhido para a vinda de Jesus. “Queridos irmãos e irmãs, na vida duma pessoa ou dum povo, não faltam momentos em que se tem a impressão de encontrar-se no deserto. E é precisamente aí que se faz presente o Senhor, que muitas vezes não é acolhido por quem se sente bem-sucedido, mas pela pessoa que se sente incapaz de vencer”.

 “Converter-se significa não dar ouvidos ao que enterra a esperança, a quem repete que nada mudará nunca na vida; é recusar-se a acreditar que estamos destinados a afundar nas areias movediças da mediocridade; é não ceder aos fantasmas interiores, que surgem sobretudo nos momentos de provação para nos desanimar”, observou.

A comunidade católica na Grécia, cerca de 1% da população do país, integra fiéis de tradições litúrgicas latina, bizantina e arménia, com grande presença de imigrantes.

 

Irlanda:

Diminui número de sacerdotes

 

Tem diminuído drasticamente o número de sacerdotes na Irlanda, pois morrem muitos e há poucas vocações.

Uma informação da primeira semana de janeiro dava a conhecer que mais de 21% do total de sacerdotes e irmãos religiosos da Irlanda, tanto em atividade, como jubilados, faleceram apenas em três anos.

Quer isto dizer que neste breve espaço de tempo, a Irlanda sofreu a morte de por cada 5 presbíteros do clero diocesano.

Em finais de 2018 havia aproximadamente 2.520 membros do clero irlandês, com cerca de 1.800 sacerdotes ativos e 720 jubilados.

Em 2019 faleceram 166 sacerdotes e irmãos; em 2020, 223 sacerdotes e irmãos, e até setembro de 2021 contaram-se 131 sacerdotes e irmãos falecidos.

Todavia, nenhum sacerdote recém ordenado entrou no presbitério das dioceses, nos últimos quatro anos, e espera-se que somente um o faça nos neste ano.

Entretanto, muitos sacerdotes em idade de jubilação continuam ativos na sua missão sacerdotal, para que as pessoas possam continuar a receber os auxílios sobrenaturais da igreja.

 

Polónia:

Nova iniciativa para animar mais casais a terem filhos

 

Pôr fim ao aborto e apoiar as famílias dão-se as mãos para alcançar esta finalidade. Durante os últimos anos, o partido que governa a Polónia tem-se esforçado por fazer as duas coisas, convertendo o país numa das poucas áreas pró-vida de que restam na Europa.

Outra nova iniciativa do governo para animar as famílias jovens a terem filhos. Marlena Malag, a ministra polaca do trabalho, famílias e politica social, informou que o governa está a trabalhar num novo programa para oferecer melhor emprego, casa e apoio financeiro às famílias com pais.

As investigações redentes sugerem que 95% dos jovens na Polónia querem ter filhos, mas estão preocupados com a estabilidade financeira. A ministra informou que o seu plano, em breve adoptado, criará “uma política integral e sistémica a favor da família” para ajudar os pais jovens e, como consequência, impulsionar a taxa da natalidade a um nível sustentável.

Como grande parte da Europa, a povoação da Polónia está a reduzir-se e a envelhecer à medida que as taxas da natalidade continuam a cair. A povoação da Polónia, segundo estudos recentes, ficará reduzida a quatro milhões de pessoas, dentro dos próximos trinta anos, se a taxa da natalidade continuar como até ao momento.

Os líderes do governo polaco são fortemente pró-vida. Durante os últimos anos têm estado a proteger do aborto os bebés antes de nascer, promover o valor das crianças e a família e apoiar as famílias necessitadas.

Desde que chegou ao poder em 2015, a coligação do governo nacional-conservadora implementou uma série de políticas “favoráveis à família”, entre as quais, o seu programa para crianças “500 Plus”.

 

França:

Tribunal francês determinada retirada

de imagem de São Miguel de praça pública

 

O tribunal regional da cidade francesa de Nantes determinou a retirada de uma imagem de São Miguel Arcanjo de uma praça pública.

Há cerca de um mês, um grupo radical que defende e promove a laicidade na França pediu a remoção de uma imagem de São Miguel localizada na praça em frente a uma igreja de mesmo nome, na cidade de Sables-d’Olonne.

A imagem de São Miguel pertencia ao pátio de um colégio homónimo que fora vendido e depois demolido.

A prefeitura da cidade decidiu colocar a estátua do arcanjo na praça de mesmo nome, em frente à igreja de São Miguel. A cerimónia de inauguração do novo local da imagem aconteceu no dia 6 de outubro de 2018.

A inauguração contou com a presença do prefeito e de um grupo de paraquedistas que foram honrar o padroeiro, São Miguel. A imagem foi abençoada por um sacerdote.

Segundo o parecer dos juízes a bênção da imagem caracteriza-a como um objeto da piedade cristã e não pode figurar em praça pública. A decisão do tribunal regional de Nantes concedeu 6 meses para a remoção da imagem.

A prefeitura da cidade tem dois meses para recorrer da decisão. O prefeito da cidade, Yannick Moreau, lamentou a sentença e afirmou que “o local da imagem de São Miguel é a praça de São Miguel, diante da Igreja de São Miguel”. 

O prefeito considerou ainda que os tribunais do país têm coisas mais importantes para decidirem ao invés de interferir no patrimônio artístico e cultural sob influência de grupos radicais.

 

Ucrânia:

Papa pede «sério diálogo internacional» para evitar conflito na

 

O Papa apelou à intervenção da comunidade internacional para travar um conflito na Ucrânia, numa mensagem às comunidades cristãs e toda a população do país.

“Que as tensões sejam resolvidas através de um sério diálogo internacional e não com as armas”, pediu Francisco, desde a janela do apartamento pontifício, após a recitação da oração do ângelus.

A Ucrânia acusou a Rússia de concentrar mais de 90 mil soldados na fronteira entre os dois países com o objetivo de atacar o seu território, durante o inverno.

“Desejo assegurar a minha oração pela querida Ucrânia, por todas as suas igrejas e comunidades religiosas e por todo o seu povo”, disse Francisco, perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro.

“Entristece-me muito a estatística, que li, há pouco: neste ano, foram produzidas mais armas do que no ano anterior. As armas não são o caminho”, acrescentou.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros de Estados Unidos, Canadá, Japão, Reino Unido, Alemanha, França e Itália, grupo no qual a União Europeia está também representada, estão reunidos em Liverpool, Inglaterra, discutindo, entre outros temas, a tensão entre Rússia e Ucrânia.

A Rússia alega ter o direito de “mover as suas tropas no seu próprio território”, rejeitando estar a planear qualquer ataque.

Francisco evocou ainda as vítimas da série de tornados que atingiram várias zonas dos EUA, na última sexta-feira.

 

Espanha:

Pai de 10 filhos e devoto da Eucaristia poderá

vir a ser declarado santo

 

Em 18 de dezembro, realizou-se a abertura do processo de canonização de Victor Rodriguez Martinez, pai de 10 filhos e místico espanhol que se desviveu pelos pobres e doentes. O ato realizou-se no Convento das Carmelitas Descalças de La Rondilla, em Valladolid

A cerimónia foi presidida pelo Cardeal Blázquez e reuniu “os vicepostuladores da causa, o carmelita reitor do Mosteiro Desierto de San José de Batuecas, o P. Francisco Brändle, e Niceto Tirados”, indicou.

Também assistiram “vários filhos e netos de Victor e os seus dois irmãos carmelitas descalços, Francisco e Juan Luis - padres do Convento de São Bento de Valladolid - e companheiros do Carmelo e da Adoração Noturna, bem como familiares e amigos, tanto da sua etapa vital em Palência, como dos seus anos em Medina del Campo.

Victor Rodríguez Martínez nasceu em 1925, em Quintanadiez de la Vega, Palência (Espanha) no seio duma família católica pobre, que inculcou nele o amor a Jesus Cristo e a devoção à Virgem Maria, bem como a Santa Teresa de Jesus e São João da Cruz, duas das suas referências de santidade.

Victor rezava o Terço todos os dias com os seus pais, desde criança. Além disso, ajudava nos trabalhos agrícolas sem descurar os estudos.

Numa carta a um dos seus netos, Victor escreveu que quando tinha seis anos, costumava levantar-se cedo para trabalhar no campo: levava as vacas a pastar no prado e cavava no campo, como os outros meninos.

No inverno ia diariamente ao colégio para recuperar os estudos. Quando chegava o Natal, costumava cantar canções natalícias e jogar cartas, mas não recebia prendas.

Teve uma noiva cuja relação acabou, porque ela não queria ter mais de dois filhos. Casou-se em 24 de junho de 1948 com uma sua conterrânea, Assunção Merino Quadrado, então com 22 anos, e tiveram 10 filhos.

Vítor manifestou sempre um grande interesse em ser um bom cristão no trabalho e na vida social ordinária e o que desejava era dar aos membros da sua família uma formação humana e cristã. Por isso, gostava de ler os Evangelhos, as Cartas de S. Paulo e também Santa Teresa e S. João da Cruz, de quem foi devoto e cujas obras alimentaram a sua vida espiritual. Além disso, gostava muito de cantar na Missa.

Uniu-se aos oratórios de S. Filipe de Neri para se dedicar aos doentes; e tomou parte nos Cursos de Cristandade onde fazia apostolado: permutava os seus turnos de trabalho pelos dos companheiros e dava-lhes também dinheiro, para os ajudar a tomar parte nos cursos de formação.

Quando os médicos, por causa da doença, recomendaram que não continuasse a trabalhar em Madrid, recolheu a sua casa onde viveu ainda 12 anos com a sua esposa, em Palência. Como tinha as chaves da igreja, gostava de visitar o Santíssimo quando não havia missa. Calcorreava então o caminho para outra paróquia onde pudesse participar nela, ocupando a viagem a pé a rezar o Terço.

 

Polónia:

A cavalgada dos Reis

 

Milhões de pessoas participam, na Polónia, na cavalgada dos Reis. Tudo começou com uma pequena representação natalícia, num colégio de Varsóvia. Nestas datas, as ruas de numerosas cidades e aldeias polacos a cavalgada enche as ruas e difundiu-se para além das fronteiras do país.

Piotr Giertych, um dos organizadores desta cavalgada, descreve os inícios desta procissão que recolhe uma arraigada devoção aos Magos na Polónia: “La Cavalgada dos Reis Magos na Polonia nasceu como forma desenvolvida do teatro natalício que tem a sua história na Polónia desde o século XVII. Foi então que esta tradição saiu das casas, igrejas ou colégios começou a caminhar pelas ruas.

O que hoje é a Cavalgada de Reis começou no Colégio Zagle, de Varsóvia, onde “em cada ano os meninos eram atores de um teatro natalício.

 As típicas cenas que conhecemos da Sagrada Escritura começavam a ganhar cor e som. No teatro, cada aluno tinha o seu papel, e o crescente número de alunos tornou-se uma aventura cada vez mais difícil.

Em 2008, o organizador do teatro escolar propôs sair à rua. Isto, com as temperaturas e neve típicas do tempo polaco, parecia uma loucura. Todavia, o primeiro evento teve muito êxito e no ano seguinte repetimo-lo.”.

Piotr Giertych sublinha que em 2020 (o último 6 de janeiro antes do Covid 19) houve 872 cidades da Polónia que organizaram conjuntamente com Varsóvia a Cavalgada dos Reis Magos.

O cerimonial é o mesmo. Os Magos olham para o Céu e começam a cavalgada. Ao mesmo tempo, a Sagrada Família decide ir para Belém. No caminho encontram o Rei herodes, os pastores, a pousada, os anjos e diabos que tentam desviar os caminhantes. Os romanos cuidam da ordem nas ruas.

“Todos os participantes da Cavalgada recebem uma coroa de papel e um cancioneiro. Isto permite às pessoas unirem-se aos que vão vestidos de Reis, cavalheiros, damas da corte, pastores, etc., todos juntos cantam vilancicos, uma tradição muito antiga na Polónia que sobreviveu inclusivamente durante a época do comunismo”.

 

Bósnia-Herzegovina:

O Papa recebeu presidente em exercício

 

O Papa recebeu no Vaticano o presidente em exercício da Bósnia-Herzegovina, Zeljko Komsic, para uma audiência privada que abordou a situação na região dos Balcãs e as relações bilaterais.

Segundo a Sala de Imprensa da Santa Sé, após a audiência com Francisco, Komsic encontrou-se com o secretário para as Relações com os Estados, D. Paul Richard Gallagher.

Os encontros abordaram a necessidade de “promover a igualdade jurídico-social de todos os cidadãos” da Bósnia-Herzegovina e a possível adesão do país à União Europeia.

 

Taizé:

A «Peregrinação de Confiança» continua em 2022

 

O prior da comunidade ecuménica de Taizé, irmão Alois anunciou as próximas etapas da Peregrinação de Confiança em 2022.

“Embora o contexto da pandemia continue a fazer sentir os seus efeitos”, a Comunidade de Taizé espera continuar a Peregrinação de Confiança com vários encontros, lê-se numa nota enviada à Agência Ecclesia.

De 8 a 15 de maio de 2022 realiza-se a peregrinação à Terra Santa e de 7 a 10 de julho o encontro europeu em Turim (Itália)

Ainda no mês de julho, de 13 a 17, realiza-se o encontro de amizade entre jovens muçulmanos e cristãos.

A semana de reflexão em Taizé, para jovens dos 18 aos 35 anos, concretiza-se de 21 a 28 de agosto e durante este período os participantes podem “participar num programa especial em torno da preservação da biodiversidade”.

De 28 de dezembro de 2022 a 1 de janeiro de 2023, o próximo Encontro Europeu terá lugar em Rostock, na Alemanha.

 

Espanha:

Torreciudad veste de flores a Virgem no Dia das Famílias

 

Mais de 15.000 cravos brancos oferecidos pelas famílias e particulares adornado o presbitério do Santuário de Torreciudad que celebrou o Dia das Famílias.

O santuário de Torreciudad celebrou a seu tradicional Dia das Famílias que pôde contar com a participação presencial e à distância. A jornada começou com a celebração da Santa Missa solene, oficiada pelo reitor do santuário, Ángel Lasheras. Na homilia pediu que vivessem muito unidos ao Papa Francisco, rezando pela sua pessoa e suas intenções, e comentou uma frase pronunciada pelo Santo Padre na abertura do Ano dedicado à Família que convocou em março de 2021: “apoiemos a família, defendamo-la de tudo o que comprometa a sua beleza. Aproximemo-nos deste mistério de amor com assombro, discrição e ternura”.

De tarde, os féis rezaram o Terço peregrinando pelos subportais da explanada, acompanhando a imagem peregrina da Virgem de Torreciudad. A jornada concluiu com a Bênção com o Santíssimo Sacramento dada no altar da esplanada.

Os grupos participantes mais numerosos vieram de Madrid, Barcelona, Zaragoza, Valencia, Huesca, Burgos, Granada, Santander y San Sebastián, em peregrinações organizadas pelas paróquias e vários centros educativos.

 

Um grupo de jovens voluntárias trabalharam durante toda a véspera para ornamentar com flores a escadaria do presbitério do templo, por debaixo da imagem da Virgem de Torreciudad, formando um manto de 15.000 cravos brancos oferecidos por famílias de todas as comunidades autónomas de Espanha e de outros 23 países: Alemanha, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Croácia, Equador, El Salvador, Estados Unidos, Filipinas, Guatemala, Honduras, Inglaterra, Irlanda, Itália, México, Panamá, Paraguay, Peru, Portugal, Porto Rico e Suíça.

 

Áustria:

Terço contra a pandemia

 

Numa iniciativa que promove a recitação do rosário pelo fim da pandemia, somente em uma das semanas, mais de mil pessoas rezaram o rosário juntas na Áustria.

Desde o início de dezembro, a iniciativa “A Áustria reza” pede que o rosário seja rezado nas calçadas ou nas zonas de pedestres, a fim de não obstruir o trânsito e poder cumprir as distâncias necessárias.

Louis-Pierre Laroche, o criador da iniciativa, teve a ideia depois de ouvir repetidamente a frase: “Agora tudo o que você pode fazer é rezar”, em conversas após o início da pandemia.

Assim, todas as quartas-feiras, às 18 horas, hora local, os participantes da “Áustria reza” reúnem-se em um local público para recitar o rosário.

Laroche observou que o rosário é uma oração que a Igreja reza com frequência em tempos de crise. Ele citou, por exemplo, a Batalha de Lepanto, um confronto naval ocorrido há 450 anos, em 7 de outubro.

Naquela época, após uma luta sem precedentes e graças às orações dos cristãos, a Santa Liga, que pertencia à Espanha, Veneza, Estados Papais, Malta, Sabóia, Gênova e Toscana, derrotou o Império Otomano em Lepanto.

Laroche declarou: “Eu gostaria de separar completamente esta iniciativa de oração da política”, insistiu. O objetivo é “o fim desta crise”.

“Vamos também nos libertar espiritualmente de todos esses relatos da mídia que destroem as pessoas, que criam ainda mais pressão, que criam ainda mais ódio, que criam ainda mais divisões. Confiemos tudo isso a Nossa Senhora”.

 

Espanha:

Celebram o 50º aniversário

do Caminho Neocatecumenal em Barcelona

 

Completam-se 50 anos que os iniciadores do Caminho Neocatecumenal, Kiko e Carmen, juntamente com o padre Jesus Blasquez, deram as catequeses iniciais em Barcekona e delas nasceu, em 12 de dezembro de 1971, a que atualmente é a 1.ª comunidade da paróquia de Santas juliana e Semprroniana.

Durante o ano de 1971, nasceram as primeiras comunidades do Caminho Neocatecumenal na Paróquia de María Auxiliadora de Barcelona. No dia 29 de janeiro todas as comunidades de Barcelona, celebrarão uma Missa de ação de graças.

 

 

ÁSIA

 

Israel:

Descoberta de anel com 1.700 anos,

ostentando a imagem do Bom Pastor

 

Um anel paleo-cristão, gravado com a imagem do Bom Pastor, foi encontrado submerso no Mar de Israel.

Em finais de 2021, a Autoridade de Antiguidades de Israel anunciou o achado de uma série de objetos milenários, entre os quais se destaca um anel paleo-cristão que tem uma gema onde está gravada uma imagem de Jesus Cristo Bom Pastor.

Segundo os investigadores, o achado data de entre os séculos I e III depois de Cristo. O anel foi encontrado nas profundidades do Mar Mediterrâneo, perto de Cesareia da Beira-Mar, um antigo e importante porto da terra Santa que pertence a Israel e onde, na antiguidade, muitos barcos costumavam naufragar.

O achado fez parte de um estudo submarino rotineiro de localização, para monitorizar e resgatar antiguidades, realizado pela Unidade de Arqueologia Marítima da Autoridade de Antiguidades de Israel.

 

Síria:

Religiosa portuguesa alerta que as pessoas estão «sem esperança»

 

A religiosa portuguesa Maria Lúcia Ferreira, que vive no Mosteiro sírio de São Tiago Mutilado, alerta que as pessoas “estão cada vez mais tristes, sem esperança”, porque não se vê o fim de um conflito que começou em 2011.

“Os custos dos bens quotidianos, que cada família necessita, são cada vez maiores, os preços aumentam cada vez mais, o pão vai-se tornando, a pouco e pouco, mais escasso, as fontes de energia estão cada vez mais caras e há coisas que já quase não se encontram no país”, explicou a religiosa portuguesa ao secretariado português da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS).

A irmã Maria Lúcia Ferreira assinala que “a pobreza está a agravar-se bastante” e cada vez mais pessoas emigraram à procura de uma “qualidade de vida que já não acreditam ser possível na Síria”. “As peças de roupa são caríssimas, e chegam a custar um quarto ou mesmo metade do ordenado mensal. O custo de uma só peça de roupa para uma família de quatro ou cinco pessoas é enorme, para não falar que a carne é quase inacessível e é tudo racionado – o gás, tudo o que é energia, a gasolina, o pão, o açúcar, o arroz”, exemplifica a religiosa

Desde 2011, quase 5,6 milhões de habitantes fugiram para outras partes do mundo, enquanto 6,6 milhões de sírios estão deslocados no seu próprio país, segundo dados do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR), divulgados em 2021.

A irmã Maria Lúcia Ferreira conta: “Mas que se está a passar agora é muito mais difícil do que na altura em que as bombas nos caíam em cima, em que estávamos até em risco de morrer ou de ficar feridos: É a luta de cada dia para se saber o que comer, o futuro, os jovens que não veem esperança”, desenvolveu.

A religiosa pertence à Congregação das Monjas de Unidade de Antioquia e vive no Mosteiro de São Tiago Mutilado, na vila de Qara, perto do Líbano.

O secretariado português da AIS recorda que o núncio apostólico na Síria, cardeal Mario Zenari, afirmou que 90% da população vive abaixo do limiar da pobreza, e é “neste contexto muito difícil” que continua ativa a operação solidária de Natal da fundação pontifícia para apoiar as famílias com mais dificuldades, e oferecer roupa quente a cerca de trinta mil crianças.

 

Coreia do Norte:

Perseguição aos cristãos norte-coreanos

 

É obrigatório recordar a péssima situação dos cristãos na Coreia do Norte, o país que, segundo a Open Doors, está há 20 anos consecutivos no topo da lista de nações que cometem “perseguição religiosa extrema”. O relatório dessa organização sobre a perseguição aos cristãos no mundo, em sua edição de 2021, afirma que “ser identificado como cristão é uma sentença de morte na Coreia do Norte”. 

Estimados em 400 mil, os cristãos norte-coreanos não podem praticar o culto nem em público, nem nos ambientes privados. De 50 mil a 70 mil deles estão hoje aprisionados em campos de concentração. No país oficialmente ateu, em decorrência da própria natureza materialista da concepção de mundo imposta pelo comunismo, a religião é estritamente proibida, mas a veneração aos líderes como se fossem deuses é obrigatória.

Com a Coreia do Norte ocupando cada vez mais espaço nos telejornais e nos sites de notícias devido às ameaças de ataque nuclear do ditador Kim Jong-Un contra os Estados Unidos, volta à tona, em vários meios de comunicação, a brutal realidade a que é submetida a população desse país, forçada a idolatrar os seus ditadores como se fossem deuses, ao mesmo tempo em que toda e qualquer outra forma de religião é violentamente perseguida.

É muito significativo recordar que Pyongyang, a capital da Coreia do Norte, já foi conhecida como “Jerusalém do Oriente” por conta do intenso e sólido crescimento do cristianismo na região a partir do século XIX. As atuais duas Coreias ainda estavam unidas naquela época.

Mesmo assim, como sempre aconteceu desde os primórdios da fé em Cristo, os cristãos na Coreia do Norte vivem a fé clandestinamente e rezam às escondidas, seja individualmente, seja com pequenos grupos, no geral compostos por familiares. Estas informações são confirmadas por cristãos que conseguiram escapar da brutal ditadura norte-coreana

Recentemente, o atual ditador Kim Jong-Un proibiu a celebração do Natal e mandou celebrar o nascimento da sua avó (!) Ele simplesmente substituiu o nascimento de Jesus pelo da “Sagrada Mãe da Revolução”

 

Terra Santa:

O ecumenismo é uma realidade

 

A Terra Santa “é o lugar onde as comunidades cristãs estão mais próximas da unidade”, afirmou Francesco Patton, padre franciscano responsável pelos locais santos da Palestina, ao Vatican News desta terça-feira, 18 de janeiro. “Na Terra Santa falamos menos sobre a teoria do ecumenismo e praticamos mais a unidade” – salientou Patton a propósito da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que decorre entre 18 e 25 de janeiro.

Numa entrevista conduzida pelo jornalista Alessandro Di Bussolo, Patton recordou o dia 6 de janeiro como um exemplo concreto dessa unidade: “Naquele dia, praticamente todas as Igrejas do Oriente e do Ocidente reúnem-se em torno da manjedoura em que Maria colocou o Menino Jesus. Há os que celebram a Epifania e os que começam a celebrar o Natal. Seria bom mostrar essa imagem para que as pessoas entendessem como naquela gruta, no meio de uma aparente confusão, há um exemplo de unidade cristã.”

O responsável franciscano descreveu ainda outro exemplo de cristãos trabalhando juntos no Médio Oriente – neste caso, na Síria e contando também com a ajuda de muçulmanos – a favor dos órfãos de Alepo, vítimas da guerra, para lhes dar “um nome e um futuro” que lhes estava vedado por terem ficado sem pai e, portanto, não poderem legalmente registar a sua identidade. A paróquia franciscana local trabalhou com o bispo e o mufti muçulmano local, xeque Mahmud Akkam, para “ajudar crianças e jovens a superar o trauma causado por durante muitos anos estarem imersos numa guerra que trouxe destruição, ódio e devastação. Tudo isso são sinais da fraternidade possível em nome do bem da pessoa humana e dos últimos dos últimos entre nós”.

 

Paquistão:

Igreja Católica pede fim das conversões e casamentos forçados

 

A Comissão Nacional de Justiça e Paz do Paquistão apelou ao fim das conversões e casamentos forçados de mulheres e crianças no país.

O organismo da Igreja Católica está a promover, com o apoio da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), um “programa ambicioso para proteger as raparigas e mulheres oriundas das minorias religiosas, procurando sensibilizar a opinião pública e as autoridades para a urgência de mudanças na legislação em vigor no país”, indica a AIS, em comunicado.

A comissão católica apresentou 15 recomendações, entre as quais a criação de linhas de apoio para a elaboração de relatórios; a assistência imediata às vítimas e suas famílias, incluindo ao nível jurídico; a necessidade de se melhorar a resposta das autoridades, nomeadamente da polícia, sempre que ocorrerem casos de sequestro.

O treino das forças policiais para a identificação mais rápida de casamentos fraudulentos e da existência de certificados de conversão falsos, é outra das medidas propostas, assim como a inclusão da expressão “conversão forçada” ao quadro jurídico nacional, informa a AIS.

A fundação pontifícia cita o caso de Anna Chand, uma menina cristã de apenas três anos violada numa escola em Raiwind, Lahore.

“Anna está a passar por um sério sofrimento psicológico e um estado contínuo de sofrimento emocional, enquanto a sua família luta por justiça”, disse Merab Arif, coordenador de comunicação da Comissão Nacional de Justiça e Paz.

 

Emirados Árabes Unidos:

Mais um templo católico é inaugurado

 

 Mais um templo católico foi inaugurado nos Emirados Árabes Unidos. É a nona igreja no país árabe, que em breve se unirá à que está a ser construída na cidade portuária de Jebel Ali. Esta última, será destinada principalmente aos católicos de língua árabe.

A cerimónia oficial de inauguração da Igreja São João Batista em Ruwais, a 250 km de Abu Dhabi, ocorreu no dia 16 de novembro, e contou com a presença de vários xeques, representando as autoridades do país árabe. A liturgia de consagração do templo foi na manhã do dia 17, e foi presidida pelo Vigário Apostólico da Arábia Meridional, Dom Paul Hinder.

A construção da igreja teve início logo depois da criação da Paróquia São João Batista, no dia 30 de dezembro de 2018. Durante este período de espera, as celebrações litúrgicas ocorriam em estruturas temporárias e improvisadas, dessa forma os 2500 integrantes da comunidade católica da região de Ruwais eram atendidos em suas necessidades espirituais.

Após a inauguração da Catedral de Nossa Senhora da Arábia, consagrada pelo Cardeal Luis Antonio Tagle em 10 de dezembro, em Bahrein, a consagração da nova igreja em Ruweis foi também motivo de alegria para a comunidade local. Nunca houve tantos cristãos na Península Arábica.

 

Cazaquistão:

Papa apela ao diálogo

 

O Papa apelou ao diálogo no Cazaquistão, lamentando as mortes durante os protestos que tiveram lugar neste país.

“Soube, com dor, que houve vítimas nos protestos que surgiram no Cazaquistão, nos últimos dias”, referiu, após a recitação da oração do ângelus, no Vaticano.

“Rezo por elas e pelos seus familiares, desejando que se reencontre o mais rapidamente a harmonia social, através da busca do dialogo, da justiça e do bem comum”, acrescentou.

Francisco concluiu a intervenção com a invocação da proteção de Nossa Senhora, “Rainha da Paz”, sobre o povo do Cazaquistão.

Pelo menos 26 manifestantes e 18 membros das forças de segurança foram mortos e centenas ficaram feridos nos distúrbios no Cazaquistão e milhares de pessoas foram detidas.

As manifestações aconteceram após o anúncio de um aumento dos preços do gás liquefeito.

 

Afeganistão: 

Cáritas Internacional pede «ação humanitária» urgente

 

A confederação internacional da Cáritas apelou à comunidade internacional para que promova uma resposta humanitária urgente ao sofrimento da população no Afeganistão.

“A Caritas Internationalis apela aos decisores para que tomem todas as medidas necessárias para garantir o acesso humanitário à população necessitada, acesso que não pode ser obtido a menos que todos os membros do Conselho de Segurança falem a uma só voz no apoio às necessidades humanitárias, votando nesta exceção, refere uma nota da organização católica.

A Cártias denuncia as “duas décadas de guerra e violência prolongadas, o impacto da mudança climática e o efeito da Covid-19 agravado pela turbulência política e caos” naquele país. “A população afegã vive uma das piores situações humanitárias, levando a uma grande crise humanitária. Hoje, milhões de vidas estão em perigo e sua mera sobrevivência está em jogo. Crianças e idosos estão morrendo de fome”, afirma.

Os afegãos estão “cada vez mais na pobreza” e com a chegada da “dura temporada de inverno” há maior risco de vida para milhões de afegãos.

“Se não se agir agora, existe um risco real de fome no próximo ano”, alerta a confederação internacional de organizações católicas de solidariedade e ação humanitária.

A ‘Caritas Internationalis’ informa que está a “garantir a ajuda humanitária à população afegã e preocupada com a realidade”, “especialmente para as crianças inocentes cujas vidas estão em perigo”.

 

Índia:

preocupação com aumento de incidentes

contra comunidade cristã 

 

 “Estamos preocupados com a comunidade cristã em Jhabua.” A declaração, de Sajan George, presidente do Conselho Global de Cristãos Indianos, à agência AsiaNews reflecte o sentimento geral de apreensão que se vive na Índia com a sucessão de casos de violência e intimidação contra fiéis, sacerdotes e religiosas. 

Na origem desta situação estão as chamadas leis anti-conversão que permitem acusar os cristãos do aliciamento de elementos de outras comunidades religiosas, o que normalmente provoca a fúria de multidões e coloca em risco a integridade física e por vezes a própria vida de alguns fiéis.

Sajan George afirmou ainda que “certamente não é crime” os cristãos reunirem-se para orar num espaço sagrado ou numa casa particular, “mas os extremistas invadem agora rotineiramente esses encontros”, lançando suspeitas de que estarão a ocorrer conversões ilícitas. 

Ainda recentemente, duas religiosas católicas foram detidas pela polícia após terem sido acusadas de tentativa de conversão ilegal quando se encontravam junto à paragem dos transportes públicos na localidade de Mau, no estado de Uttar Pradesh. 

Durante cerca de seis horas, as duas irmãs permaneceram na esquadra como medida de protecção pois uma multidão em fúria concentrou-se no exterior do edifício exigindo a tomada de medidas por parte das autoridades contra elas. 

Uttar Pradesh, o estado mais populoso da Índia, proibiu a conversão religiosa através de uma portaria publicada em Novembro do ano passado e ratificada pelo parlamento local já em Fevereiro deste ano. 

A lei prevê uma pena de prisão até 10 anos para quem seja culpado de realizar alguma conversão religiosa de forma ilícita, seja pela força, coacção ou por métodos considerados fraudulentos. Uttar Pradesh é o último de oito estados da Índia onde estas leis estão em vigor, apesar de aparentemente violarem a Constituição indiana que permite aos cidadãos a liberdade de culto, o que significa também a possibilidade de se mudar de religião.

 “O nível crescente de restrições aos Cristãos e outras minorias religiosas, acompanhado de violência, impunidade, intimidação e restrições crescentes à liberdade dos indivíduos de praticarem uma religião à sua escolha, é profundamente desconcertante”, refere ainda o Relatório da Fundação AIS sobre a Índia.

A pandemia do Covid19 veio agravar este clima de intimidação contra as minorias religiosas na Índia, nomeadamente a comunidade muçulmana. Diz o Relatório da Fundação AIS que, “em alguns casos, foi recusada a admissão” de pessoas em hospitais para tratar o vírus “e algumas autoridades colocaram os muçulmanos aleatoriamente em quarentena”. Por tudo isto, conclui a Fundação AIS no documento, “as perspectivas de liberdade religiosa parecem sombrias”.

 

ÁFRICA

 

Moçambique:

Ataque a aldeias e rapto de jovens

lançam alarme entre a população

 

A fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) informou que dois ataques em dezembro, no norte de Moçambique, “estão a lançar o alarme entre a população”, alvo de violência por parte de grupos fundamentalista.

O incidente mais recente aconteceu na aldeia Nova Zambézia, distrito de Macomia, Cabo Delgado, onde foram queimadas cerca de 15 casas, sem registo de vítimas.

Segundo a AIS, num ataque anterior, no final de novembro, “os terroristas terão raptado cerca de uma centena de jovens, além de que foram também saqueadas e incendiadas algumas habitações” na aldeia de Naulala, província de Niassa.

Há receios de que “os chamados insurgentes ou ‘al-shabaab’, como os grupos terroristas são conhecidos localmente, estejam a implantar-se já na província de Niassa, podendo inclusivamente ser uma ameaça para a cidade de Lichinga”.

Uma operação militar está em curso em Cabo Delgado, para travar a violência, envolvendo não só as Forças de Segurança e Defesa de Moçambique, mas também do Ruanda e de países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral, a SADC.

Os ataques terroristas, que tiveram início em outubro de 2017, terão provocado cerca de 3 mil mortes e mais de 800 mil deslocados.

 

Nigéria:

 Padre é assassinado logo após celebrar a Missa do Galo

 

O padre Luke Adeleke, de 38 anos, foi assassinado logo após celebrar a Missa do Galo numa paróquia da periferia de Ogunmakin Obafemi Owode, na diocese de Abeokuta, Nigéria. Ele voltava para casa quando foi atingido durante um tiroteio entre bandidos armados e policiais, de acordo com informações da agência Fides.

O assassinato do sacerdote parece não ter sido intencional neste caso, mas representa o mais recente episódio de uma longa série de ataques contra padres, religiosos e leigos cristãos no país mais populoso do continente africano. A Nigéria sofre uma onda de violência anticristã desde pelo menos o ano de 2009, quando se intensificaram as ações terroristas do sanguinário bando de fanáticos islâmicos Boko Haram, que pretende declaradamente transformar o país num califado regido pela sharia.

O país enfrenta uma verdadeira epidemia de sequestros de religiosos católicos, em parte motivados por perseguição anticristã, mas em parte por mera expectativa de lucro fácil com o pagamento de resgates. Na tentativa de frear o trágico fenômeno, o episcopado nigeriano chegou a anunciar publicamente que não mais pagaria resgates por clérigos raptados.

A violência é tamanha que os radicais islâmicos matam em média 17 cristãos por dia na Nigéria. Só durante os primeiros 200 dias de 2021, foram cerca de 3,4 mil cristãos assassinados pelo fanatismo terrorista no país. A fonte destes números estarrecedores é a organização nigeriana Intersociety, ou Sociedade Internacional das Liberdades Cívicas e do Estado de Direito.

 

Guiné-Bissau:

Mais de três mil catecúmenos pediram o batismo,

numa só paróquia.

 

O P. Celso Corbioli, dos missionários Oblatos de Maria Imaculada e diretor espiritual do seminário maior de Bissau, informou que «na nossa paróquia mais de três mil catecúmenos pediram o batismo»

Sob o ponto de vista social, a situação na Guiné Bissau é bastante difícil. Nos hospitais falta tudo. Há greves do pessoal sanitário que há meses não recebe o salário, e nos hospitais do estado falta tudo, ao mesmo tempo que os hospitais das missões estão sobrecarregados.

Chegam médicos voluntários de todo o mundo, para apoiar uma situação que corre o perigo de entrar em colapso, ao mesmo tempo que as estradas do interior estão deterioradas.

Também os professores das escolas não recebem salário há tempos.

Guiné Bissau é um país de maioria islâmica. Com uns 20% da povoação cristã (75% dos quais são católicos declarados), a convivência é pacífica. A presença e participação dos católicos cresceu significativamente desde há algum tempo. «Na nossa paróquia de São Francisco de Assis, em Antula, Bissau, há muitos catecúmenos, mais de 3.000 pediram o Batismo, mas aqui em Bissau a preparação dura até sete ou oito anos.

O interessante é que, nos últimos tempos, não só os meninos cristãos se aproximam do Batismo. Além disso desde que foram reabertas as igrejas, as pessoas participam nos atos do culto em grande número.

 

Guiné Bissau:

67% das mulheres «já sofreu violência»

 

Um estudo realizado na Guiné-Bissau mostra que 67% das mulheres já sofreu “algum tipo de violência” por parte dos homens e que as meninas e mulheres guineenses enfrentam “inúmeros obstáculos à proteção e garantia dos seus direitos”.

“O estudo realizado corrobora a ideia de que há uma aceitação de práticas de violência contra a mulher e contra a mulher enquanto ela ainda é criança, sendo que a maioria das práticas de violência decorrem no seio familiar”, constata Carla Pinto, representante da Fundação Fé e Cooperação na Guiné-Bissau, assegurando que “é urgente envolver e responsabilizar todos: homens, mulheres, líderes, pais, mães, avós, avôs, pela forma como educam e pelos seus resultados”, indica um comunicado da FEC enviado hoje à Agência ECCLESIA.

Neste estudo foram inquiridas 1022 mulheres, de 47 comunidades das regiões de Gabú, Quinara, Bafatá e Tombali, que partilharam a sua experiência face à sua situação socioeconómica e violência baseada no género, com o objetivo de caracterizar e diagnosticar a situação das mulheres no que se refere à violência contra as mulheres e raparigas.

O relatório foi produzido no âmbito do projeto «Nô Na Cuida di Nô Vida, Mindjer – Emancipação e Direitos das Meninas e Mulheres na Guiné-Bissau», implementado pelas Organização não-governamentais Mani Tese, FEC e ENGIM, com o apoio financeiro da União Europeia, da Kindermissionswerk, do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., da Otto per Mille, da Igreja Valdese e da Conferência Episcopal Italiana.

Os dados, conhecidos no Dia Internacional para a Eliminação da Violência entre as Mulheres, mostram que “o casamento precoce é uma prática comum”, chegando a atingir os 10% em meninas que casam antes dos 15 anos.

“A grande maioria (81%) assume ter-se casado por decisão dos familiares e 35% engravidou antes dos 18 anos, evidenciando que o casamento forçado e a gravidez precoce fazem parte da realidade de meninas e mulheres guineenses”, pode ler-se no relatório da Situação da Mulher na Guiné-Bissau.

O estudo mostra que “44% das mulheres que têm ou já tiveram um parceiro, referem ter sofrido violência psicológica, 38% violência física, 22% violência sexual e cerca de 25% reportou sofrer violência económica, verificando-se ainda que uma em cada três mulheres foi vítima de mais do que um tipo de violência”, atos disseminados “independentemente da região, etnia, religião ou escolaridade”.

Mas o relatório aponta que a violência não se restringe a mulheres “que têm um relacionamento”, uma vez que “29% das mulheres inquiridas revelou já ter sido vítima de violência por um não parceiro, sendo que 80% da violência tem origem no seio familiar, sendo o pai o principal agressor”.

 

África:

A via-sacra do terrorismo

 

O continente africano enfrenta, neste momento, além da pandemia, o terrorismo islâmico. Estes grupos terroristas, oriundos do Médio Oriente, aproveitam a “distração” dos governos africanos, absorvidos a controlar a crise sanitária do Covid 19, para multiplicar os ataques e consolidar a suas estruturas terroristas, com a finalidade de estabelecer um “califado transcontinental.”

Os cristãos são o objetivo claro dos extremistas islâmicos em muitos países deste continente de mártires. Na verdade, em nenhum lugar do mundo, como em África, têm sido assassinados tantos sacerdotes, religiosos e leigos comprometidos.

Nos últimos três anos, 6,3 milhões de pessoas viram-se forçadas a fugir e a perder absolutamente tudo, para salvar a vida.

Vivem em África 243 milhões de católicos, ou seja, mais de uma sexta parte dos católicos do mundo.

“A Igreja é a instituição que melhor funciona (...) É a única de todas as instituições herdadas do Ocidente que funciona. Em muitos lugares, como na República Democrática do Congo, pode dizer-se que a Igreja é o Estado sem o qual não há vida nem esperança do futuro.” (P. Apollinaire Cibaka Cikongo, sacerdote congolano).

 

Nigéria:

Ataques violentos matam «pessoas sem qualquer justificação»

 O arcebispo emérito de Abuja, na Nigéria, afirmou, perante os ataques violentos, que se está perante a “maldade de terroristas”, que matam “pessoas sem qualquer justificação”.

“Para mim são terroristas, que nos últimos quatro ou cinco anos causaram muitos danos no país. Eles invadem os campos e matam os agricultores e ninguém diz nada. Então eles começaram os sequestros. O governo alega que não consegue identificar com precisão onde esses bandidos estão e para onde levam as suas vítimas”, disse o cardeal John Olorunfemi Onaiyekan ao portal ‘Vatican News’.

No caso destes ataques, além das vítimas mortais, há ainda a considerar um número elevado de deslocados, calculando-se que mais de 10 mil pessoas tenham fugido das suas aldeias, temendo agora regressar a casa.

“Algumas crianças sequestradas em escolas estão desaparecidas há mais de um ano. Algumas meninas há pelo menos sete anos”, acrescentou.

Como a Fundação Ajuda a Igreja que Sofre (AIS) tem denunciado, os terroristas levaram consigo 110 raparigas, “um mês mais tarde, todas as alunas foram libertadas com exceção de Leah, então com apenas 14 anos de idade, que sendo a única cristã do grupo recusou converter-se ao islamismo como os terroristas exigiam” e ficou em cativeiro.

Para o cardeal John Olorunfemi Onaiyekan, é necessário que o governo assuma o combate à violência como uma prioridade absoluta, algo que poderá levar mesmo a uma mudança de executivo.

“Para mim, a única maneira de superar essa situação é encontrar um governo que nos ajude a reconstruir a nossa unidade e convivência nacional. Claro que precisamos de oração. Rezo por todos os meus confrades católicos e cristãos, e rezo também por todos os meus conterrâneos muçulmanos que estão nas mãos de terroristas há anos”, aponta

 

 

 

 

 

AMÉRICA

 

Guatemala:

Natal, apreciando o esplendor de Cristo que vem iluminar o mundo

 

Na mensagem "Caminhemos juntos na luz do Senhor", os bispos evidenciam que "o Natal, pelo segundo ano, é vivido n um mundo obscurecido pela pandemia do Coronavírus, juntamente com outras sombras que afligem nossa vida pessoal, familiar, comunitária e social". Que todos, com a ajuda de Maria Mãe de Deus e de seu esposo São José, cheguem à humilde manjedoura de Cristo que está para nascer, para " se deixar transformar pelo seu fulgor que nos assegura que Deus Pai não abandona seus filhos", frisam eles.

Os bispos da Guatemala lançam um "apelo à esperança" para viver a celebração do nascimento do Filho de Deus e deixar-se iluminar pela Luz do mundo oferecida a cada pessoa, e sublinham, com o Papa Francisco: "O Natal sem Jesus não existe".

O Natal leva-nos "a apreciar o esplendor de Cristo" e, por isso, os bispos felicitam as famílias porque, seguindo o exemplo de Jesus, Maria e José, "permaneceram unidas e procuraram meios de sobreviver".

De maneira especial, estão unidos com milhares de migrantes e também com aqueles de outros países, cujos filhos e irmãos passaram pela Guatemala. "Que a Divina Providência e o compromisso cristão - esperam eles - os ajudem a salvaguardar o maior tesouro: o da própria vida".

Os bispos usam palavras de apreço pelo "maravilhoso serviço dos trabalhadores da saúde e de todos os voluntários; serviço marcado em todo o mundo pelo heroísmo na pandemia, assim como por inúmeros sacrifícios pessoais, inclusive de suas próprias vidas".

Por fim, convidam a viver o itinerário sinodal, que já começou na América Latina e no Caribe com a Assembleia Eclesial em novembro, acolhendo assim o convite do Papa Francisco para "caminhar juntos", a fim de que "avançando na comunhão, participação e missão, possamos chegar alegremente ao final desta etapa no ano 2023".

 

México:

Violência contra membros da Igreja Católica

 

De 1990 a 2021, 79 membros da Igreja Católica do México foram vítimas de violência. É o que revela o relatório anual do Centro Católico Multimedial (CCM) do México.

De acordo com o mapeamento, as vítimas dos ataques foram: um cardeal, 61 padres, um diácono, quatro religiosos, nove leigos e um jornalista católico. Atualmente, dois padres estão desaparecidos.

Segundo o relatório, neste período, quatro padres foram assassinados no país. Outros membros da Igreja Católica no México sofreram ameaças, extorsão, sequestro e tortura.

O relatório explica que “estes dados são evidentes pelas denúncias nos meios de comunicação e nas redes sociais dos bispos ao perceberem as modalidades que os criminosos praticam e que estão sofrendo mutações conforme as necessidades de arrecadação de dinheiro obtido ilegalmente”.

No entanto, destaca o relatório, os números podem ser ainda maiores do que os apresentados, já que “nem o Ministério Público Estadual nem o Ministério Público têm dado respostas claras a este fenômeno, pelo contrário, as investigações são irregulares e com grandes lacunas”.

Por fim, mais um dado alarmante: de acordo com o levantamento, “80% dos casos de assassinatos, extorsões, ataques e roubos contra igrejas católicas não foram resolvidos”.

Infelizmente. o México continua a ser um país perigoso para exercer o sacerdócio.

 

Argentina:

Fecham o Seminário de São Rafael

Fieis fazem Vía Crucis

 

Em 27 de novembro, dia em que a Igreja celebra a festa da Virgem da Medalha Milagrosa, encerrou finalmente o Seminário Santa Maria Mãe de Deus da Diocese de São Rafael, província argentina de Mendoza. Fieis do lugar que no estão de acordo com a medida, cujas razões ainda não são conhecidas, participaram numa Via Crucis

a qual começou às 7:00, para terminar às portas da entrada do Seminário. “Foi uma oração dolorosa cheia, porém, de coração cristão”, comentam os fieis.

Na oração, “pediu-se pelo seminário diocesano; pelos seminaristas; pelos seus familiares, pela dor das suas mães; pelos jovens da diocese, pelas vocações sacerdotais, pelas escolas católicas, pelos fiéis da diocese; pelos sacerdotes fiéis, pelos sacerdotes que atendem a missão em Cuba”.

 “Todos estes sofrimentos que padece a Igreja de hoje, foram depostos aos pés da Cruz, para, uni-los ao sacrifício redentor de Nosso Senhor Jesus Cristo”, afirmaram.

O Seminário “Santa Maria Mãe de Deus” de São Rafael, desde a sua criação, tem-se destacado pela sua fidelidade à Igreja e a reta formação que ali recebem os futuros padres.

Perante o êxito do seminário e o receio de outros bispos, existiram pressões para que fosse enviado um visitador do Vaticano o qual chegou de 11 a 14 de junho de 1986. O resultado foi a confirmação da obra pelo próprio Papa São João Paulo II.

 Numa Diocese com uns 300.00 habitantes, há afora 70 sacerdotes diocesanos. Dos ordenados nos últimos 15 anos, somente um deixou o ministério.

Das aulas do Seminário saíram uns 150 sacerdotes que servem em vários países como Espanha, Itália, Cuba e Estados Unidos.

Mais de 30 fizeram estudos de pós-graduação em Buenos Aires, Estados Unidos Europa. Todas estas cifras são recorde para a Argentina.

O Seminário contava com 40 seminaristas que agora serão realojados, como explicou o Bispo de São Rafael.

 

Cuba:

Bispos pedem respeito pela liberdade de expressão

 

A Conferência Episcopal de Cuba lançou um apelo ao respeito pela liberdade de expressão, no final da sua 158ª Plenária que decorreu em Havana.

“Qualquer cubano deveria poder expressar-se e partilhar, com liberdade e respeito, as suas próprias opiniões, pensamentos ou convicções, mesmo quando divergem da maioria”, indicam os bispos católicos, em comunicado divulgado online.

Uma manifestação, a “Marcha Cívica pela Mudança”, foi proibida pelo Governo cubano, havendo denúncias de prisão de dissidentes e lideranças da oposição. “Todas as pessoas merecem estima e reconhecimento da sua dignidade, pela sua condição de ser humano e filho de Deus, por ser um cidadão livre, sujeito de direitos e deveres”, referiram os bispos cubanos, na última semana.

A Conferência Episcopal pediu “um gesto de indulgência” para as pessoas ainda presas após os protestos de 11 de julho, quando milhares de cubanos saíram às ruas para se manifestarem pacificamente contra a situação económica, a escassez de medicamentos e a falta de resposta das autoridades à pandemia de Covid-19. “Qualquer ato de violência física, verbal ou psicológica fere gravemente a alma da nação cubana e contribui ainda mais para a dor, o sofrimento e a tristeza das famílias”, indicam os responsáveis.

A Igreja Católica apela a um “projeto nacional que comprometa e motive” todos os cidadãos, “sem medo de intimidações e represálias”.

“Que as várias propostas sobre o destino presente e futuro do nosso país encontrem um espaço saudável, de tolerância e harmonia, estabelecendo um diálogo harmonioso e civilizado para encontrar as melhores soluções”, concluem os bispos.

Nos últimos dias, dissidentes, promotores da manifestação e jornalistas independentes disseram ter sido retidos em casa pelas forças da ordem.

 

Costa Rica:

 Catedral de São José é declarada Santuário Nacional

 

A Catedral Metropolitana de San José, na Costa Rica, foi elevada ao status de Santuário Nacional durante uma celebração eucarística presidida esta semana por Dom José Rafael Quirós, Arcebispo de San José. No templo, que agora se converteu em um local de peregrinação, poderá ser venerada a imagem de origem espanhola que ali se conserva desde o ano de 1926.

 “São muitos os elementos que levaram a nossa Catedral a esta designação como Santuário. A Catedral atende muitas pessoas de todo o país que solicitam ser atendidas no Sacramento da Confissão, na visita ao Santíssimo e ao elevar suas orações a São José. A isto se une o centenário da ereção da Arquidiocese, e tudo o que a partir do ponto de vista histórico significa São José para a província e o país inteiro”, afirmou o prelado.

De acordo com a Conferência Episcopal da Costa Rica, desde a convocação do Ano de São José, realizada pelo Papa Francisco, Dom Quirós constituiu uma comissão especial para programar o que se realizaria durante o ano. “Foi assim que ao refletir sobre a figura de São José desde a encarnação do Senhor e sua presença na vida de Jesus e Maria, considerou, logo consultar o conselho presbiteral e realizar outras consultas, solicitar à Conferência Episcopal erigir a Catedral como Santuário Nacional”, diz nota da Conferência dos Bispos do país.

A Costa Rica possui, além da Catedral Metropolitana, outros cinco Santuários: a Basílica dos Anjos, em Cartago; Santo Cristo de Esquipulas, em Alajuelita; Santo Cristo de Esquipulas, em Santa Cruz; Doce Nome de Jesus, em San José; e Sagrado Coração de Jesus, também em San José. (EPC).

 

Canadá:

Governo manda fechar igrejas

e arcebispo celebra Missa ao ar livre,

com neve e abaixo de zero

 

O Canadá voltou a mandar fechar igrejas sob a alegação de conter a nova onda de contágios pelo coronavírus causador da covid-19, cuja mais recente mutação, a ómicron, aparenta ser menos letal que as anteriores, mas de proliferação muito mais rápida.

Ainda que seja imperativo tomar medidas preventivas contra mais uma onda de internações e mortes pela doença, os precedentes no Canadá levantam consideráveis questionamentos relativos ao tratamento às igrejas no país.

Em 2020, por exemplo, o governo canadense, que é um dos mais laicistas da atualidade em todo o planeta, já tinha aplicado restrições clamorosamente desproporcionais às práticas religiosas nas igrejas, mesmo com as paróquias seguindo à risca todos os protocolos sanitários. Na província de Québec, os cassinos podiam receber até 250 pessoas, enquanto as igrejas apenas 50; o comércio de maconha chegou a ser listado como “serviço essencial”, enquanto as Missas presenciais foram excluídas das atividades permitidas à população.

Na ocasião, o cardeal arcebispo de Québec, dom Gérald Cyprien Lacroix, protestou publicamente contra a falta de diálogo e de coerência das autoridades da província em várias medidas de combate ao coronavírus:

“Desde o início temos sido bons companheiros, fazendo a nossa parte pelo bem de todos e colaborando no esforço coletivo durante esta crise. Era necessário ser solidários e nós fomos. Mas as autoridades do governo não nos levam a sério. Em nenhum momento conseguimos estabelecer um diálogo franco e direto com o governo e com os funcionários da saúde pública (…) As comunidades de fé, que certamente podemos considerar um serviço essencial, foram praticamente ignoradas. Não dá para entender. Os católicos têm o direito de ser considerados com respeito e não ignorados e relegados. Nosso governo evita qualquer diálogo aberto e sereno com os líderes das comunidades de fé. Isto não é saudável para a nossa sociedade de Québec”.

Transcorrido mais de um ano desde então, eis que, faltando apenas uma semana para o Natal de 2021, o governo canadense decretou que somente as pessoas vacinadas poderiam participar das Missas – e, mesmo assim, as igrejas só poderiam receber 50% da sua capacidade total.

Em 30 de dezembro, porém, o governo resolveu tornar ainda mais restritivas as suas diretrizes sanitárias, agora proibindo totalmente as reuniões de pessoas em lugares de culto – ou seja, emitindo novamente a ordem de fechar igrejas.

Dom Christian Lépine, arcebispo de Montréal, reagiu com uma resposta inusitada: respeitando as normas do governo e, ao mesmo tempo, não abandonado os fiéis e o seu direito de receber a Santíssima Eucaristia, ele resolveu transformar o estacionamento da catedral de Marie-Reine-du-Monde em local de encontro para Missas ao ar livre, em pleno rigor do inverno canadense, com neve e temperaturas (bastante) abaixo de zero.

Ele mesmo descreveu o cenário:

“Vacinados e não vacinados podem vir juntos à Missa ao ar livre para encontrar o Senhor no sacramento da Comunhão”.

Dom Christian Lépine comparou a situação com a de Maria e José quando não achavam abrigo em Belém para o nascimento de Jesus: tiveram de se adaptar a uma estrebaria que, praticamente, equivalia a ficar à intempérie.

 

Brasil:

Papa manifesta proximidade às vítimas das inundações

 

O Papa recordou no Vaticano as vítimas das recentes cheias no Brasil, que provocaram dezenas de mortes e deixaram 30 mil pessoas sem casa.

“Manifesto a minha proximidade às pessoas atingidas pelas fortes chuvas e inundações em várias zonas do Brasil, nas últimas semanas”, disse Francisco, da janela do apartamento pontifício.

Perante os peregrinos que acorreram à Praça de São Pedro, para a recitação dominical do ângelus, o Papa evocou em particular as vítimas mortais, seus familiares e quem perdeu a sua casa. “Que Deus sustente o esforço de quem lhes está a prestar socorro”, acrescentou.

O Estado de Minas Gerais é o mais afetado pelas enchentes, que atingem também a Bahia, afetando mais de 600 mil pessoas.

O arcebispo de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), D. Walmor Oliveira de Azevedo, manifestou solidariedade às vítimas e visitou comunidades atingidas na região metropolitana da capital mineira.

A iniciativa ‘Solidariedade em Rede’ reúne paróquias da arquidiocese para ajudar as centenas de famílias atingidas.

A CNBB criou uma página especial para recolher ajuda de emergência, destinada às vítimas da tragédia.

 

Bolívia:

Presépio gigante foi inaugurado na cidade de Oruro,

a cerca de 200 quilómetros ao sul de La Paz

 

O presépio está composto por uma imagem do menino Jesus com 2,50 metros de altura, Nossa Senhora, de 6 metros, e S: José, e 7 metros.

As esculturas desenhadas pelo artista Rolando Rocha foram fabricadas por uma equipa de seis personas, em fibra de vidro, espuma de polipropileno e de poliuretano.

Rocha, el escultor que também criou a imagem da Virgem del Socavón, manifestou al diário El Imparcial que o nascimento é o “maior do país para recuperar a própria essência do Natal, que é a unidade da família. O significado do nascimento do Menino Jesus que nos traz a esperança e a fé”.

A inauguração realizou-se em 18 de dezembro e foi acompanhada de canções do Natal, e esteve a cargo do município de Oruro.

 

Brasil:

Terá uma estátua de Jesus maior do que o Cristo Redentor

 

Cristo Protector terá 36 metros de largura, da mão esquerda à direita. Una vez terminado o monumento, os visitantes poderão tomar um ascensor interior até ao coração no peito da estátua, de onde terão uma vista panorâmica de Encantado, o lago Garibaldi e o vale de Taqualdi.

Está a construir-se uma estátua de Cristo no Brasil que será ainda maior do que a estátua do Cristo Redentor do Rio de Janeiro. A imagem que tem estado em construção no Cerro das Antenas, desde 20 19, chamar-se-á Cristo Protetor

A imagem, que esteve em construção desde 2019, se chamará Cristo Protector e está a construir-se no Cerro das Antenas, perto de Encantado no estado de Rio Grande do Sul.

O Cristo Protector terá 43 metros de altura. Uma vez completado, os visitantes poderão tomar um ascensor interior até ao coração no peito da estátua, de onde terão uma vista panorâmica de Encantado, o lago Garibaldi e o vale de Taquari.

Estas dimensões superam as de Cristo Redentor, construído em 1931 no Cerro do Corcovado do Rio de Janeiro, de cimento armado, com 38 metros de altura sobre um pedestal de 8 metros. Os braços de Cristo Redentor se estendem a 28 metros.

O Cristo Protector foi desenhado pelo escultor Genésio Gomes de Moura e pelo seu filho, Moisés Markus Moura.

 

Haiti:

Libertados mais três dos 17 missionários sequestrados

 

Três dos 17 missionários norte-americanos (16 dos Estados Unidos da América e um do Canadá) sequestrados no dia 16 de Outubro em Port-au-Prince, capital do Haiti, foram libertados este domingo à noite, anunciou o Washington Post.

O jornal cita um comunicado da organização Christian Aid Ministries, que refere não poder fornecer as identidades das pessoas que foram libertadas ou os motivos da sua libertação. Dois missionários já tinham sido libertados em novembro. Os raptores, o famoso gangue 400 Mawozo, exigiram um resgate de um milhão de dólares por cada vítima. Ainda permanecem sequestrados 12 missionários.

 

Estados Unidos da América:

Aguardado documento dos bispos sobre a Eucaristia

 

O documento “O Mistério da Eucaristia na vida da Igreja” foi aprovado pela Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB, pela sigla em inglês) em 17 de novembro. Os votos eletrónicos secretos somaram 222 a favor, 8 contra e 3 abstenções. Na assembleia anterior dos bispos, realizada em junho, eram 168 votos a favor e 55 contrários ao conteúdo, então em processo de elaboração. Para aprovação final, requeriam-se dois terços do total de votos.

O propósito deste documento é exaltar a importância de se ensinar a Presença Real de Jesus Cristo na Eucaristia e, por conseguinte, o papel central da Comunhão Eucarística na evangelização. Por isso mesmo, reforça-se a necessidade do estado de graça para se receber dignamente o Corpo de Cristo, o que não é possível no caso dos católicos que insistem em adotar e defender posturas condenadas explicitamente pela doutrina cristã como pecado grave. Este é o caso, notoriamente, do aborto provocado, por se tratar de assassinato.

Nesse contexto, houve grande debate no país, com repercussões até na mídia laica, a respeito das diretrizes para se negar a Comunhão aos católicos publicamente em pecado por defenderem e promoverem o aborto.

O texto final aprovado pelos bispos não trata explicitamente da negativa da Comunhão, porque o assunto já é definido no direito canônico como prerrogativa dos sacerdotes. Ainda assim, o documento do episcopado norte-americano reforça os requisitos para se comungar dignamente.

O texto estrutura-se em duas seções: na primeira, intitulada “O dom”, apresenta-se a Eucaristia como, precisamente, um dom de Cristo; na segunda, “Nossa resposta”, aborda-se a gratidão pelo dom da Eucaristia, a sua importância na conversão pessoal e a responsabilidade dos leigos no tocante a recebê-la com dignidade

 

Cuba:

Atiram ovos contra casa de sacerdote.

 

Em meados de janeiro a casa paroquial do sacerdote cubano Rolando Montes de Oca, denunciou que a casa paroquial em que vive, na Arquidiocese de Camaguey foi novamente vandalizada com ovos atirados contra a fachada,

 “Mais ovos contra a minha casa paroquial em Vertientes, de novo também na minha ausência. Desta vez, muitos mais do que da última vez, (calculam uns dez) embora agora sem a nota de “gusano asqueroso que me deixaram naquela ocasião”.

O sacerdote tem várias vezes sido crítico contra o regime cubano, por causa das violações dos direitos humanos.

A 19 de setembro de 2021 foi a primeira vez que a casa paroquial foi vandalizada e, quase um mês depois, o P. Montes denunciou que um carro de cor cinzenta que transportava dentro alguns membros da Segurança do Estado seguia-o.

 

 

Brasil:

Cáritas Brasileira dinamiza campanha solidária

com população da Bahia e de Minas Gerais

 

A Cáritas Brasileira Regional Nordeste 3 está a dinamizar a campanha ‘#SOS Bahia e Minas Gerais: Solidariedade que Transborda’ para ajudar as populações que foram “afetadas pelas fortes chuvas”, temporais “causados por um ciclone extratropical”.

Na informação, a Cáritas pede apoio para comprar “alimentos, água potável, roupas, fraldas infantis e adultas”, artigos de higiene pessoal e de proteção contra a Covid-19.

A campanha vai ajudar as populações atingidas “pelas fortes chuvas” que afetaram “mais de 430 mil pessoas” na Bahia.

“As famílias tiveram que deixar suas casas e enfrentam neste momento situações de dificuldades com falta de alimentos, água potável e abrigo”, acrescenta a organização católica.

A Cáritas Brasileira Regional Nordeste 3 indica que as populações do sul, extremo sul e Vale do Jiquiricá no centro-sul da Bahia e dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri de Minas Gerais precisam de apoio, e contabiliza que 116 municípios foram afetados pelas chuvas e 100 “decretaram situação de emergência”.

As autoridades regionais informaram que as fortes chuvas que atingem o nordeste brasileiro desde o final de novembro já fizeram 20 mortos e 300 feridos, além de mais de 35.000 desalojados apenas no estado da Bahia.

 

 OCEANIA

 

Filipinas:

Igreja paroquial do século 17

é elevada a Santuário Diocesano 

 

A Igreja de Baras, pertencente à Diocese de Antipolo, Filipinas, foi oficialmente elevada a categoria de Santuário Diocesano. A cerimónia ocorreu na véspera da Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, celebrada no dia 8 de dezembro.

Na ocasião também foi concluído o Ano de São José, por conta disso, peregrinos de outras seis igrejas dedicadas ao pai adotivo de Jesus também prestigiaram o evento.

Em sua homilia, o Padre Randy Marquez dos Oblatos de São José apresentou três razões pelas quais a Igreja de Baras foi elevada ao status de Santuário diocesano. “Em primeiro lugar, todos nós amamos São José. Em segundo lugar, amamos promover São José. E em terceiro, esperamos imitar São José em suas virtudes e ações ”, afirmou.

Segundo o reitor do novo Santuário, esta é a paróquia mais antiga dedicada a São José da região sul do Tagalo, com 335 anos de existência, o que torna o lugar histórico para a devoção ao pai adotivo de Jesus.

A Igreja de Baras é a quinta a ser declarada santuário diocesano no Ano de São José nas Filipinas. As outras são: o Santuário Diocesano de San José de Navatos, na Diocese de Kalookan; a Catedral e Santuário-Paróquia de São José Operário em Tagbilaran, Bohol; o Santuário Arquidiocesano de São José em Sinacaban, Misamis Ocidental; e o Santuário Arquidiocesano de São José Operário em Baggao, Cagayan.

A Igreja Católica nas Filipinas instituiu também oficialmente os ‘Homens de São José’ (MOSJ), uma associação católica leiga de varões comprometidos com Nosso Senhor Jesus Cristo e consagrados ao seu pai adotivo.

 

Indonésia:

Papa envia mensagem às vítimas de erupção vulcânica

 

O Papa enviou um telegrama de condolências às vítimas da erupção do vulcão Semeru, na ilha de Java, Indonésia, lamentando o impacto desta “imensa tragédia”.

Pelo menos 22 pessoas morreram e 27 continuam desaparecidas após o maior vulcão da ilha de Java ter entrado em atividade, segundo a mais recente atualização do número de vítimas divulgada pelas autoridades locais.

Francisco “assegura as suas orações pelos mortos, feridos e deslocados, assim como os que trabalharam na ajuda de emergência e autoridades civis envolvidas nas operações de resgate”.

O frade carmelita Marco Pantja Anugrah Putra, coordenador do grupo de solidariedade da Diocese de Malang, disse à ‘UCA News’ que a Igreja local começou imediatamente a recolher fundos e ajuda material para apoiar os sobreviventes e os afetados pelo desastre, apelando a donativos de “roupa, kits de higiene, vassouras, pás e outras ajudas materiais”.

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial