nossa senhora de lurdes

DIa MUndial Do doente

11 de Fevereiro de 2022

 

 

RITOS INICIAIS

 

Cântico de entrada:  A Cheia de Graça – M. Faria – NRMS, 4 (I)

Sedúlio

Antífona de entrada: Salvé, Santa Mãe, que destes à luz o Rei do céu e da terra.

 

Introdução ao espírito da Celebração

 

Neste dia de Nossa Senhora de Lourdes, somos convidados a acolher os rios de paz que o Senhor Deus faz brotar para Jerusalém, isto é, para a Igreja. Esta paz é profunda e duradoura; prevalece mesmo no meio do sofrimento, mesmo quando a doença parece ofuscar a nossa vida. Deixemo-nos inundar por este rio de paz!

 

Oração colecta: Vinde em auxílio da nossa fraqueza, Senhor de misericórdia, e concedei que, celebrando a memória da Imaculada Mãe de Deus, sejamos purificados dos nossos pecados. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Liturgia da Palavra

 

Primeira Leitura

 

Monição: Pela boca do profeta Isaías, a paz é prometida a todos os crentes, mesmo àqueles cuja fé é como a de meninos de peito. Saibamos acolher a paz que Deus nos promete!

 

Isaías 66,10-14c

10Alegrai-vos com Jerusalém, exultai com ela, todos vós que a amais. Com ela enchei-vos de júbilo, todos vós que participastes no seu luto. 11Assim podereis beber e saciar-vos com o leite das suas consolações, podereis deliciar-vos no seio da sua magnificência. 12Porque assim fala o Senhor: «Farei correr para Jerusalém a paz como um rio e a riqueza das nações como torrente transbordante. Os seus meninos de peito serão levados ao colo e acariciados sobre os joelhos. 13Como a mãe que anima o seu filho, também Eu vos confortarei: em Jerusalém sereis consolados. 14Quando o virdes, alegrar-se-á o vosso coração e, como a verdura, retomarão vigor os vossos membros. A mão do Senhor manifestar-se-á aos seus servos».

 

O  texto, faz parte dum discurso dotado de rara beleza poética, no final do livro de Isaías. Jerusalém, é apresentada como uma mãe, que com seus peitos sacia de consolação e deleite os seus filhos que regressam do exílio (vv. 10-11).

12-14 “A paz como um rio” é uma figura da paz messiânica que Cristo trouxe à “nova Jerusalém” que é “nossa Mãe”, a Igreja (cf. Gal 4,26-27), “o Israel de Deus” (Gal 6,16). “Meninos levados ao colo e acariciados…” À Virgem Maria, “tipo e figura da Igreja” (LG 63), aplicam-se com verdade estas palavras proféticas: Ela é Mãe que acaricia, anima, consola e alegra os seus meninos, necessitados e desvalidos.

 

Salmo Responsorial    Jt 13, l8bcde.19 (R. 15, 9d ou Lc 1, 42)

 

Monição: Maria, nossa Mãe e imagem da Igreja de Cristo, é aqui aclamada, de forma prefigurada por este cântico de Judite. Deixemos que este cântico toque o nosso coração de filhos!

 

Refrão:        Tu és a honra do nosso povo.

Ou:               Bendita sois Vós entre as mulheres.

 

Bendita sejas, minha filha, pelo Deus Altíssimo,

mais do que todas as mulheres da terra

e bendito seja o Senhor nosso Deus,

criador do céu e da terra.

 

Ele enalteceu de tal forma o teu nome

que nunca mais deixarão os homens

de celebrar os teus louvores

e recordarão eternamente o poder de Deus.

 

 

Aclamação ao Evangelho        Lc 1, 45

 

Monição: O Senhor convida-nos, com os seus gestos, a uma conversão profunda de vida. Tal como a água é transformada em vinho, assim a nossa vida se há-de configurar à de Cristo. Neste caminho de conversão, contamos com a preciosa intercessão da nossa querida Mãe!

 

Aleluia

 

Cântico: C. Silva/A. Cartageno, COM, (pg 113)

 

Evangelho

 

São João 2, 1-11

Naquele tempo, 1realizou-se um casamento em Caná da Galileia e estava lá a Mãe de Jesus. 2Jesus e os seus discípulos foram também convidados para o casamento. 3A certa altura faltou o vinho. Então a Mãe de Jesus disse-Lhe: «Não têm vinho». 4Jesus respondeu-Lhe: «Mulher, que temos nós com isso? Ainda não chegou a minha hora». 5Sua Mãe disse aos serventes: «Fazei tudo o que Ele vos disser». 6Havia ali seis talhas de pedra, destinadas à purificação dos judeus, levando cada uma de duas a três medidas. 7Disse-lhes Jesus: «Enchei essas talhas de água». Eles encheram-nas até acima. 8Depois disse-lhes: «Tirai agora e levai ao chefe de mesa». E eles levaram. 9Quando o chefe de mesa provou a água transformada em vinho, – ele não sabia de onde viera, pois só os serventes, que tinham tirado a água, sabiam – chamou o noivo 10e disse-lhe: «Toda a gente serve primeiro o vinho bom e, depois de os convidados terem bebido bem, serve o inferior. Mas tu guardaste o vinho bom até agora». 11Foi assim que, em Caná da Galileia, Jesus deu início aos seus milagres. Manifestou a sua glória e os discípulos acreditaram n’Ele.

 

Ver atrás notas de comentário, no 2º Domingo Comum

 

 

Sugestões para a homilia

 

«Tu guardaste o vinho bom até agora» (Jo 2, 10)

 

1.       Faltar o vinho numa festa de casamento é algo muito constrangedor! Diante daquela situação embaraçosa, em que se encontraram de repente aqueles noivos, a Virgem Maria antecipou-se a interceder por eles, junto de Jesus. Assim, eles conservaram o vinho bom até ao fim, porque convidaram as pessoas certas: Jesus e Maria. O vinho é símbolo das virtudes teologais da fé, da esperança e da caridade.

 

2.      Para nos conservarmos firmes na fé, na esperança e na caridade, é preciso convidarmos Jesus e Maria para a nossa vida. Eles anteciparão as nossas necessidades e nos tornarão perseverantes, mesmo no meio das maiores dificuldades.

 

3.      Este dia é também o dia mundial dos doentes. É no meio da doença e do sofrimento que somos desafiados a guardar o «vinho bom» da fé, da esperança e do amor! Sozinhos não seremos capazes. Mas unidos a Maria e a Jesus, , tal como a água se transformou em vinho, também os nossos medos se transformarão em fé; os nossos anseios se tornarão esperança; as nossas revoltas se mudarão em amor!

 

4.      Que a Virgem Maria interceda por nós junto de seu Filho Jesus, para que todos os que estão doentes descubram no seu sofrimento um caminho para chegar a Deus!

 

 

Oração Universal

 

Irmãs e irmãos:

Maria Santíssima é o sinal maravilhoso

do que podemos ser quando nos abrimos

à palavra do Senhor e ao Seu projecto.

Por sua intercessão invoquemos a Deus, nosso Pai,

dizendo (ou: cantando), com alegria:

 

R. Interceda por nós a Virgem cheia de graça.

Ou: Interceda por nós a Virgem Imaculada.

Ou: Interceda por nós a Santa Mãe da Igreja.

 

1.  Pelo Papa Francisco, pelos bispos, presbíteros e diáconos,

para que, seguindo o caminho da fé,

à maneira de Maria Santíssima,

irradiem confiança, alegria e disponibilidade,

oremos, irmãos.

 

2.  Pelos jovens das nossas Dioceses

que sentem o chamamento de Jesus,

para que, dóceis aos apelos de Maria,

escutem a voz  de Cristo e O sigam,

oremos, irmãos.

 

3.  Pelos cristãos, para que,

na fidelidade aos pedidos de Nossa Senhora,

tenham Cristo no centro das suas vidas, actividades e opções;

sejam acolhedores, serviçais e vivam em comunhão eclesial,

oremos, irmãos.

 

4.  Pelos governos de todo o mundo,

por todos os  que se dedicam à investigação científica

e pelos profissionais de saúde;

para que perscrutando as preocupações de Maria

em favor dos pequeninos: as crianças no ventre de suas mães,

os doentes, os que querem desistir de viver,

aceitem o Evangelho de Jesus Cristo,

e sejam defensores da vida humana,

oremos, irmãos.

 

5.  Pelos que se entregam ao serviço dos mais pobres,

para que sintam em Maria estimulo a mais generosidade,

e por Ela, o Senhor lhes dê o seu Espírito

e a perseverança na caridade,

oremos, irmãos.

 

6.  Por todos nós que celebramos a festa

da nossa querida Mãe do Céu,

para que vivamos no cumprimento

de tudo o que Jesus nos pede,

oremos, irmãos.

 

 

Senhor, que fizeste da Virgem Santa Maria

a Mulher forte, sempre ao lado do seu Filho

e das dificuldades dos Povos,

concedei-nos também a nós a graça

de colaborarmos generosamente

na obra da redenção da humanidade.

Por Cristo, nosso Senhor.

 

 

Liturgia Eucarística

 

Cântico do ofertório: Gloriosa Mãe de Deus - M. Carneiro, 33-34

 

Oração sobre as oblatas: Venha, Senhor, em nosso auxílio o vosso Filho feito homem; Ele, que ao nascer da Virgem Maria, não diminuiu, antes consagrou a integridade de sua Mãe, nos purifique das nossas culpas e Vos torne agradável a nossa oblação. Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Prefácio de Nossa Senhora: p. 486 [644-756] e pp. 487-490

 

Santo: C. Silva – COM, (pg 193)

 

Monição da Comunhão

 

Jesus quer celebrar as suas bodas de amor connosco. Abramos as portas do nosso coração ao seu amor ardente, pois Ele quer cear connosco.

 

Cântico da Comunhão: É celebrada a vossa glória – A. F. Santos, BML, 33

 

cf. Lc 11, 27

Antífona da comunhão: Bendita seja a Virgem Maria, que trouxe em seu ventre o Filho de Deus Pai.

 

Cântico de acção de graças: O Senhor alimenta J. F. Silva, NRMS, 23 

 

Oração depois da comunhão: Senhor, que nos alimentastes neste sacramento celeste, fazei que, celebrando com alegria a festa da Virgem Santa Maria, imitemos as suas virtudes e colaboremos generosamente no mistério da nossa redenção. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Ritos Finais

 

Monição final

 

Tendo participado nas bodas do Cordeiro, deixemos que a nossa vida se encha do vinho novo do seu amor!!

 

Cântico final: - Desde toda a eternidade – M. Carneiro, NRMS, 18

 

 

 

Homilia Ferial

 

Sábado, 12-II: Adoração a Deus, presente na Eucaristia.

1 Re 12, 16-32; 13, 33-34 / Mc 8, 1-10

Jeroboão mandou fazer dois bezerros de ouro e disse: Israel, aqui estão os teus deuses, que te fizeram sair da terra do Egipto.

Volta a repetir-se a cena do bezerro de ouro do tempo de Moisés, mas agora com Jeroboão (LT). Fizeram um bezerro de ouro e adoraram um ídolo de metal fundido (SR). Os bezerros seriam a causa da saída do Egipto, omitindo a actuação de Deus.

Jesus teve pena da multidão que O seguia e realizou o milagre da multiplicação dos pães (EV). Na Eucaristia adoramos a Deus presente sob as espécies sacramentais. Manifestemos a adoração de alguma maneira: uma genuflexão pausada ao passar diante do Sacrário, algum sinal quando comungamos (genuflexão ou inclinação de cabeça).

 

 

Celebração e Homilia:       Tiago Varanda

Nota Exegética:                Geraldo Morujão

Homilia Ferial:                   Nuno Romão

Sugestão Musical:            José Carlos Azevedo

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial