acontecimentos eclesiais

DA SANTA SÉ

 

 

AJUDA A DOENTES

MAIS NECESSITADOS

 

O Cardeal Javier Lozano, Presidente do Conselho Pontifício para a Pastoral da Saúde, interveio no passado dia 18 de Maio em Genebra na Assembleia Mundial da Saúde, órgão máximo de decisão da Organização Mundial da Saúde, chamando a atenção para a ajuda aos doentes mais necessitados.

 

O Cardeal transmitiu a saudação do Papa Bento XVI, que «está muito preocupado pelos problemas de saúde no mundo e oferece todo o seu apoio e ajuda ao esforço mundial para alcançar a saúde para todos, especialmente a saúde dos mais desprotegidos».

O purpurado lamentou que «as doenças, em particular as infecciosas, se apresentam mais virulentas nos países mais pobres que, precisamente pela sua pobreza, não têm recursos para obter os remédios que já existem graças ao progresso técnico actual».

«É terrível constatar – segundo o relatório de 2005 sobre a saúde mundial – que, de 211 milhões de novos seres humanos que são concebidos, há 46 milhões de abortos provocados, 32 milhões que morrem prematuros ou ao nascerem, e somente 133 milhões chegam a nascer e viver».

O Presidente do Conselho Pontifício recordou que o Papa João Paulo II instituíra a Fundação «O Bom Samaritano» para ajudar os enfermos mais necessitados do mundo, «cujo objectivo inicial foi concretizado na compra de remédios para os mais necessitados. Até hoje, pudemos prestar alguma ajuda a doentes de onze países da África, um da Ásia e outro da América Latina».

 

 

TENSÕES ENTRE A IGREJA

E O GOVERNO VENEZUELANO

 

Bento XVI propôs ao novo embaixador de Caracas (Venezuela) junto do Vaticano, que sejam superadas as tensões entre o governo de Hugo Chávez e a Igreja católica, para promoverem a mútua colaboração ao serviço do povo venezuelano.

 

«Espero vivamente que se dissipem as dificuldades actuais nas relações Igreja-Estado e se volte a uma fecunda colaboração em continuidade com a nobre tradição venezuelana», assegurou o Papa Bento XVI ao receber as cartas credenciais apresentadas pelo embaixador Ivan Guillermo Rincón, até agora presidente do Supremo Tribunal de Justiça.

As relações entre os bispos da Venezuela e o presidente Chávez tornaram-se tensas desde que, pouco depois da chegada à presidência, a 2 de Fevereiro de 1999, tomou medidas que dificultaram os programas caritativos e educativos que a Igreja católica desenvolvia no país. Desde então, em declarações públicas, o Presidente venezuelano lançou acusações contra os bispos e o Núncio apostólico, que tinham manifestado a sua oposição a aspectos concretos do seu governo.

No seu discurso ao novo embaixador, Bento XVI tentou serenar os ânimos, reconhecendo, por exemplo, «o relevo que o governo deu ao luto pelo falecimento do meu venerado antecessor, o Papa João Paulo II».

Ao mesmo tempo, pediu que o governo respeite a liberdade que é própria da Igreja, para desenvolver a sua missão na Venezuela. «Os governos dos Estados nada devem temer pela acção da Igreja, que no exercício da sua liberdade só pretende levar a cabo a sua própria missão religiosa e contribuir no progresso espiritual de cada país» - afirmou.

Dirigindo-se pessoalmente ao embaixador Rincón, o pontífice desejou que «durante o exercício de sua importante missão, as já tradicionais e históricas relações entre a Venezuela e a Santa Sé se vejam fortalecidas com um espírito de colaboração leal e construtiva».

 

 

PAPA RECEBE SUPERIOR GERAL

DA FRATERNIDADE DE SÃO PIO X

 

Bento XVI recebeu no passado dia 29 de Agosto, no Palácio Apostólico de Castel-Gandolfo, o bispo Bernard Fellay, sucessor do arcebispo francês Marcel Lefebvre como Superior Geral da Fraternidade de São Pio X, que lhe pedira audiência.

 

O Papa estava acompanhado pelo Cardeal Dario Castrillón, presidente da Comissão Pontifícia Ecclesia Dei, instituída por João Paulo II para a recepção na Igreja dos lefebvrianos que o desejassem, após o gesto cismático das ordenações episcopais ilegítimas realizadas pelo arcebispo Lefebvre na Suiça.

Segundo informou a Sala de Imprensa do Vaticano, «o encontro decorreu num clima de amor pela Igreja e de desejo de chegarem à comunhão perfeita. Embora conscientes das dificuldades, foi manifestada a vontade de procederem gradualmente e em tempo razoável».

 

 

SÍNODO DOS BISPOS

SOBRE A EUCARISTIA

 

O Sínodo dos Bispos convocado por João Paulo II sobre o tema «A Eucaristia, fonte e cume da vida e da missão da Igreja» e confirmado por Bento XVI, realizar-se-á no Vaticano de 2 a 23 de Outubro próximo. O Papa pediu a toda a Igreja que acompanhe com orações a sua boa realização.

 

Bento XVI reduziu a duração da assembleia, prevista inicialmente para 2 a 29 de Outubro. Além disso, introduziu algumas modificações no seu procedimento, para concentrar os trabalhos e favorecer ainda mais o aspecto colegial e sinodal.

Assim, cada padre sinodal disporá de seis minutos – e não de oito, como anteriormente – para intervir na aula. O motivo principal desta redução é a introdução de intervenções livres entre as 18.00 e as 19.00 no final da congregação geral de cada dia.

Também se reduzirá o tempo das sessões dos grupos de trabalho («Círculos menores»). Na assembleia participará um bom número de auditores e um grupo de peritos para ajudar os padres sinodais nos seus trabalhos.

O número de delegados fraternos convidados duplicou em relação ao último Sínodo. Haverá 12 representantes das Igrejas ortodoxas, das Antigas Igrejas do Oriente e das Comunidades derivadas da Reforma.

O Papa aceitou a proposta de comemorar com uma sessão o 40.º aniversário da instituição do Sínodo dos Bispos por Paulo VI.

O documento de trabalho (Instrumentum laboris) já distribuído baseou-se numa quantidade enorme de informações procedentes de todo o mundo. Consta de quatro partes: «A Eucaristia e o mundo de hoje», «A fé da Igreja no mistério da Eucaristia», «A Eucaristia na vida da Igreja» e «A Eucaristia na missão da Igreja».

 

 

BEATIFICAÇÃO

DE CHARLES DE FOUCAULD

 

Charles de Foucauld será beatificado a 13 de Novembro na Basílica de São Pedro, no Vaticano, revelou o Postulador da causa de beatificação, Mons. Maurice Bouvier.

 

Uma mensagem enviada pela Secretaria de Estado ao Postulador confirmara a data desta beatificação, que João Paulo II deveria ter realizado em 15 de Maio, mas que ficou suspensa por causa do seu falecimento.

Nascido em Estrasburgo (França) a 15 de Setembro de 1858, Charles de Foucauld empreendeu em 1883 uma afortunada expedição no deserto de Marrocos, que lhe valeu a medalha de ouro da Sociedade de Geografia. Converteu-se em 1886 e foi ordenado sacerdote em 1901.

«Viveu na pobreza, na contemplação, na humildade, testemunhando fraternalmente o amor de Deus entre os cristãos, os judeus e os muçulmanos» – recordou o Cardeal José Saraiva Martins, Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, na cerimónia de promulgação do decreto de reconhecimento de um milagre atribuído à sua intercessão.

A 1 de Dezembro de 1916, com 58 anos, Charles de Foucauld morre no meio de uma emboscada entre os berberes de Hoggar.

Dez congregações religiosas e oito associações de vida espiritual surgiram do seu testemunho e carisma. Entre elas, encontram-se as Irmãzinhas do Sagrado Coração, as Irmãzinhas de Jesus, as Irmãzinhas do Evangelho, as Irmãzinhas de Nazaré, os Irmãozinhos de Jesus, os Irmãozinhos do Evangelho, assim como a Fraternidade Jesus Caritas e a Fraternidade Charles de Foucauld.

 

 

OUTRAS BEATIFICAÇÕES

E CANONIZAÇÕES

 

A Prefeitura da Casa Pontifícia comunicou o calendário das solenes celebrações de canonização e beatificação nos próximos meses de Outubro e Novembro.

 

Assim, Bento XVI procederá à canonização de cinco Beatos – um arcebispo, um sacerdote, um leigo e dois fundadores de Congregações femininas – na Praça de São Pedro, em 23 de Outubro.

Será por sua vez um cardeal, segundo o costume reintroduzido por Bento XVI, a presidir à beatificação do cardeal Augusto von Gallen, no domingo 9 de Outubro.

No dia 29 de Outubro, também em São Pedro, um cardeal celebrará a beatificação de oito mártires da Guerra Civil na Espanha.

No domingo 6 de Novembro, em Vicenza (no norte de Itália), será a beatificação de Eurosia Fabris.

Uma semana depois, no domingo 13 de Novembro, mas em Roma, em São Pedro, serão elevados às honras dos altares três Servos de Deus, entre os quais Charles de Foucauld.

Finalmente, a 20 de Novembro, em Guadalajara, no México, serão beatificados quatro mártires das perseguições ocorridas entre os finais da década de 1920 e os primeiros anos da década seguinte.


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial