aCONTECIMENTOS eclesiais

DA SANTA SÉ

 

 

DIMENSÃO EVANGÉLICA DA ECONOMIA

NOS INSTITUTOS RELIGIOSOS

 

A Congregação dos Institutos de Vida Consagrada e das Sociedades de Vida Apostólica publicou, no passado dia 5 de Agosto, uma carta circular, onde pede “atenção à dimensão evangélica da economia” e exorta os institutos, ordens e congregações a enviarem “eventuais observações e sugestões”.

 

“O campo da economia é instrumento da acção missionária da Igreja", refere o documento, que acrescenta: "a necessidade de bens económicos não deve nunca suplantar o conceito dos fins a que devem servir, ao desenvolvimento da missão”.

Sobre a gestão “transparente e profissional” dos bens, a carta recomenda que sempre seja dedicada “atenção à dimensão evangélica da economia, feita de partilha e de comunhão”.

O documento foi assinado pelo prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, D. João Braz de Aviz, e pelo secretário, o franciscano José Rodriguez Carballo.

A carta circular, publicada pela Livraria Editora do Vaticano, apresenta orientações de um Simpósio que decorreu em Roma, a 8 e 9 de Março passado, sobre «A gestão dos bens eclesiásticos ao serviço do humanum e da missão da Igreja».

O Papa Francisco decidiu dedicar o ano de 2015 à Vida Consagrada, inserido no contexto dos 50 anos do Concílio Vaticano II e, em particular, dos 50 anos da publicação do decreto conciliar sobre a renovação da vida consagrada.

 

 

PAPA EMÉRITO PRESIDE

MISSA A ANTIGOS ALUNOS

 

O Papa emérito Bento XVI presidiu no domingo 25 de Agosto, no Vaticano, à Missa conclusiva do encontro anual dos seus antigos alunos de Teologia, este ano dedicado ao tema da “Teologia da Cruz”.

 

A reunião começou no dia 23 e foi orientada pelo teólogo alemão Karl-Heinz Menke; o Papa emérito deixou de participar nesta iniciativa após ter renunciado ao pontificado, em Fevereiro de 2013.

Para o presidente da Associação de antigos alunos de Joseph Ratzinger, padre Stephan Horn, a abordagem de Karl-Heinz Menke é ao mesmo tempo interessante e envolvente.

O sacerdote defende que o Papa emérito mostrou encarar "a morte de Jesus como uma penitência e colocou-a sob uma nova luz”.

Acrescenta ainda que, no pensamento de Bento XVI, se deduz que “a Cruz é uma auto-revelação do amor de Pai e naturalmente também do amor do Filho”.

 

 

ORAÇÕES PELO PRÓXIMO

SÍNODO DOS BISPOS

 

A Igreja Católica vai celebrar no domingo 28 de Setembro uma jornada de oração pela terceira Assembleia geral extraordinária do Sínodo dos Bispos, que decorre no Vaticano de 5 a 19 de Outubro.

 

A iniciativa foi divulgada no passado dia 6 de Setembro pelo Secretariado do Sínodo, que convida as Igrejas particulares, as comunidades paroquiais, os Institutos de Vida Consagrada, associações e movimentos a rezarem nas celebrações eucarísticas e noutros momentos celebrativos, nos dias anteriores e durante os trabalhos sinodais.

Em Roma vai rezar-se todos os dias na capela onde se venera o ícone de Nossa Senhora, Salus populi romani, da Basílica de Santa Maria Maior.

A Santa Sé recomenda também a recitação do terço pelos trabalhos sinodais, que vão ter como tema “Os desafios pastorais da família no contexto da evangelização”.

O Secretariado do Sínodo anunciou a publicação de um pequeno livro, em diversas línguas, com a Oração da Sagrada Família composta pelo Papa Francisco e algumas intenções propostas para a Oração dos fiéis.

 

 

PAPA VAI FALAR

NO PARLAMENTO EUROPEU

 

O Papa Francisco vai visitar Estrasburgo, para proferir um discurso no Parlamento Europeu, anunciou a instituição comunitária, uma informação confirmada depois pela Santa Sé.

 

O presidente do Parlamento, Martin Schulz, revelou a notícia no passado dia 11 de Setembro aos líderes dos grupos políticos, depois de ter recebido uma resposta afirmativa ao convite que dirigiu ao Papa numa visita ao Vaticano, a 11 de Outubro de 2013.

“A visita oficial vai decorrer a 25 de Novembro, em Estrasburgo. Nesta ocasião, o Papa vai dirigir-se aos membros, durante uma sessão formal”, assinala uma nota oficial divulgada pela presidência do Parlamento Europeu.

O presidente da Comissão dos Episcopados Católicos da União Europeia (COMECE), cardeal Reinhard Marx, considerou que a visita é “uma notícia muito boa” num ano que apresenta “uma série de inícios desafiantes para o projecto europeu”.

“A decisão de ir a Estrasburgo antes de visitar individualmente um dos Estados-membros da União Europeia, enquanto tal, dá um forte sinal de que o Papa apoia e encoraja a busca da integração e unidade europeias”, acrescenta o arcebispo de Munique.

 

 

JOÃO PAULO II E JOÃO XXIII

NO CALENDÁRIO UNIVERSAL

 

O Papa Francisco determinou que as celebrações litúrgicas dos santos João Paulo II e João XXIII sejam inscritas no Calendário Romano universal, com o grau de “memória facultativa”, respectivamente a 22 e 11 de Outubro.

 

O decreto da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos sublinha que os dois pontífices canonizados a 1 de Maio deste ano oferecem “um singular modelo de virtudes na promoção da vida em Cristo”.

A nota explica que a decisão do Papa Francisco surge em resposta ao “desejo unânime do Povo de Deus”.

 

 

EXEGESE BÍBLICA

NECESSITA DE VIDA ESPIRITUAL

 

O Papa Francisco recebeu no passado dia 12 de Setembro os participantes do encontro da 43ª Semana Bíblica Nacional, promovida pela Associação Bíblica Italiana, que abre as celebrações pelos 50 anos da constituição dogmática do Concílio Vaticano II Dei Verbum.

 

“O cristão tem necessidade hoje da Sagrada Escritura, mais do que nunca, solicitado como é pelas contrastantes provocações culturais. A fé, para resplandecer, para não ser sufocada, deve ser nutrida constantemente pela Palavra de Deus”, declarou.

Francisco citou São João Paulo II, o qual afirmou que “para respeitar a coerência da fé da Igreja e da inspiração da Escritura”, a exegese católica deve ser capaz de ir para lá dos “aspectos humanos dos textos bíblicos”.

“É necessário naturalmente que o mesmo exegeta saiba perceber nos textos a Palavra Divina, e isso só será possível se a sua vida espiritual for rica do diálogo com o Senhor; caso contrário, a investigação exegética fica incompleta, perde de vista o seu objectivo principal”, alertou o Papa.

O Vaticano anunciou, neste contexto, que a Família Paulina vai distribuir 15 mil exemplares da Bíblia, durante a recitação do Angelus de 5 de Outubro, na Praça de São Pedro.

 

 

MATRIMÓNIO NÃO É

CAMINHO SUAVE

 

O Papa Francisco presidiu no passado domingo 14 de Setembro ao matrimónio de 20 casais da Diocese de Roma, na Basílica de São Pedro, a quem pediu a coragem de resistir à “tentação de voltar para trás”.

 

O remédio que Deus oferece ao povo vale também e de modo particular para os casais que «não suportam o caminho» e acabam mordidos pelas tentações do desânimo, da infidelidade, do retrocesso, do abandono... Também a eles Deus Pai entrega o seu Filho Jesus, não para os condenar, mas para os salvar – disse na homilia da Missa a que presidiu, concelebrada por responsáveis da Diocese de Roma e 40 padres amigos dos noivos.

O Papa sublinhou a importância da família para a sociedade e para a Igreja Católica, elogiando a incalculável força e carga de humanidade presentes nela, visíveis na “ajuda mútua, o acompanhamento educativo, as relações que crescem com o crescimento das pessoas, a partilha das alegrias e das dificuldades”.

“As famílias constituem o primeiro lugar onde nos formamos como pessoas e, ao mesmo tempo, são os «tijolos» para a construção da sociedade”, precisou.

Francisco deixou palavras de estímulo aos noivos, chamados a fazerem do outro uma pessoa melhor, apesar das dificuldades.

“Não é um caminho suave, sem conflitos, não! Não seria humano. É uma viagem laboriosa, por vezes difícil, chegando mesmo a ser conflituosa, mas isto é a vida”, observou.

Para o Papa, o matrimónio “é símbolo da vida, da vida real, não é uma ficção”.

Neste sentido, repetiu o conselho que tem deixado aos casais, para que nunca acabem o dia “sem fazer as pazes” e desejou “felicidades” a todos.

“Haverá cruzes, com certeza, mas o Senhor estará sempre lá, para ajudar-vos a seguir em frente”, concluiu.

A celebração dos 20 casamentos foi a primeira do género no actual pontificado e realiza-se três semanas antes do início da III Assembleia Extraordinária do Sínodo dos Bispos sobre a família, que decorre em Outubro.

Entre os casais, havia pessoas que já viviam juntas e inclusive com filhos.

 

 

SEXTA REUNIÃO

DO CONSELHO DE CARDEAIS

 

A sexta reunião dos Cardeais conselheiros do Papa Francisco decorreu de 15 a 17 de Setembro. Como de costume, o santo Padre esteve sempre presente nos encontros, excepto na manhã da audiência geral da quarta-feira.

 

Nas reuniões anteriores, o trabalho dos Cardeais consistiu na análise de todas as Congregações e Conselhos Pontifícios, mas tinham dado espaço relevante à audiência das Comissões relativas a questões económicas e de organização e aos temas relativos aos dicastérios de economia. Este âmbito considera-se praticamente concluído, depois da instituição do Conselho e da Secretaria de Economia. 

Portanto, nesta sexta reunião, o Conselho de Cardeais retomou o trabalho ocupando-se dos outros dicastérios. Entretanto, vários dos Cardeais tinham preparado numerosas contribuições sobre os diversos temas da sua competência.

As considerações destes dias centraram-se em torno de dois “focos” principais.

O primeiro compreende os temas dos leigos e da família. É um campo muito amplo que abrange muitos temas, como por exemplo, a mulher na sociedade e na Igreja, a juventude, a infância, as associações e movimentos laicais, etc.

O segundo compreende os temas da justiça e da paz, da caridade, dos migrantes e refugiados, da saúde, da protecção da vida e da ecologia, em particular a ecologia humana.

Como se vê, trata-se de muitos dos principais temas da competência dos Conselhos Pontifícios actuais e de como abordá-los de modo coordenado e integrado.

O Conselho de Cardeais não toma decisões; elabora propostas para o Papa e certamente o Papa quer aprofundar a consulta, também a respeito dos diferentes dicastérios, empenhando os responsáveis. Portanto, as propostas estudar-se-ão mais a fundo e é previsível que o Papa fale delas, por exemplo, nas reuniões com os chefes de Dicastério que se convocam com regularidade.

 Também se formulou e se distribuiu um esboço de introdução para a nova Constituição da Cúria Romana.

As próximas reuniões do Conselho serão em 9-11 de Dezembro de 2014 e em 9-11 de Fevereiro de 2015.

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial