aCONTECIMENTOS eclesiais

COMENTÁRIO

 

 

RESULTADOS DO PERCURSO ECUMÉNICO

 

 

Henrique Noronha Galvão

Membro do Ratzinger Schülerkreis

 

 

O tema da reunião do Círculo de alunos (Schülerkreis) do Papa Bento XVI em 2012 foi: “Resultados e questões do ecumenismo, em diálogo com o protestantismo luterano e o anglicanismo; com referência particular ao livro do cardeal Walter Kasper, Harvesting the Fruits. Aspects of Christian Faith in Ecumenical Dialogue (2009)”.

 

Um dos oradores foi o Prof. Theodor Dieter, diretor do Instituto Ecuménico de Estrasburgo, cuja comunicação teve o título: Da separação à comunhão. Diálogo católico-Iuterano. Começou por citar uma referência de Joseph Ratzinger, no final do Vaticano II (1962-1965), à decisiva abertura ecuménica realizada pelo Concílio. O então jovem professor de Tubinga participava num diálogo católico-luterano promovido precisamente pelo Instituto de que o orador é agora diretor. Mas, se o Concílio Vaticano II abriu a Igreja Católica como um todo à necessidade do diálogo ecuménico, também da parte do protestantismo luterano uma interpretação renovada do pensamento de Lutero a predispôs para esse mesmo diálogo. Para além dos resultados importantes que já se alcançaram, por exemplo no entendimento da justificação do pecador pela fé, é indispensável igualmente adquirir lucidez sobre todas as questões que ainda nos dividem. Mas o objetivo final do esforço ecuménico mantém-se sempre a comunhão plena entre as Igrejas.

O bispo emérito Prof. Ulrich Wilckens mostrou como, da questão inicial da Reforma, a justificação, se passou através de uma teologia influenciada pelo Iluminismo nos séc. XVII e XVIII para a questão da liberdade como emancipação da razão. (...)

O terceiro orador foi o atual bispo católico de Genebra, Charles Morerod, antigo professor e reitor na Pontifícia Universidade de S. Tomás de Aquino (Angelicum) de Roma, que apresentou o balanço provisório do diálogo entre anglicanos e católicos. Se esse diálogo serviu decisivamente para um melhor conhecimento do muito que têm em comum, também é certo que através dele se tem tomado mais consciência das divergências que de facto existem. (...)

Em todo o decorrer da reunião do Círculo de alunos de Bento XVI esteve também presente o cardeal Kurt Koch, presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos. (...)

 

(Agência Ecclesia)

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial