Jornadas Mundiais da Juventude 2023

 

 

Papa:

O Santo Padre convida jovens a «peregrinação espiritual»

até Lisboa JMJ 2023, depois da experiência da pandemia

 

O Papa convidou os jovens de todo o mundo a uma “peregrinação espiritual” na preparação para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de 2023, em Lisboa, depois da experiência de pandemia, nos últimos meses.

“Gostaria de tomar-vos pela mão, mais uma vez, para continuarmos juntos na peregrinação espiritual que nos conduz rumo à Jornada Mundial da Juventude de Lisboa em 2023”, escreve Francisco, na sua mensagem para a JMJ 2021, que se vai celebrar a nível local, na solenidade litúrgica de Cristo Rei (21 de novembro).

A mensagem, divulgada pelo Vaticano, deixa votos de que os jovens católicos vivam as várias etapas que levam à edição internacional da JMJ 2023, na capital portuguesa, como “verdadeiros peregrinos e não como ‘turistas da fé’”.

“Ajudar-nos-emos uns aos outros a levantar-nos juntos e, neste difícil momento histórico, tornar-nos-emos profetas de tempos novos, cheios de esperança”, aponta.

Francisco deixa desafios às novas gerações, para que sejam capazes de testemunhar a “comunhão da Igreja”, o amor e o respeito nas relações humanas, a esperança e a fé em Jesus Cristo. O Papa aponta ainda como prioridades a “justiça social”, a defesa dos não têm voz na sociedade e a “a ecologia integral”.

O texto evoca o impacto da pandemia na vida dos mais novos, com a morte de muitos familiares e o isolamento social. “Em muitos casos, surgiram problemas familiares, bem como desemprego, depressão, solidão e vícios; para não falar do stress acumulado, das tensões e explosões de raiva, do aumento da violência”, assinala o pontífice.

Francisco sublinha que os últimos meses realçaram, por outro lado, a “predisposição à solidariedade” dos jovens, chamados a escrever “uma página nova na história da humanidade”.

A mensagem da JMJ 2021 tem como tema ‘Levanta-te! Constituo-te testemunha do que viste’, uma passagem do livro dos Atos dos Apóstolos em que Jesus se dirige ao Apóstolo Paulo (cf. At 26, 16).

“Não basta ter ouvido outros a falarem de Cristo; é necessário falar com Ele pessoalmente. No fundo, rezar é isto. É falar diretamente com Jesus, embora porventura tenhamos o coração ainda em desordem, a cabeça cheia de dúvidas ou mesmo de desprezo por Cristo e pelos cristãos”, realça o Papa.

Francisco alerta para a necessidade de rejeitar a violência e a destruição, considerando que os meios digitais se podem tornar um “novo campo de batalha”, com a divulgação de “notícias falsas”.

A mensagem destaca que “não se pode conhecer Jesus, se não se conhece a Igreja”, destacando a importância da dimensão eclesial da fé.

 “Renovo a todos vós, jovens do mundo inteiro, o convite a tomar parte nesta peregrinação espiritual que nos levará à celebração da Jornada Mundial da Juventude em Lisboa no ano de 2023”, conclui o Papa.

 

Espanha:

Peregrinação dos símbolos da JMJ

passou por 44 dioceses, a caminho de Lisboa 2023

 

          A peregrinação dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) pelas dioceses de Espanha terminou no fim de outubro, com a passagem da Cruz e do ícone de Maria para a Diocese do Algarve, a caminho da edição internacional de Lisboa 2023.

“Foi uma autêntica aventura”, disse à Agência Ecclesia o diretor da Subcomissão de Jovens e Crianças, da Conferência Episcopal Espanhola, o padre Raúl Tinajero.

O sacerdote considera que a iniciativa foi “uma bênção”, fazendo um balanço muito positivo desta peregrinação, que provocou uma grande participação dos jovens, rumo à JMJ 2023, mobilizando as comunidades após o momento de alguma paragem determinado pela pandemia. “Precisamos destes momentos para que os jovens sintam um protagonismo real, para sair e evangelizar”, acrescenta.

O padre Raúl Tinajero admite a necessidade de transformar a comunicação da Igreja Católica e encontrar “uma linguagem que aproxime dos jovens”.

A cruz peregrina e o ícone mariano atravessam o rio Guadiana, de barco, para Portugal.

O responsável pela pastoral juvenil de Huelva, Enrique Uzcátegui, destaca a oportunidade dos jovens da diocese “reconhecerem que a Igreja é uma grande família que transcende qualquer tipo de fronteira”.

O programa dos dois símbolos incluiu a passagem por escolas, universidade, procissões, e a Eucaristia de despedida foi presidida por D. Santiago Gómez, na cidade de Ayamonte.

A cruz e o ícone de Nossa Senhora ‘Maria Salus Populi Romani peregrinaram por 44 dioceses, reunindo centenas de jovens em vigílias de oração, concertos e encontros festivos, desde o dia 5 de setembro, quando esta viagem começou na Diocese de Ciudad Rodrigo.

          A Pastoral da Juventude na Espanha destaca que a peregrinação dos símbolos da JMJ pelas dioceses locais deixou “grandes momentos” ao longo de oito semanas, que podem ser revividos nas galerias de fotografias de cada uma das semanas.

Para além de Espanha, os dois símbolos da JMJ já peregrinaram em Angola, onde estiveram pela primeira vez e passaram por oito dioceses, e na Polónia, que já recebeu duas edições da Jornada Mundial da Juventude.

Chegados a Portugal, a cruz e o ícone de Nossa Senhora foram levados em procissão para a igreja matriz de Vila Real de Santo António; depois foram para a Praça da República, para uma vigília de oração, presidida pelo bispo da Diocese do Algarve, até à meia noite.

 

Portugal:

Escuteiros interpretam hino da Jornada Mundial da Juventude

em Língua Gestual Portuguesa

 

O Corpo Nacional de Escutas (CNE) publicou um vídeo com jovens do movimento a interpretar o hino da Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 em Língua Gestual Portuguesa (LGP), para assinalar o dia 23 de setembro.

No vídeo, com imagens de Lisboa, participam escuteiros de todas as idades – lobitos, exploradores/aventureiros/moços,pioneiros/marinheiros/tripulantes,  caminheiros/companheiros/aeronautas, – que interpretam o hino da JML 2023.

O CNE divulgou o vídeo no âmbito do ‘dia 23’, data em que mensalmente as dioceses católicas de Portugal mobilizam os seus jovens com atividades de preparação rumo à edição internacional da Jornada Mundial da Juventude, que se vai realizar em Lisboa, em 2023.

A organização da JMJ 2023 anunciou no dia 4 de outubro as datas do encontro na capital portuguesa.

O COL apresentou o hino oficial do encontro internacional de jovens católicos, com assinatura portuguesa, do padre João Paulo Vaz e o músico Pedro Ferreira, em janeiro deste ano.

‘Há Pressa no Ar’ parte do tema escolhido pelo Papa para a JMJ Lisboa 2023 – ‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’ (Lc1,39).

O hino foi inicialmente gravado em português e numa versão internacional, com cinco idiomas (português, inglês, espanhol, francês e italiano). Tem também uma versão em chinês e latino-americana, que integra diferentes géneros que identificam a região.

Neste dia 23 comemora-se também o Dia Internacional das Línguas Gestuais, adotado na Assembleia Geral das Nações Unidas a 19 de dezembro de 2017.

O Centro de Informação Europeia Jacques Delors informa que se estima que existem aproximadamente 72 milhões de pessoas surdas no mundo, e que estas dispõem, na sua comunicação, de 300 diferentes signos linguísticos.

 

Angola:

Jovens viveram «experiência única e maravilhosa»,

de «fé e liberdade» com os símbolos da Jornada Mundial da Juventude

 

Os jovens angolanos e responsáveis paroquiais testemunharam a experiência “única e maravilhosa” de receberem os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) – a cruz e o ícone de Nossa Senhora – em peregrinação no país lusófono.

“Um privilégio muito grande, muitos países não conseguiram ter os símbolos e nós tivemos essa graça. É um momento de muita fé e de muita renovação espiritual”, disse Cassilda Sandira em declarações à Agência Ecclesia.

A jovem da Paróquia Beata Anuarite Nengapeta afirma que depois da peregrinação dos símbolos em Angola “a vida dos jovens que foram realmente tocados não será a mesma” e “despertou o entusiasmo” de vários jovens em participarem na próxima edição internacional da JMJ, em Lisboa, no verão de 2023.

“Uma experiência única e maravilhosa, onde os símbolos passam é notável o número de jovens a participar, o esforço que fazem para estar perto dos símbolos”, salientou.

A Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora “Salus Populi Romani” da Jornada Mundial da Juventude peregrinaram pelas dioceses angolanas durante 40 dias, desde 8 de julho até 17 de agosto.

O padre Pedro Pereira Tomás, pároco da Beata Anuarite Nengapeta, sublinha que a presença dos símbolos na sua comunidade paroquial “significou um momento de fé, de união com a Igreja” e de motivação da juventude.

“Esperança que todo o sofrimento dos jovens seja partilhado com o sofrimento de Cristo na cruz”, é o que o sacerdote destaca desta peregrinação, e realça que a cruz “não é o fim, por isso momentos melhores virão para a juventude angolana”.

Para Dulce Jesus, da Paróquia da Conceição – Sé, a presença dos símbolos foi “alegria e liberdade”, e no primeiro encontro com a cruz e o ícone mariano e conhecer as sua história e percurso, viu “um grande entrosamento e a entrega dos jovens”.

Os símbolos foram recebidos na Arquidiocese de Luanda e passaram pelas dioceses do Sumbe, de Benguela, Huambo, Menongue, no extremo sul do país, Cuito-Bié, Lubango, Viana e Caxito, antes de regressarem à capital angolana para a festa e celebração de despedida, esta terça-feira.

“Nunca pensei que um dia veria esta cruz dada pelo nosso Papa João Paulo I; O sentimento de alegria faz com que nos encostemos diante desta cruz vencedora», afirma Domingos José Miguel, que destaca, sobre o ícone de Nossa Senhora, que Maria está sempre “a olhar”, qualquer que seja o lado em que se posicione em relação ao quadro.

Os símbolos participaram na Jornada Diocesana da Juventude de Luanda, e o jovem da Paróquia de São Carlos Lwanga explica que a Igreja tem como desafio “evangelizar”, numa arquidiocese com “uma fraca participação dos jovens” mas esta participação vai-se ativando e acreditamos nessa juventude. O sentimento de alegria faz com que nos encostemos diante desta cruz vencedor.

Sandra dos Santos, coordenadora na Paróquia S. Carlos Lwanga, explica que no processo pós pandemia Covid-19 viveram “um momento muito difícil” e com a chegada dos símbolos conseguiram “renovar a fé e o compromisso enquanto agentes pastoral”.

“A Jornada Mundial Lisboa é um desejo, desde tenra idade que aspiro participar. Será uma oportunidade para partilhar a experiência com a juventude de todo o mundo”, adiantou.

 

JMJ 2023:

Símbolos da Jornada Mundial da Juventude

começam peregrinação de dois anos em Portugal

 

Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) iniciaram uma peregrinação de dois anos em Portugal, antecipando o encontro internacional promovido pela Igreja Católica que Lisboa recebe de 1 a 6 de agosto de 2023.

Os símbolos foram entregues a jovens de Portugal, na Diocese do Algarve, numa travessia simbólica do rio Guadiana, após terem passado por 44 dioceses espanholas, sendo recebidos em Vila Real de Santo António.

A delegação portuguesa foi liderada pelo presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, D. Américo Aguiar, e pelo bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, acompanhados pelo padre Filipe Diniz, diretor do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil (DNPJ) e responsável pela peregrinação dos símbolos em Portugal, para além de outros responsáveis católicos e autárquicos.

A cruz e o ícone de Nossa Senhora foram levados em procissão para a igreja matriz de Vila Real de Santo António, seguindo-se uma vigília de oração, presidida pelo bispo do Algarve.

D. Manuel Quintas saudou os presentes, convidando-os a iniciar uma “peregrinação espiritual”, iluminados pelo simbolismo da cruz de Jesus, desejando que o próximo mês represente um apelo a “crescer em fraternidade”, na diocese. “A Cruz ganhou as dimensões da largura do Rio Guadiana, uniu as duas margens”, assinalou.

 

JMJ 2023:

Responsáveis diocesanos reuniram-se nos Açores

 

O Centro Pastoral Pio XII em Ponta Delgada, ilha açoriana de São Miguel, acolheu mais uma reunião entre o Comité Organizador Local (COL) da JMJ Lisboa 2023 e o Comités Organizadores Diocesanos (COD). “Este fim de semana serve sobretudo para experimentarmos um momento de grande comunhão e eclesialidade”, referiu ao portal ‘Igreja Açores’ o responsável pelo Comité Diocesano de Angra, padre Norberto Brum.

Segundo o responsável, os participantes procuraram “trocar informação, avaliar o caminho já feito e projetar ações futuras”. Esta foi a primeira reunião alargada, fora de Lisboa, entre o COL e os COD, projetando a edição da Jornada Mundial da Juventude que a capital portuguesa vai acolher, no verão de 2023.

O encontro visou a troca de informação entre o COL e os Comités diocesanos com a presença do bispo de Angra, D. João Lavrador, e de D. Américo Aguiar, presidente da Fundação JMJ- Lisboa 2023.

A Diocese de Angra assinalou o início do encontro  com um momento cultural açoriano; no domingo, a Eucaristia na Igreja de Nossa Senhora de Fátima, no Lajedo, em Ponta Delgada, foi o momento conclusivo.

O COL promove reuniões periódicas com os COD, com o objetivo de “envolver todas as dioceses de Portugal na preparação da JMJ Lisboa 2023”.

 

Portugal:

Pastoral do Ensino Superior lançou «coordenadas»

para caminhada com os universitários rumo à JMJ 2023

 

O Serviço Nacional da Pastoral do Ensino Superior (SNPES), da Conferência Episcopal Portuguesa, lançou coordenadas para uma “caminhada com os jovens universitários rumo à JMJ 2023”, a Jornada Mundial da Juventude em Lisboa, na primeira reunião do novo ano académico.

Num comunicado enviado à Agência Ecclesia, o SNPES informa que este é o primeiro ano de um triénio onde vão procurar centrar-se na “revitalização da evangelização dos estudantes universitários”, tendo no horizonte a JMJ Lisboa 2023.

O presidente da Fundação Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023, D. Américo Aguiar, desafiou os participantes a abrir “novos caminhos de evangelização”, incitando à mudança do tradicional programa pastoral por “projetos de proximidade, criativos e audazes” que vão ao encontro dos jovens universitários que se encontram à margem das estruturas convencionais da Igreja e que “não tiveram a oportunidade de conhecer a mensagem do Evangelho”.

Segundo o Serviço Nacional da Pastoral do Ensino Superior, neste encontro foram “alertados” para a existência de “muitos jovens à espera do anúncio” e incentivada a refletir sobre como é que “a Igreja poderá chegar a tantos universitários que se encontram afastados do universo religioso”.

O SNPES reuniu representantes dos diversos serviços e movimentos de pastoral universitária a nível nacional, que estão representados neste organismo da Igreja Católica em Portugal, no dia 2 de outubro, em Fátima.

Os representantes com jovens universitários, de todos os sítios do país, incluindo as ilhas, deram início aos preparativos do Encontro Nacional de Estudantes, que se vai realizar a 5 de março de 2022, onde procurarão “despertar” nos universitários “o desejo” de começar um caminho de reflexão, discernimento e oração em direção à JMJ de 2023.

 “É necessário sair do seu formato e linguagem habituais, de modo a proporcionar oportunidades para os ouvir, acolher e chamá-los para uma vivência em verdadeiro espírito de comunhão com outros jovens, numa atitude de proximidade desinteressada, mas preocupada e atenta aos desafios que os mesmos vivem na sociedade atual”, acrescentou o SNPES.

O Serviço Nacional da Pastoral do Ensino Superior visa coordenar e apoiar os serviços de Pastoral Universitária e de Ensino Superior nas diferentes dioceses, e a próxima reunião do seu conselho está agendada para o dia 29 de janeiro de 2022, e vai realizar-se entre as 10h00 e as 13h00, na Casa de São Nuno, em Fátima.

 

Funchal:

D. Nuno Brás indica Sínodo como processo

onde ninguém é «insubstituível» e «todos são indispensáveis»

 

D. Nuno Brás lembrou durante a celebração de início do Sínodo dos Bispos na Diocese do Funchal ser esta a ocasião que mostra que ninguém é “insubstituível” e que “todos são indispensáveis” na Igreja.

“Um povo onde sopra o Espírito do Senhor, que sempre renova a face da terra. Um povo que sabe escutar o entusiasmo irreverente do jovem, a certeza madura dos adultos, o ancião cheio de sabedoria. Um povo que se estende de uma ponta à outra do universo. Um povo onde todos têm lugar: santos e pecadores à procura de conversão. Um povo, multidão que procura transformar o seu tempo. Um povo que, nascido da morte e ressurreição de Jesus e do Espírito que nos faz um com o próprio Cristo, procura ser, no seio de uma humanidade dividida e em sofrimento, o lugar da unidade e da eternidade”, afirmou o bispo do Funchal na celebração de início do Sínodo dos Bispos na diocese do Funchal, a que presidiu na Sé, e de acolhimento das relíquias de São Tiago.

O responsável sublinhou o convite do Papa Francisco dirigido a todos para que participem no processo sinodal, para “olhar para o futuro, caminhando juntos, alimentados pela Eucaristia, de modo a que muitos outros possam também descobrir e encontrar Jesus ressuscitado”.

As dioceses portuguesas assinalam, a partir deste domingo, a fase inicial de consulta e mobilização das comunidades católicas no processo sinodal convocado pelo Papa, que decorre até 2023.

A auscultação das Igrejas locais é uma etapa inédita, desenhada pelo Papa Francisco, que pediu a cada bispo que replicasse a celebração de abertura que decorreu no Vaticano, a 9 e 10 de outubro, com uma cerimónia diocesana.

D. Nuno Brás assinalou a presente celebração a que convidou os diocesanos a participar como única: “Dificilmente participaremos numa outra celebração em que, com tal intensidade, nos vejamos envolvidos pelo mistério da Igreja nas suas diversas dimensões, como sucede com esta que agora vivemos”, indicou.

 

Porto:

Diocese iniciou caminhada rumo à Jornada Mundial da Juventude 2023

 

A Diocese do Porto promoveu o encontro “Porto de Partida”, que marcou a tomada de posse dos 22 Comités Organizadores Vicariais (COV) para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2023.

A atividade decorreu na Casa Diocesana de Vilar, na sexta-feira e sábado, organizada pelo Comité Organizador Diocesano (COD) e animado pelos padres Jorge Nunes e André Machado, contando com a apresentação do novo site do Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil (SDPJ).

Nestas sessões esteve presente o bispo do Porto, D. Manuel Linda, acompanhado pelos bispos auxiliares, D. Pio Alves e D. Vitorino Soares, e o padre Filipe Diniz, diretor do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil.

D. Manuel Linda lembrou S. João Paulo II, o Papa que criou as Jornadas Mundiais da Juventude, e uma das suas frases mais marcantes, para desafiar os jovens do Porto: “Não tenhais medo”.

O COD do Porto lançou um vídeo para assinalar o arranque da preparação rumo à JMJ 2023, destacando a peregrinação dos símbolos da JMJ, cruz peregrina e ícone mariano, na diocese, em outubro de 2022, e as pré-jornadas, em julho de 2023, quando o Porto vai acolher vários participantes internacionais no maior evento juvenil promovido pela Igreja Católica.

 

Lisboa 2023:

Jornada Mundial da Juventude vai decorrer de 1 a 6 de agosto

 

A edição internacional da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de Lisboa vai decorrer entre 1 e 6 de agosto de 2023, anunciou a organização do evento, o maior do género promovido pela Igreja Católica.

“É com muita alegria que revelamos que a Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 se realizará de 1 a 6 de agosto de 2023. O anúncio da data da JMJ, neste dia de São Francisco de Assis, é um momento muito importante para todos”, assinala D. Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa.

“Há muito que os jovens de todo o mundo desejavam conhecer a data da JMJ Lisboa 2023 para preparar com maior detalhe a vinda a Lisboa. Esperamos que os 22 meses que nos conduzirão à JMJ sejam um tempo de evangelização para todos”, acrescenta o responsável, em comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA.

O anúncio da data é apresentado pela organização como “um dos momentos significativos da preparação” da JMJ 2023.

“As equipas de trabalho que compõem o Comité Organizador Local (COL), órgão executivo da preparação e organização da JMJ Lisboa 2023, contam já com mais de 400 voluntários, a maioria dos quais portugueses”, acrescenta a nota de imprensa.

As 21 dioceses de Portugal têm também comités próprios, “encarregados de dinamizar no seu território o caminho de preparação até à JMJ”.

O anúncio da data da JMJ 2023, cuja edição internacional vai decorrer pela primeira vez em

O programa vai incluir catequeses e iniciativas culturais na cidade de Lisboa, antes dos encontros conclusivos sob a presidência do Papa, na zona do Parque Tejo, junto ao espaço que acolheu a Expo’98.

 

Setúbal:

O itinerário «Sentido 23» na Diocese

realiza-se em vários locais

 

O Departamento da Juventude da Diocese de Setúbal dá continuidade ao «Sentido 23», o itinerário que convoca os jovens da diocese rumo à JMJ Lisboa 2023, e em outubro, no dia 23, promoveu encontros em vários locais.

O mês de Outubro convidava os jovens a unirem-se em oração ao Santuário de Nossa Senhora do Cabo Espichel, a partir dos encontros que entretanto ocorreram, simultaneamente, no dia 23 de outubro (21h30), em diversos locais da Diocese de Setúbal, refere uma nota enviada à Agência Ecclesia.

As vigararias estiveram em comunhão de oração, partindo de um guião preparado pelos jovens da Paróquia do Castelo de Sesimbra que incluía uma mensagem do Bispo de Setúbal, D. José Ornelas, dirigida a todos os jovens.

O Santuário do Cabo Espichel acolheu o encontro da vigararia de Palmela/Sesimbra, o qual contou com a presença de D. José Ornelas, inserindo-se ainda no caminho de preparação para a Praça Central (evento da Conferência Nacional do Apostolado dos Leigos, que ocorrerá em novembro, na Diocese de Setúbal).

 

Lamego:

Jovens já programaram as atividades «Paragem 23»

 O Departamento da Pastoral Juvenil da Diocese de Lamego e o Comité Organizador Diocesano (COD) das Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ) que se realizam em 2023 na cidade de Lisboa já programaram as atividades deste setor da pastoral para os próximos meses.

Na Vila da Ponte (Sernancelhe) realizou-se, dia 23 de outubro, a iniciativa «Paragem 23», atividade diocesana que ajuda a preparar os jovens rumo às JMJ2023, que tem como tema «Levantai-vos! Vamos», lê-se numa nota enviada à Agência Ecclesia.

No dia 20 de novembro realiza-se Dia Mundial da Juventude e o XV Festival Diocesano da Canção na localidade de Resende.

Este ano, o Plano Pastoral do setor juvenil tem como tema “Maria levantou-se e partiu apressadamente”.

 

Coimbra:

Coro COD vai ser apresentado na Sé Nova

 Na caminhada da Diocese de Coimbra rumo à Jornada Mundial da Juventude 2023, a Sé Nova daquela cidade acolheu, em 24 de outubro, às 17h00, um “momento que marcará certamente todo este percurso”.

O COD Coimbra (Comité Organizador Diocesano) para a JMJ, entregou aos 21 COT’s diocesanos (Comités Organizadores Territoriais), o respetivo ícone JMJ 2023, que vai servir “não só para identificar o próprio organismo local como também para transportar todo o dinamismo que a JMJ proporciona, a todas as comunidades, jovens e famílias, numa união única e com um verdadeiro sentido de missão”, lê-se

Esta entrega foi feita numa celebração presidida pelo Bispo Auxiliar de Lisboa e presidente da fundação JMJ 2023, D. Américo Aguiar e o Bispo de Coimbra, D. Virgílio Antunes, sendo também o momento de apresentação do Coro COD Coimbra, constituído por dezenas de pessoas que se inscreveram para também eles como Maria “partirem apressadamente”.

 

Algarve:

Símbolos da JMJ passaram pelo Estabelecimento Prisional de Olhão

 

Os símbolos da JMJ – a cruz peregrina e o ícone mariano – visitaram o Estabelecimento Prisional de Olhão, no âmbito da peregrinação que estão a realizar na Diocese do Algarve, atualmente na Vigararia de Tavira.

O diretor do Estabelecimento Prisional de Olhão afirmou que a visita dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) era muito positiva e necessária para aquelas pessoas “que estão em sofrimento e que precisam também de apoio espiritual”.

“É uma mensagem de paz que é sempre bem-vinda. Atendendo mesmo até aos momentos conturbados que vivemos a todos os níveis e toda a carga emocional que isso traz associada, a vinda destes símbolos”, disse Alexandre Gonçalves, ao jornal diocesano “Folha do Domingo’.

O diretor do Estabelecimento Prisional de Olhão que também acompanhou a visita dos símbolos destacou como muito positiva e necessária para aquelas pessoas que “estão em sofrimento” e também precisam de “apoio espiritual”.

“A vinda destes símbolos é uma mensagem muito animadora e muito entusiasmante para as pessoas que cá estão e que também representa uma esperança no futuro”, acrescentou Alexandre Gonçalves.

Os dois símbolos foram levados pelo padre Rafael Rocha, responsável por acompanhar a comunidade prisional de Olhão e membro da equipa do Setor da Pastoral Prisional da Diocese do Algarve, que apresentou a cerca de 40 reclusos a história da cruz e explicou que Portugal vai receber a próxima edição internacional da Jornada Mundial da Juventude, em 2023.

“Não importa o pecado que eu tenha cometido, o erro que tenha feito. Em Deus há sempre perdão. Esta cruz é para que possamos sentir um pouco o perdão de Deus na nossa vida e a esperança no amanhã”, disse o sacerdote, no pátio interior do estabelecimento prisional onde teve lugar o breve momento de oração.

                         O padre Rafael Rocha assinalou que alguns dos reclusos “podem não acreditar em Deus ou achar que não têm perdão”, mas “Deus continua a acreditar” e a querer fazer história com eles.

“Muitos de vós achais que a vida terminou. Para nós há impossíveis, mas para Deus não há: Aquilo que para o homem é impossível, para Deus torna-se possível. Este é um bom momento para que todos possamos tirar estas nossas «capas duras». Vamos deixar cair essa «capa dura», vamos procurar aquilo que somos verdadeiramente, aquilo que verdadeiramente sentimos que Deus pode querer para cada um de nós”, desenvolveu.

O sacerdote convidou os reclusos a rezarem todos juntos, antes de um momento pessoal onde cada um se aproximou “da cruz e do ícone de Nossa Senhora, de forma livre, serena, à vontade”.

 

Portalegre:

«Take 23» vivido ao ritmo de Taizé

 

O Comité Organizador Diocesano (COD) de Portalegre-Castelo Branco realizou o «Take 23», proposta mensal para ajudar os jovens a prepararem-se para as Jornada Mundial da Juventude Lisboa (JMJ) 2023, ao ritmo de Taizé.

Em outubro, na noite do dia 23, os jovens de várias paróquias reuniram-se na Igreja Matriz de Constância, trazendo “as cores e o espírito da JMJ à lembrança de todos”, realça uma nota enviada à Agência Ecclesia.

O encontro foi orientado pelo padre Nuno Silva e do Comité Organizador Interparoquial de Constância, Montalvo e Santa Margarida.

O alinhamento duma “oração de Taizé” passa por “cânticos de louvor, simples, fáceis de assimilar que, com foco na Palavra de Deus, em estreita relação com o silêncio que se gera, criam um ambiente único, favorecedor de encontro de proximidade com Deus que nunca se impõe, mas sempre propõe”, lê-se.

Estiveram presentes os jovens de Abrantes, Alcaravela, Bemposta, Carvalhal, Chainça, Mouriscas, Santiago de Montalegre, Sardoal e Vila de Rei.

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial