VIA GLORIOSA

 

Introdução

 

Presidente: Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo.

 

Assembleia: Amen.

 

Presidente: O Senhor esteja convosco.

 

Assembleia:Ele está no meio de nós.

 

Presidente:A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, que por nós Se fez homem, que por nós morreu e Ressuscitou e que por nós intercede junto do Pai, esteja convosco.

 

Assembleia:Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo ressuscitado.

 

Presidente: Jesus Cristo Ressuscitado, continua vivo e presente no meio de nós. Assim o proclamamos quando à saudação do sacerdote: «O Senhor esteja convosco!» nós respondemos: «Ele está no meio de nós!».

Foi com a confirmação da Sua ressurreição ao aparecer aos Apóstolos durante quarenta dias, que eles, pela força do fogo do Espírito Santo recebido, consolidaram a sua caminhada de fé e começaram a difusão da Igreja, dando execução ao mandato do Senhor.

É, pois, durante estes quarenta dias que se seguem ao Domingo de Páscoa que devemos viver com mais intensidade o aparecimento da Igreja por Si instituída, testemunhando a Sua presença no meio de nós.

Saibamos nós viver festivamente este tempo, como tempo de paz, de alegria e de interiorização da missão que a cada um de nós também foi confiada pelo Baptismo. Aproveitemos, pois, esta época celebrando as estações da Sua “Via Gloriosa”.

 

1.ª ESTAÇÃO

Não está aqui, ressuscitou

 

Leitor 1: “Não vos assusteis. Procurais Jesus de Nazaré, que foi crucificado? Ele ressuscitou...” (Mc 16, 6).

 

Leitor 2:O túmulo vazio é o sinal de que a acção de Deus em Jesus não terminara ali, na morte e no medo. Jesus de Nazaré ressuscitou e vai estar de novo no lugar onde havia começado a sua actividade: na Galileia... E em todo o mundo.

Ele continua vivo e a dar vida.

 

Presidente: Senhor, Tu continuas vivo e presente na minha vida diária. Que eu saiba apreciar a Tua presença real no meu trabalho, nas minhas alegrias, nas minhas dores ou nas minhas desilusões.

               Por isso rogamos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

2.ª ESTAÇÃO

O aparecimento de Jesus a Sua Mãe

 

Leitor 1: A Bíblia nada nos relata sobre isto. Todavia, seria impensável que o Senhor não aparecesse em primeiro lugar à sua própria mãe.

 

Leitor 2: A fé da Senhora em seu Filho era tão grande que decerto foi a Ela que Jesus ressuscitado primeiramente se apresentou.

               Quanta alegria não terá sentido o coração de sua Mãe, pois sempre acreditara nas palavras por Ele proferidas: «Quem me vê, vê o Pai!» e «Eu vou preparar-vos um lugar».

 

Presidente: Senhor Jesus, eu acredito na alegria desse reencontro. E, como Lhe tinhas pedido  na cruz, decerto que recomendaste a Tua Mãe que olhasse sempre por nós.

               Por isso rogamos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

 

3.ª ESTAÇÃO

Só pela fé se descobre Jesus ressuscitado

 

Leitor 1: “«Mulher, porque choras? Quem procuras?» [...julgando ser o jardineiro] Maria Madalena disse: «Se foste tu que O levaste, diz-me onde O puseste para eu ir buscá-l’O» [...] Jesus disse: «Não Me toques, porque ainda não voltei para o Pai.»”(Jo 20,15.17).

 

Leitor 2: O Ressuscitado possui uma vida cuja essência escapa aos nossos sentidos, uma vida que não se pode tocar com as mãos, nem se pode ver com os olhos. Apenas pode ser objecto de fé.

 

Presidente: Senhor Jesus, temos muita dificuldade em te reconhecer quando estás a nosso lado: no companheiro de trabalho, no desempregado, na pessoa que sofre, nos carentes... E chorando dizemos que não Te manifestas hoje, como o fazias no tempo dos Apóstolos.

               Abre-nos os olhos para Te descobrirmos nos diferentes apresentações com que hoje Te mostras aos nossos olhos.

               Por isso rogamos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

4.ª ESTAÇÃO

Os onze encontram Jesus

 

Leitor 1: “Ao anoitecer desse dia, estando fechadas as portas do lugar onde se achavam os discípulos por medo das autoridades dos judeus, Jesus entrou. Ficou no meio deles e disse: «A paz esteja convosco!» (Jo 20, 19)

 

Leitor 2: O medo patenteia-se nas mais diversas circunstâncias da nossa vida: no desemprego, na instabilidade do dia-a-dia, na falta de saúde, na idade avançada, nas desgraças que assolam o mundo... temos medo de nós mesmos... a alma angustia-se. Mas, mesmo com as portas do coração trancadas, Jesus busca-nos, interroga-nos, dá-nos a Sua paz.

 

Presidente: Senhor, que eu saiba abrir as portas do meu coração, para expulsar os meus medos e acolher a Tua paz e a calma que ela me oferece.

Por isso rogamos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

5.ª ESTAÇÃO

Na comunidade encontramos Jesus vivo

 

Leitor 1: “dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos ficaram contentes por ver o Senhor” (Jo 20, 20)

 

Leitor 2: Os discípulos encontram-se reunidos em casa. O encontro ao qual o Evangelho alude é claramente o que se dá no «dia do Senhor», aquele em que, todos os oito dias, a comunidade é convocada para celebrar a Eucaristia.

 

Presidente:Em cada celebração Eucarística, através da palavra do sacerdote, Jesus ressuscitado, também nos saúda e se manifesta vivo à comunidade. É nela que ouvimos a Sua Palavra, acolhemos o seu perdão, a Sua paz e podemos ficar felizes.

               Por isso dizemos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

6.ª ESTAÇÃO

Pelo poder do Espírito, Jesus ressuscitado envia-nos

 

Leitor 1: “Jesus disse-lhes novamente: «A paz esteja convosco. Assim como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós». E, tendo dito isto soprou sobre eles, dizendo: «Recebei o Espírito Santo». (Jo 20, 21-22)

 

Leitor 2: Os corações desassossegados dos discípulos precisavam de ser serenados. Então, pela segunda vez Jesus saúda-os. Depois de os tranquilizar, envia-os em nome de Seu Pai, com a bênção do Espírito Santo.

 

Presidente:Também nós recebemos a confirmação no Espírito Santo para sermos enviados, com a sua bênção, a anunciar o Evangelho do Reino. Tenhamos confiança e nada receemos.

               Por isso dizemos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

7.ª ESTAÇÃO

Jesus ressuscitado é testemunhado na comunidade

 

Leitor 1: “Tomé (...) não estava com eles quando Jesus veio (...) Os outros discípulos disseram-lhe: «Nós vimos o Senhor». Tomé disse: «Se não vir (...) não acreditarei»! (Jo 20, 24-25)

 

Leitor 2: Quem, como Tomé, se ausenta dos encontros da comunidade não consegue fazer a experiência do Ressuscitado, não pode apreciar a sua alegria.

               Quem no dia do Senhor fica em casa, mesmo que reze sozinho e faça assim mesmo a experiência de Deus, não experiencia Jesus Ressuscitado, porque este só se torna presente no lugar onde se reúne a comunidade.

 

Presidente: Não estando reunidos em comunidade, necessitamos de «provas» para acreditar, como Tomé. «Provas» que, todavia, nunca poderemos obter sozinhos.

               Por isso dizemos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

8.ª ESTAÇÃO

Tomé vê a Jesus

 

Leitor 1: “Uma semana depois, os discípulos estavam outra vez reunidos. Desta vez Tomé estava com eles (...) disse a Tomé: «Chega  aqui o teu dedo e vê (...) e não sejas incrédulo, mas crente». «Acreditaste porque viste. Felizes os que acreditam sem terem visto»”. (Jo 20, 26-29)

 

Leitor 2: Afinal, também Tomé conseguiu pronunciar a sua profissão de fé «depois de ter ouvido» a voz do Ressuscitado, juntamente com os irmãos da comunidade. Acreditou porque viu e ouviu.

 

Presidente:  Apesar das inconstâncias da nossa fé, teremos de agradecer ao Senhor pela ventura de sermos apelidados de felizes, porque acreditamos sem termos visto. Mas temos a possibilidade de fazermos em comunidade, cada oito dias, essa mesma gratificante experiência na assembleia dominical, ouvindo a Sua Palavra e vendo e comungando o Seu Corpo.

               Por isso dizemos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

9.ª ESTAÇÃO

Jesus vai sempre ao lado dos homens

 

Leitor 1: “Nesse mesmo dia, dois discípulos iam para uma aldeia, chamada Emaús (...) o próprio Jesus aproximou-se e começou a falar com eles (...) Então começando por Moisés e continuando por todos os Profetas, Jesus explicava aos discípulos as passagens da Escritura que falavam a respeito d´Ele (...) Sentou-se à mesa com os dois, tomou o pão, abençoou-o, depois partiu-o e entregou-lho. Os olhos dos discípulos abriram-se (...) «Não ardia o nosso coração quando Ele nos falava...»” (cf .Lc 24, 13-35)

 

Leitor 2: O Senhor caminha ao nosso lado na estrada da vida e acompanha-nos sempre nas nossas dificuldades, mágoas, dores e também nas alegrias, embora nos custe a reconhecer a sua presença.

 

Presidente: Senhor, meu Deus, abre o nosso coração à compreensão da Tua Palavra e à recepção do Teu Sagrado Corpo e Sangue que nos deixaste em memorial, a fim de que saibamos, com ardor, comunicá-Te a todos aqueles que nos rodeiam.

               Por isso dizemos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

 

10.ª ESTAÇÃO

Simão encontra-se com o Senhor

 

Leitor 1: “... «Realmente, o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão». (disseram os outros aos discípulos de Emaús) (Lc 24, 34)

 

Leitor 2: Lucas salienta os «lugares» da presença de Jesus ressuscitado. Ele continua a caminhar com os homens, solidariza-se com os seus problemas e participa nas suas lutas, mesmo interiores, como aquela que absorvia Pedro. Os outros discípulos confirmaram isso mesmo, confirmando a Sua aparição a Simão.

 

Presidente: Devemos estar atentos à Tua presença nos diversos momentos da nossa vida. Quando escutamos a Tua Palavra: que ela nos alegre, pois é a Tua presença; quando entramos na intimidade, através da Eucaristia: que ela nos consiga a paz; quando Te conseguimos descobrir nos outros: que nos estimule o espírito missionário e de serviço.

               Por isso dizemos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

11.ª ESTAÇÃO

Na margem do Tiberíades Jesus aparece aos discípulos

 

Leitor 1: “... na margem do Tiberíades (...) eles (Pedro e os discípulos) entraram na barca (para pescar). Mas naquela noite não pescaram nada. Quando amanheceu, Jesus estava na margem (...) Logo que saltaram para terra, viram um peixe nas brasas e pão”. (cf. Jo 21, 1-14)

 

Leitor 2: Na realidade, sem Jesus nada conseguiremos fazer. Podemos ter muita habilidade, saber muitas coisas, ter muita experiência, mas sem a Sua presença a desenvolver a nossa actividade, nada resultará.

 

Presidente: É verdade,Senhor, sem Te ter termos por perto, por muito que nos esforcemos, nada conseguiremos. Que a Tua presença sempre se faça sentir na nossa acção como guia e conselheiro que dá sentido a toda a nossa actividade.

               Por isso dizemos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

 

12. ª ESTAÇÃO

Só o Amor pode dirigir a comunidade

 

Leitor 1: “Depois de comerem, Jesus perguntou a Simão Pedro: «Simão, filho de João, amas-me mais do que estes?» Pedro respondeu: «Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo». Jesus disse: «Cuida dos meus cordeiros» (...) Então Pedro ficou triste, porque Jesus perguntou três vezes se ele o amava” (Jo 21, 12-18)

 

Leitor 2: O Senhor, depois de ouvir de Simão a tríplice confissão de fé no amor, manifesta  a Sua confiança nele para chefiar a Sua Igreja, conjuntamente com os outros Apóstolos.

 

Presidente: O Senhor tem infinita misericórdia para connosco e até das coisas más, como as nossas negações, nos confirma como anunciadores da Boa Nova. Desde que exercida com amor, Ele continua a confiar na nossa actividade.

               Por isso dizemos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

13.ª ESTAÇÃO

Jesus promete a vinda do Espírito Santo

 

Leitor 1: “Foi aos Apóstolos que Jesus, com numerosas provas, Se mostrou vivo depois da Sua paixão: durante quarenta dias apareceu-lhes e falou-lhes do Reino de Deus. (...) Jesus deu-lhes esta ordem: «Não vos afasteis de Jerusalém. Esperai que se realize a promessa do Pai (...) vós, dentro de poucos dias, sereis baptizados com o Espírito Santo»” (Act 1, 3-5)

 

Leitor 2: Jesus continua a manter a Sua promessa. Como aos Apóstolos, continua a mostrar-se vivo e a falar-nos do Reino de Deus, instruindo-nos com a assistência permanente do Espírito Santo.

 

Presidente: Como templos vivos da morada do Espírito Santo que continua presente na nossa vida, temos a obrigação missionária de fazer discípulos em todo o lugar onde nos encontrarmos, através do nosso testemunho de fé no Ressuscitado. 

               Por isso dizemos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

 

14.ª ESTAÇÃO

Jesus sobe ao céu

 

 

Leitor 1: “Depois de falar com os discípulos, o Senhor Jesus foi arrebatado ao céu e sentou-Se à direita de Deus”. (Mc 16, 19)

 

Leitor 2: Jesus cumprira na Sua aparência física e gloriosa a Sua missão neste mundo. Mas não nos deixou sós!...

 

Presidente: Ele continua a acompanhar-nos nos caminhos deste mundo tornando-Se-nos presente na  Sua Palavra; no seio da comunidade eclesial; realmente presente na Sagrada Eucaristia; em cada um dos nossos irmãos e irmãs; presente também em cada um de nós. Continua presente nas coisas mais banais e naquelas mais complicadas. A fim de que a Sua presença continue no meio de nós, para  que consigamos preparar os “novos céus e a nova terra” e para que Deus seja “tudo em todos”,

nós pedimos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

15.ª ESTAÇÃO

A promessa foi cumprida

 

Leitor 1: “Quando chegou o dia de Pentecostes, os apóstolos estavam todos reunidos no mesmo lugar. Subitamente, fez-se ouvir, vindo do céu, um rumor semelhante a forte rajada de vento, que encheu toda a casa onde se encontravam. Viram então aparecer uma espécie de línguas de fogo, que se iam dividindo, e poisou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que se exprimissem”. (Act 2, 1-6)

 

Leitor 2: Jesus tinha prometido aos seus discípulos que não os deixaria sozinhos e que lhes enviaria o Paráclito. O Espírito substituiu a antiga lei e  transformou-se na nova lei para o cristão. É o coração novo, é a vida de Deus que, quando entra no homem, o transforma e o fecunda produzindo nele, espontaneamente, as obras de Deus.

 

Presidente: Que o Espírito Santo que desceu sobre nós na efusão do Baptismo seja sempre força na luta, elimine todas as nossas imperfeições e nos corrobore na unidade da diferença, a fim de evocarmos tudo o que Jesus nos ensinou.

               Por isso rezamos: Senhor, eu acredito, mas aumenta a minha fé.

 

Pai nosso... Ave Maria... Glória...

 

Presidente:Senhor, Pai de infinita misericórdia, ajudai-nos neste tempo glorioso da Páscoa, a viver alicerçados na fé em Cristo Ressuscitado e presente no meio de nós. Que pela força do Espírito Santo sejamos arautos da Boa Nova diante de todos os homens nossos irmãos.

               Isto vos pedimos confiadamente por intermédio de Jesus Cristo vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Amen.

 

Presidente:O Senhor esteja convosco.

 

Assembleia:Ele está no meio de nós.

 

Presidente:Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai, † Filho † e Espírito † Santo.

 

Assembleia:Amen.

 

Presidente: Ide em paz e o Senhor Ressuscitado vos acompanhe.

 

Assembleia: Graças a Deus.

 

 

Braga, 19 de Fevereiro de 2009

 

 

António Elísio Portela

 

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial