Anjo da Guarda de Portugal

10 de Junho de 2010

 

Memória

 

RITOS INICIAIS

 

Cântico de entrada: Como promessa de cada hora, M. Faria, NRMS 30

Dan 3, 95

Antífona de entrada: Bendito seja o Senhor, que enviou o seu Anjo e libertou os seus servos, que n'Ele confiaram.

 

Introdução ao espírito da Celebração

 

Hoje Portugal está em festa. É feriado nacional. Os Portugueses são na maioria católicos. Fiéis ao legado transmitido pelos nossos antepassados, também nós queremos deixar este testemunho às gerações futuras. Agradecemos a Deus por ser tão nosso amigo! Pedimos ao Anjo de Portugal que hoje celebramos interceda sempre pela nossa Pátria!

 

Oração colecta: Deus eterno e omnipotente, que destinastes a cada nação o seu Anjo da Guarda, concedei que, pela intercessão e patrocínio do Anjo de Portugal, sejamos livres de todas as adversidades. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Liturgia da Palavra

 

Primeira Leitura

 

Monição: Felizes as nações cujos povos amam a Deus e observam a Sua Lei! Supliquemos o auxílio divino para que o Senhor abençoe o nosso País.

 

Daniel 10, 2a, 5-6.12-14ab

2aNaqueles dias, 5ergui os olhos e vi um homem vestido de linho, com um cinturão de ouro puro. 6O seu corpo era semelhante ao topázio e o rosto tinha o fulgor do relâmpago; os olhos eram como fachos ardentes, os braços e as pernas eram brilhantes como o bronze polido e o som das suas palavras era como o rumor duma multidão. 12Ele disse-me: «Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração para compreender e te humilhaste diante do teu Deus, as tuas palavras foram ouvidas. É por causa das tuas palavras que eu venho. 13O chefe do reino da Pérsia resistiu-me durante vinte e um dias. Então Miguel, um dos chefes principais, veio em meu auxílio. Eu estive lá, a fazer frente ao chefe dos reis da Pérsia, 14abe vim para te explicar o que vai suceder ao teu povo, no fim dos tempos».

 

A leitura está respigada dos sonhos e visões de Daniel (2ª parte do livro: 7, 1 – 12, 13), onde, na última visão, uma figura excelsa explica o que irá suceder nas guerras do séc. II a. C. entre os Selêucidas e os Lágidas, e como uma personalidade abominável (Antíoco IV da Síria) virá trazer grandes desgraças ao povo, mas acabará por ser derrotado, graças à intervenção libertadora de Miguel (este nome hebraico – mi-ka-el – significa: quem como Deus?). A leitura foi escolhida para a festa de hoje certamente pela descrição da figura angélica da aparição nos vv. 5-6, que evoca a visão dos Pastorinhos de Fátima.

 

Salmo Responsorial         Salmo 90 (91),1 e 3.5b-6.10.11.14-15

 

Monição: Nós não vemos os Anjos mas eles acompanham-nos para que nunca nos desviemos do recto Caminho a percorrer.

 

Refrão:          O Senhor mandará aos seus anjos

Que te guardem em todos os teus caminhos.

 

Tu, que habitas sob a protecção do Altíssimo,

moras à sombra do Omnipotente.

Ele te livrará do laço do caçador

e do flagelo maligno.

 

Não temerás o pavor da noite,

nem a seta que voa de dia;

nem a epidemia que se propaga nas trevas,

nem a peste que alastra em pleno dia.

 

Nenhum mal te acontecerá,

nem a desgraça se aproximará da tua morada.

Porque o Senhor mandará aos seus Anjos

que te guardem em todos os teus caminhos.

 

«Porque confiou em Mim, hei-de salvá-lo;

hei-de protegê-lo, pois conheceu o meu nome.

Quando Me invocar, hei-de atendê-lo,

estarei com ele na tribulação,

hei-de libertá-lo e dar-lhe glória».

 

 

Aclamação ao Evangelho              Lc 2, 10b

 

Monição: Os Anjos convidam-nos a dar glória a Deus e connosco rezam para que nos seja concedido o dom da Paz.

 

Aleluia

 

Cântico: Aclamação – 3, F. da Silva, NRMS 50-51

 

Disse o Anjo do Senhor:

«Anuncio-vos uma grande alegria para todo o povo.»

 

 

Evangelho

 

São Lucas 2, 8-14

Naquele tempo, 8havia naquela região uns pastores que viviam nos campos e guardavam de noite os rebanhos. 9O Anjo do Senhor aproximou-se deles e a glória do Senhor cercou-os de luz; e eles tiveram grande medo. 10Disse-lhes o Anjo: «Não temais, porque vos anuncio uma grande alegria para todo o povo: 11nasceu-vos hoje, na cidade de David, um Salvador, que é Cristo Senhor. 12Isto vos servirá de sinal: encontrareis um Menino recém-nascido, envolto em panos e deitado numa manjedoura». 13Imediatamente juntou-se ao Anjo uma multidão do exército celeste, que louvava a Deus, dizendo: 14«Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados».

 

Também o texto escolhido nos fala dos Anjos do Natal. A glória de Deus que em Israel se manifestava no templo, manifesta-se agora no campo dos pastores. Deus manifesta-se aos simples e humildes e no meio dos seus afazeres mais correntes.

(Ver notas para o dia de Natal).

 

Sugestões para a homilia

 

O Anjo que veio a Fátima

As crianças que vão a Fátima

Fátima em Portugal é o Altar do Mundo

O Anjo que veio a Fátima

No início do século vinte a incerteza, a perseguição e as trevas pareciam invadir todo o mundo…

Mais uma vez Maria intercede pela salvação dos Seus filhos. E Deus decide enviá-l’A à Terra com uma mensagem de salvação. Em 13 de Julho de 1917 anuncia: «…Se atenderem a Meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz; se não, espalhará seus erros pelo mundo promovendo guerras e perseguições à Igreja; os bons serão martirizados; o Santo Padre terá muito que sofrer; várias nações serão aniquiladas. Por fim o Meu Imaculado Coração triunfará…».

Antes, porém, veio o Anjo de Portugal preparar três crianças humildes, puras, encantadoras, Jacinta, Francisco e Lúcia, a quem Nossa Senhora apareceria. Ensina-lhes orações sublimes que nós agora não nos cansamos de repetir:

«Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-vos. Peço-vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam».

«Santíssima Trindade, Pai, Filho, Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da Terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria peço-Vos a conversão dos pobres pecadores». (Memórias da Irmã Lúcia).

As crianças que vão a Fátima

Fátima, outrora uma aldeia desconhecida da serra, transforma-se num local conhecido em todo o mundo.

Serão crianças inocentes que hoje ali contemplamos ou serão os seus anjos a desvendarem-nos um pouco da beleza sem fim do Céu?!...

Ai! Como o mundo seria diferente se o mal não existisse e se as pessoas praticassem sempre o bem!

Queridos meninos e meninas, continuai a dar a toda a gente a vossa alegria, o vosso encanto, a vossa oração! Aquilo que parece impossível poderá de novo ser uma realidade. As crianças que virão depois de vós, um dia, quando fordes velhinhos, perguntar-vos-ão com curiosidade: «porquê os homens se odiaram tanto ao longo dos séculos?».

Fátima em Portugal é o Altar do Mundo

Em 13 de Maio de 1981 o Santo Padre João Paulo II sofria um horrível atentado na Praça de São Pedro em Roma. Era a concretização da terceira parte do segredo de Fátima… Maria Santíssima salvou-lhe a vida. Foi comovente o gesto de agradecimento nas peregrinações que fez a Fátima!

Em 13 de Maio de 2010 o seu sucessor, Bento XVI, veio a Fátima ao encontro de Maria, Mãe da Igreja. Obrigado, Santo Padre! A devoção a Nossa Senhora é penhor de salvação.

Quem vai a Fátima angustiado regressa de lá feliz.

Quem vai a Fátima cheio de dúvidas regressa de lá com Fé.

Quem vai a Fátima doente regressa de lá curado.

Quem vai a Fátima triste regressa de lá com um sorriso no rosto.

Quem vai a Fátima com depressão regressa de lá com a consciência em paz.

Quem vai a Fátima com medo da morte regressa de lá com a alegria de viver.

Quem vai a Fátima ao encontro da Mãe regressa de lá com Ela no coração.

Hoje e em todos os dias da nossa vida, com o Anjo de Portugal, pedimos a Nossa Senhora que nos acompanhe sempre, abençoe Portugal e salve o Mundo!

 

 

 

Oração Universal

 

Irmãos, oremos a Deus Omnipotente

e imploremos a Sua misericórdia,

dizendo confiadamente:

Escutai, Senhor, a nossa oração.

 

1.  Para que a Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica

se mantenha confiante no Senhor,

dando testemunho da Sua Doutrina em toda a Terra,

oremos, irmãos.

 

2.  Para que sejamos fiéis à nossa vocação

de serviço a Deus e aos irmãos,

numa entrega incondicional durante toda a vida,

oremos, irmãos.

 

3.  Para que o bem-aventurado Francisco

nos ajude a amarmos como ele Jesus Eucaristia

que nos tornará felizes para sempre,

oremos, irmãos.

 

4.  Para que a bem-aventurada Jacinta

nos ajude a amarmos como ela o Coração Imaculado de Maria

e connosco reze pela beatificação da Irmã Lúcia,

oremos, irmãos.

 

5.  Para que o Anjo de Portugal

interceda pela nossa Pátria onde preparou os Pastorinhos

para as aparições de Nossa Senhora em Fátima,

oremos, irmãos.

 

6.  Para que Nossa Senhora, Padroeira de Portugal,

abençoe a nossa Pátria, salve o Mundo

e conduza ao Céu os que recordamos com saudade,

oremos, irmãos.

 

Senhor nosso Deus e nosso Pai,

dignai-Vos atender estas súplicas

e, por intercessão do Anjo da Guarda de Portugal

e da Virgem Santa Maria, nossa Padroeira,

concedei-nos o que for melhor para nós.

Por N. S. J. C. Vosso Filho que é Deus Convosco

na unidade do Espírito Santo.

 

 

Liturgia Eucarística

 

Cântico do ofertório: Bendito seja Deus, bendito seja, Az. Oliveira, NRMS 48

 

Oração sobre as oblatas: Recebei, Senhor, estas ofertas que apresentamos ao vosso altar e fazei que, por intercessão do nosso Anjo da Guarda, sejamos defendidos de toda a adversidade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Prefácio dos Anjos: p. 491

 

Santo: J. Santos, NRMS 99-100

 

Monição da Comunhão

 

«Tomai e bebei o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo horrivelmente ultrajado pelos homens ingratos. Reparai os seus crimes e consolai o vosso Deus».

Estas palavras, ditas pelo Anjo de Portugal aos Pastorinhos quando lhes deu a Sagrada Comunhão, são dirigidas neste momento a todos os que estão devidamente preparados para O receberem sacramentalmente.

 

Cântico da Comunhão: Deus connosco, Deus em nós, F. da Silva, NRMS 49

Judite 13, 20.21

Antífona da comunhão: Bendito seja o Senhor, que me protegeu por meio do seu Anjo. Dai graças ao Senhor, porque é eterna a sua misericórdia.

 

Cântico de acção de graças: Deixai-me saborear, F. da Silva, NRMS 17

 

Oração depois da comunhão: Senhor, que nos alimentais neste admirável sacramento de vida eterna, dirigi os nossos passos, por meio do vosso Anjo, no caminho da salvação e da paz. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Ritos Finais

 

Monição final

 

A Santa Missa terminou. O Senhor agora vai connosco para que levemos, como os nossos antepassados, o Evangelho a todo o Mundo. Contemos sempre com a bênção maternal de Maria Santíssima, Rainha dos Anjos e Padroeira de Portugal!

 

Cântico final: Cantai alegremente, M. Luís, NRMS 38

 

 

 

 

 

Celebração e Homilia:          Aurélio Araújo Ribeiro

Nota Exegética:                     Geraldo Morujão

Sugestão Musical:                  Duarte Nuno Rocha

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial