JOÃO PAULO ii

ACTA PARA A SEPULTURA

 

Antes da sepultura do Papa João Paulo II, nas grutas da Basílica de São Pedro, colocou-se no caixão de chumbo uma Acta em pergaminho, depois de lida e assinada pelas testemunhas presentes, cujo texto é o seguinte:

 

Na luz de Cristo ressuscitado dos mortos, em 2 de Abril do ano do Senhor 2005, às 21h37 da tarde, quando o sábado chegava ao fim e tínhamos já entrado no dia do Senhor, Oitava da Páscoa e Domingo da Divina Misericórdia, o amado Pastor da Igreja, João Paulo II, passou deste mundo ao Pai. Toda a Igreja em oração acompanhou o seu trânsito, especialmente os jovens.

João Paulo II foi o 264.º Papa. A sua memória permanece no coração da Igreja e de toda a humanidade.

Karol Wojtyla, eleito Papa em 16 de Outubro de 1978, nasceu em Wadowice, cidade a 50 quilómetros de Cracóvia, no dia 18 de Maio de 1920, e foi baptizado dois dias mais tarde na Igreja paroquial pelo sacerdote Francesco Zak.

Aos 9 anos recebeu a Primeira Comunhão e aos 18 anos o sacramento do Crisma. Interrompidos os estudos, porque as forças de ocupação nazi tinham fechado a Universidade, trabalhou numa mina e, mais tarde, na fábrica química Solvay.

A partir de 1942, sentindo-se chamado ao sacerdócio, frequentou os cursos de formação do seminário clandestino de Cracóvia. Em 1 de Novembro de 1946 recebeu a ordenação sacerdotal das mãos do Cardeal Adam Sapieha. Depois foi enviado para Roma, onde obteve a licenciatura e o doutoramento em Teologia, com a tese intitulada «Doutrina da fé em São João da Cruz».

Regressou depois à Polónia, onde teve alguns encargos pastorais e ensinou as disciplinas sagradas. Em 4 de Julho de 1958, o Papa Pio XII nomeou-o Bispo Auxiliar de Cracóvia. Paulo VI, em 1964, destinou-o à mesma sede como Arcebispo. Como tal interveio no Concílio Vaticano II. Paulo VI criou-o Cardeal em 26 de Junho de 1967.

No Conclave foi eleito Papa pelos Cardeais, em 16 de Outubro de 1978, e tomou o nome de João Paulo II. Em 22 de Outubro, Dia do Senhor, iniciava solenemente o seu ministério Petrino.

O pontificado de João Paulo II foi um dos mais longos da história da Igreja. Nesse período, sob vários aspectos, houve muitas mudanças. Entre elas, a queda de alguns regimes, para o qual ele próprio contribuiu.

Com o objectivo de anunciar o Evangelho, realizou muitas viagens a várias nações. João Paulo II exerceu o ministério Petrino com incansável espírito missionário, dedicando todas as suas energias impulsionado pela sollicitudo omnium ecclesiarum e pela caridade aberta a toda a humanidade. Mais do que qualquer dos seus Predecessores, foi ao encontro do Povo de Deus e dos Responsáveis das Nações, nas Celebrações, nas Audiências gerais e especiais, e nas Visitas pastorais.

O seu amor pelos jovens levou-o a iniciar as Jornadas Mundiais da Juventude, convocando milhões de jovens em várias partes do mundo.

Promoveu com sucesso o diálogo com os hebreus e com os representantes das outras religiões, convocando-os muitas vezes para encontros de oração pela paz, especialmente em Assis.

Alargou notavelmente o Colégio dos Cardeais, criando 231 (mais um in pectore). Convocou ainda 15 Assembleias do Sínodo dos Bispos, 7 gerais ordinárias e 8 especiais.

Erigiu numerosas Dioceses e Circunscrições, em particular na Europa do Leste.

Reformou os Códigos de Direito Canónico Ocidental e Oriental, criou novas Instituições e reorganizou a Cúria Romana.

Como «sacerdos magnus» exerceu o ministério litúrgico na Diocese de Roma e em todo o mundo, em plena fidelidade ao Concílio Vaticano II. Promoveu de modo exemplar a vida e a espiritualidade litúrgica e a oração contemplativa, especialmente a adoração eucarística e a oração do Santo Rosário (cfr. Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae).

Sob a sua guia, a Igreja aproximou-se do terceiro milénio e celebrou o Grande Jubileu de 2000, segundo as linhas traçadas com a Carta apostólica Tertio millennio adveniente. Ela depois entrou na nova época, recebendo indicações na Carta Apostólica Novo millennio ineunte, na qual se mostrava aos fiéis o caminho do tempo futuro.

Com o Ano da Redenção, o Ano Mariano e o Ano da Eucaristia, promoveu a renovação espiritual da Igreja. Deu um impulso extraordinário às canonizações e beatificações, para mostrar inumeráveis exemplos da santidade de hoje que fossem um incitamento aos homens do nosso tempo. Proclamou Doutora da Igreja Santa Teresa do Menino Jesus.

O magistério doutrinal de João Paulo II é muito rico. Guardião do depósito da fé, dedicou-se com sabedoria e coragem a promover a doutrina católica, teológica, moral e espiritual, e a enfrentar durante todo o seu pontificado tendências contrárias à genuína tradição da Igreja.

Entre os documentos principais contam-se 14 encíclicas, 15 Exortações apostólicas, 11 Constituições Apostólicas, 45 Cartas Apostólicas, além das Catequeses propostas nas Audiências gerais e dos discursos pronunciados em todas as partes do mundo. Com o seu ensinamento, João Paulo II confirmou e iluminou o Povo de Deus sobre a doutrina teológica (sobretudo nas primeiras três grandes Encíclicas - Redemptor hominis, Dives in misericordia, Dominum et vivificantem), antropológica e social (Encíclicas Laborem exercens, Sollicitudo rei socialis, Centesimus annus), moral (Encíclicas Veritatis splendor, Evangelium vitae), ecuménica (Encíclica Ut unum sint), missiológica (Encíclica Redemptoris missio), mariológica (Encíclica Redemptoris Mater).

Promulgou o Catecismo da Igreja Católica, à luz da Tradição, interpretada com autoridade pelo Concílio Vaticano II. Publicou também alguns volumes como Doutor privado.

O seu magistério culminou com a Encíclica Ecclesia de Eucharistia e a Carta apostólica Mane nobiscum Domine, durante o Ano da Eucaristia.

João Paulo II deixou a todos um testemunho admirável de piedade, de vida santa e de paternidade universal.

 

***

(Assinaturas das testemunhas)

***

CORPUS IOANNIS PAULI II P.M.

VIXIT ANNOS LXXXIV, MENSES X DIES XV

 

ECCLESIAE UNIVERSAE PRAEFUIT

ANNOS XXVI MENSES V DIES XVII

 

Semper in Christo vivas, Pater Sancte!

 

 

OBITUS, DEPOSITIO ET TUMULATIO

IOANNIS PAULI II SANCTAE MEMORIAE

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial