CATEQUESE

O SACRAMENTO DA ORDEM,

QUE CONSTITUI OS MINISTROS SAGRADOS,

SEGUNDO O CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA

 

 

 

Miguel Falcão

 

 

 

Para a preparação do sacramento da Confirmação parece conveniente aprofundar a doutrina sobre os sacramentos como fonte da vida da graça na alma.

Na presente lição, trata-se do sacramento da Ordem, que constitui os ministros sagrados para comunicarem a vida divina à alma.

 

– Como é que o sacramento da Ordem contribui para a vida divina na alma?

O sacramento da Ordem constitui os ministros sagrados para comunicarem a vida divina à alma (nn. 1545 e 1547).

 

Quem são os ministros sagrados?

Os ministros sagrados são os que Cristo escolhe e constitui para servirem como pastores da Igreja (nn. 1535, 1547 e 1577).

 

Qual é a função dos ministros sagrados?

Os ministros sagrados têm uma tripla função: pregar a Palavra de Deus, administrar os sacramentos e dirigir a vida da Igreja (n. 1592).

 

– Há diferença entre os ministros sagrados?

Sim. São ministros sagrados os bispos, os sacerdotes e os diáconos (nn. 1554 e 1593).

 

 

Os ministros sagrados são constituídos com o mesmo sacramento da Ordem?

Embora o sacramento da Ordem seja o mesmo, ele administra-se de modo diferente para constituir os bispos, os sacerdotes e os diáconos (n. 1554).

 

Quem são os bispos?

Os bispos são os sucessores dos doze Apóstolos, os quais foram constituídos directamente por Cristo, para estarem à frente de uma porção da Igreja, como mestres da Palavra de Deus, máximos ministros dos sacramentos e pastores (nn. 1558, 1560, 1561 e 1594).

 

Quem são os sacerdotes?

Os sacerdotes são os principais cooperadores dos bispos que, em união com os seus bispos, exercem a pregação da Palavra de Deus, a administração dos sacramentos e a direcção do povo de Deus (nn. 1562, 1564, 1567 e 1595).

 

Quem são os diáconos?

Os diáconos são os ministros que, sem serem sacerdotes, colaboram com os sacerdotes na pregação da Palavra de Deus, na administração de alguns sacramentos e na direcção do povo de Deus (nn. 1569, 1570 e 1596).

 

Como é que os ministros sagrados comunicam a vida divina à alma?

Os ministros sagrados preparam a alma para receberem a vida divina (graça) pela pregação da Palavra de Deus, comunicam a vida divina pela administração dos sacramentos e velam para que ela se mantenha pela direcção do povo de Deu (n. 1547).

 

Quais são as condições para a Igreja escolher e ordenar os sacerdotes?

Compete à autoridade na Igreja reconhecer os cristãos que são chamados por Cristo ao sacerdócio (vocação sacerdotal), desde que eles também o queiram (nn. 1578 e 1598).

 

É necessário que os sacerdotes vivam o celibato?

Na Igreja latina, só se ordenam como sacerdotes cristãos que tenham recebido de Deus o dom do celibato. Nas Igrejas orientais, também se ordenam como sacerdotes cristãos casados; no entanto, depois da ordenação, quer os solteiros quer os viúvos já não se casam (nn. 1579, 1580 e 1599).

 

– A quem compete a ordenação dos ministros sagrados?

A ordenação dos ministros sagrados – bispos, sacerdotes e diáconos – compete exclusivamente aos bispos (nn. 1575, 1576 e 1600).

 

Como se procede à ordenação dos ministros sagrados?

Em todos os casos, o bispo impõe as mãos sobre os candidatos, para lhes transmitir o poder sagrado que vão exercer, rezando uma oração adequada para cada uma das ordens (nn. 1572, 1573 e 1597).

 

Os ministros sagrados representam a Cristo?

Sim, todos os ministros sagrados representam a Cristo, que é a Cabeça da Igreja (nn. 1548, 1549 e 1581). Os sacerdotes actuam em lugar de Cristo quando administram os sacramentos, sobretudo a Eucaristia e a Penitência (nn. 1563 e 1566). Os bispos estão em lugar de Cristo (vigários de Cristo) em todas as suas funções (nn. 1558 e 1561).

 

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial