aCONTECIMENTOS eclesiais

DO PAÍS

 

 

ÉVORA

Igreja de São Francisco apresenta «presépios da Europa»

 

A Igreja de São Francisco, em Évora, acolheu a partir do dia 7 de dezembro, uma exposição temporária de presépios da coleção Canha da Silva, apresentando 145 obras, correspondentes a 24 países.

“Cada presépio procura traduzir um pouco da vida social dos povos”, referiu à Agência ECCLESIA o general Canha da Silva, colecionador.

Os visitantes foram convidados a apreciar as particularidades do presépio provençal francês, do italiano, do famoso presépio napolitano ou dos presépios alemães de hélices, bem como sensibilidades mais contemporâneas, com materiais que vão da prata ao massapão.

Canha da Silva destaca, na coleção, os presépios alemães, “muito vistosos”, quase todos em madeira e porcelana. O colecionador conta que começou com este projeto em 1971, quando se mudou para Évora, cuja primeira peça era um presépio de altar de Estremoz, de um artesão de referência na altura.

Com a ajuda da sua esposa Fernanda, reuniu mais de 2700 presépios, de todos os continentes, adquiridos em “feiras e viagens”; já em Portugal, há um conhecimento próximo de cada “autor e local de trabalho”

 

BRAGANÇA-MIRANDA

Moncorvo: Município e Diocese de Bragança-Miranda assinalam 150 anos do nascimento do abade Tavares

 

O Município de Torre de Moncorvo e a Diocese de Bragança-Miranda evocaram a memória do abade Tavares, por ocasião do 150.º aniversário do seu nascimento, a 24 de novembro.

As entidades inauguraram duas exposições bibliográficas, nos locais onde o abade Tavares nasceu e faleceu, respetivamente em Lousa e em Carviçais, e descerraram placas comemorativas nas mesmas aldeias da Unidade Pastoral S. José.

Foi também a apresentado o livro ‘Monografia de Nossa Senhora da Teixeira’ do sacerdote transmontano, uma edição fac-simile comemorativa.

O padre José Augusto Tavares era natural da Lousa, Concelho de Torre de Moncorvo, e foi ordenado presbítero a 18 de novembro de 1894; desempenhou a sua missão como pároco nas comunidades de Ligares, Maçores, Larinho, Carviçais e Mós de Moncorvo.

Conhecido como o abade Tavares, o sacerdote escreveu vários trabalhos literários, colaborou com jornais e dedicou a atividade intelectual “à investigação das antiguidades”, tendo sido membro da Associação dos Arqueólogos Portugueses e da Sociedade de Geografia de Lisboa.

 

SANTARÉM

Encontro de formação de formadores de Acólitos

 

O Serviço Nacional de Acólitos (SNA), do Secretariado Nacional de Liturgia, promoveu uma formação de formadores, intitulada ‘da Missa à Missão – a ação do acólito na comunidade’, de 8 a 10 de fevereiro, no Seminário de Santarém.

“Da missa à missão” quer propor novos caminhos e novos recursos para que este serviço a Deus, à Comunidade e aos Irmãos permita aos acólitos terem uma ação forte na fé, alegre na esperança e ativa no amor”, explica o SNA.

O tema ‘da Missa à Missão – a ação do acólito na comunidade’ foi apresentado pelo cónego Francisco Couto e os padres Luís Leal, Carlos Martins e Nuno Queirós no Seminário da Diocese de Santarém.

O encontro começou com o jantar de 8 de fevereiro e terminou na tarde do domingo seguinte, dia 10.

 

AÇORES

Pastoral da Cultura promove Oficina de Arte e Mística Cristã

 

O setor da Pastoral da Cultura da Diocese de Angra (Ilha Terceira – Açores) organizou uma Oficina de Arte e Mística Cristã, através da qual “se descobre e vivência a espiritualidade cristã através da criação artística”.

A iniciativa decorreu na freguesia dos Fenais da Luz (Ouvidoria das Capelas – Ilha de São Miguel), com o apoio da autarquia local, esteve aberto “a toda a população da ilha”, refere o diretor da Pastoral da Cultura da Diocese de Angra, padre Ricardo Tavares.

O programa teve início às 11h30, e pelas 16h30 começou a celebração da missa, “marcada pela expressão de todos os trabalhos realizados ao longo do dia», para a qual se convidaram todos quantos, «interessados pela arte e pela sabedoria religiosa, se sentem atraídos pela figura de Jesus Cristo”.

 

Dia mundial da paz em algumas dioceses

 

Bispo de Angra pede respeito pela pessoa na construção da paz

A construção da paz «é tarefa de todos cidadãos e autoridades públicas»

 

O Bispo de Angra pediu urgência na construção de uma “cultura que respeite e edifique a pessoa e a sociedade”, com vista à edificação de uma “verdadeira construção da paz”.

“Em cada ano que começa, com a esperança que se renova, devemos lançar um olhar global a todo o ser humano e observar atentamente o conteúdo que integram os direitos humanos que devem ser salvaguardados a todo o cidadão”, escreve D. João Lavrador na mensagem para o Dia Mundial da Paz, assinalado no dia 1.

 “A paz é também tarefa de todos e cada um dos cidadãos e das autoridades públicas”. “A paz é uma realidade tão abrangente na vida da pessoa e da convivência entre os povos que se traduz no primeiro de todos os anseios da pessoa, da sociedade e da cultura de cada época”.

D. João Lavrador lembra ainda “excluídos e pobres, emigrados e os que sofrem”, convidando a que se juntem às famílias e a todos os diocesanos num caminho “decididamente pelas sendas que podem construir uma paz digna do ser humano, profunda e duradoira”.

 

AÇORES

Governo Regional classificou painel «Lamentação sobre Cristo Morto» como Bem Móvel de Interesse Público

 

O pároco da igreja Matriz de São Miguel Arcanjo, em Vila Franca do Campo na Diocese de Angra, manifestou satisfação por ver o painel ‘Lamentação sobre Cristo Morto’ classificado Bem Móvel de Interesse Público pelo Governo Regional dos Açores.

“Representa um valor cultural de importância regional e nacional, tanto ao nível de autoria, como de autenticidade e raridade, enquadrando-se, por isso, no definido no n.º 5 do artigo 15.º da Lei n.º 107/2001, de 8 de setembro, para o que se pode considerar como bem de interesse público”, lê-se no jornal oficial da presidência do Governo açoriano.

Em 2008, o painel ‘Lamentação sobre Cristo Morto’ estava muito danificado e sem visibilidade numa capela colateral da igreja Matriz de São Miguel Arcanjo, em Vila Franca do Campo, na ilha de São Miguel; A autoria da obra é atribuída ao pintor português Diogo de Contreiras, segunda metade do século XVI.

A obra do maneirismo português regressou à igreja açoriana e foi colocada num nicho de pedra com arco em ogiva, do lado direito do templo (a partir da entrada principal), em 2014.

O painel ‘Lamentação sobre Cristo Morto’ tem como imagem central Cristo amparado pela Mãe, tendo Maria Madalena ajoelhada à esquerda, mais duas mulheres e São João, José de Arimateia e Nicodemos à direita, enquanto em segundo plano foram representadas as cruzes do Calvário, alguns soldados, um conjunto arquitetónico simbolizando Jerusalém, sobre um céu carregado.

O painel é composto por oito tábuas de madeira de carvalho do Báltico (Quercus alba) e respetiva moldura original; representa “o único exemplar remanescente” do retábulo-mor mandado executar a Lisboa na sequência da “reconstrução da igreja paroquial de Vila Franca do Campo, após o trágico terramoto de 22 de outubro de 1522”.

 

AÇORES

Comissão Diocesana Justiça e Paz preocupada com «flagelo social» da pobreza

 

A Comissão Justiça e Paz da Diocese de Angra alertou, numa mensagem para o Dia Mundial da Paz para o “flagelo social” da pobreza no Arquipélago.

“Nenhum açoriano se pode conformar com essa realidade assustadora”, sustentam os membros do organismo católico, na nota intitulada “Todos estamos ao serviço da Paz” “Quando mais de 30% dos açorianos vivem abaixo do limiar da pobreza, não podemos deixar de nos encarar com um défice de paz”, acrescenta o texto.

 “A verdadeira paz constrói-se com todos os cidadãos e quando todos os cidadãos tiverem condições dignas para viver essa paz. Consideramos que a educação e a promoção social dos mais desfavorecidos é uma tarefa imprescindível e apelamos a todas as estruturas da Igreja nos Açores a que colaborem incansavelmente neste desafio

A comissão diocesana afirma que a solução de problemas como a pobreza não deve ser apenas relegada para a esfera das decisões políticas, exigindo o compromisso de cada cidadão, a vários níveis.

“É frequente encararmos, com uma visão fatalista, a pobreza nos Açores, e ver nela uma questão de difícil solução por ser um fenómeno estrutural, endémico, localizado, que gera cidadãos subsídio-dependentes. Esta visão considera o outro, o pobre, como um ser humano de segunda classe”, advertem os responsáveis.”

 

DIOCESE DO ALGARVE

Ecumenismo: Igrejas Cristãs rezam juntas

 

Os cristãos católicos e greco-católicos, evangélicos, anglicanos, luteranos e ortodoxos no território da Diocese do Algarve rezaram juntos, no dia 19 de janeiro, no contexto da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos de 2019.

O momento de oração que juntou as várias confissões cristãs foi organizado pelo Secretariado para o Diálogo Ecuménico e Inter-religioso da diocese algarvia de mãos dadas com as restantes Igrejas cristãs.

A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos neste ano tem como lema a frase ‘Procurarás a justiça, nada além da justiça’, tirada do livro do Deuteronómio.

Os subsídios para este oitavário foram preparados e publicados em conjunto pelo Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos e a Comissão Fé e Constituição do Conselho Mundial de Igrejas.

A Semana de Oração pela Unidade Cristã 2019 foi preparada por cristãos da Indonésia, país asiático com uma população de 265 milhões onde 86% identificam-se como muçulmanos e 10% dos indonésios são cristãos de diversas tradições.

O Oitavário de Oração pelos Cristãos começou a celebrar-se em 1968 e teve como primeiro tema ‘Para o louvor de sua glória’ (Efésios 1,14); Portugal preparou o material em 1996 vivido com o tema ‘Eis que estou à porta e bato’ (Apocalipse 3, 14-22) e o encontro preparatório realizou-se em Lisboa.

 

PAÍSES LUSÓFONOS

 Campanha «Presentes Solidários», na Igreja em Portugal, vai permitir apoiar 3750 crianças e jovens de países lusófonos

 

A Fundação Fé e Cooperação (FEC) anunciou os resultados da campanha mais recente dos ‘Presentes Solidários’, que permitiram angariar 2271 ofertas para crianças e jovens de países lusófonos.

Os presentes recolhidos, cujo valor ascende a um total de 29.517,25 euros, vão ser agora distribuídos por mais de 3750 crianças e jovens mais carenciadas.

Entre os presentes angariados contam-se 35 uniformes escolares para o Brasil, 711 mensalidades de jardim infantil e refeições diárias para Cabo Verde, 339 sacos de cimento para a Guiné-Bissau, e 11 conjuntos de 5 equipamentos de futebol para Moçambique.

A campanha ‘Presentes Solidários’, da FEC, garantiu ainda 451 lanches escolares, 53 bolsas de voluntariado e 33 campos de férias para Portugal, 371 mochilas e material escolar para São Tomé e Príncipe, 136 conjuntos de brinquedos educativos para Timor-Leste, e 125 conjuntos de giz e apagador e 6 kits para equipar salas de aula em Angola.

A Campanha Presentes Solidários traduz o slogan “Dar a Duplicar!” e os Presentes Solidários traduzem-se em postais que podem ser oferecidos a um familiar ou amigo enquanto, simultaneamente, se oferece um bem concreto a uma comunidade dos países lusófonos.

A FEC – Fundação Fé e Cooperação – tem como missão promover o desenvolvimento humano integral, com a visão de construir uma sociedade onde cada pessoa possa viver com dignidade e justiça. Criada em 1990, atualmente tem mais de 20 projetos em Angola, Guiné-Bissau, Moçambique e Portugal.

 

ALGARVE

Pastoral Juvenil diocesana promoveu «Advento Jovem»

 

O Sector da Pastoral Juvenil da Diocese do Algarve dinamizou o ‘Advento Jovem’ que convidou os participantes a renovar o seu compromisso de encontro com Jesus.

Aos 20 jovens e seis adultos, da Vigararia de Tavira, o pároco da Luz de Tavira lembrou a sua história pessoal e que aos “18, 20 anos” achava que “era dono do mundo”.

“Não era batizado, não frequentei uma catequese, não vinha a uma oração, no entanto Deus quis fazer uma história comigo. E eu, simplesmente, disse que sim e aí começou uma caminhada”, observou, contando que foi batizado aos 28 anos e antes foi “um rapaz super-reguila”.

O jornal diocesano contabiliza 400 jovens participantes no ‘Advento Jovem’, que decorreu nos dias 30 de novembro e 1 de dezembro, uma iniciativa que o Sector da Pastoral Juvenil do Algarve propôs às quatro vigararias da diocese, como atividade para maiores de 16 anos.

 

VIANA DO CASTELO

Jornada Litúrgica mobilizou perto de 600 participantes

 

O bispo de Viana do Castelo presidiu em 20 de janeiro à Eucaristia de encerramento do Encontro Diocesano de Pastoral Litúrgica que congregou perto de 600 participantes e diversos especialistas no tema ‘A beleza da Liturgia – porta para a Evangelização’.

D. Anacleto Oliveira explicou, na sua homilia, que “Jesus pega nos elementos fundamentais de uma boda – o pão e o vinho – e torna-os no Seu Corpo e Sangue”.

O bispo de Viana do Castelo instituiu 31 novos Ministros Extraordinários da Comunhão e acrescentou que, “na medida em que derem o Corpo de Cristo aos outros, mais o poderão saborear”.

Este 41.º Encontro Diocesano de Pastoral Litúrgica teve como tema ‘A beleza da Liturgia – porta para a Evangelização’.

Três conferências principais e diversas Escolas de Ministérios, para os diferentes agentes pastorais, estruturaram o encontro que se realizou no sábado, 19, e domingo, no Centro Pastoral Paulo VI.

Ao longo de dois dias ‘A beleza da Liturgia – porta para a Evangelização’ foi apresentada e refletida por oradores de diversas áreas como um maestro, um capelão hospitalar, o professor de Teatro no Seminário de Braga, uma especialista em Linguística, religiosos e religiosas e padres diocesanos.

 

ALGARVE

Diocese dedica igreja ao seu patrono, São Vicente

 

O bispo do Algarve presidiu à bênção e dedicação da primeira igreja dedicada a São Vicente, padroeiro principal da diocese, em Rogil, Aljezur.

A igreja do Rogil, na Costa Vicentina, era “um anseio antigo dos rogilenses” e a sua construção teve início em 2012, com o lançamento da primeira pedra em maio. Desde outubro de 2011 a Missa dominical era celebrada num antigo supermercado, mas ao longo de 20 anos a comunidade juntava-se para a Eucaristia num salão da junta de freguesia.

“A igreja, cujo custo de construção deverá ascender a mais de 250 000 euros (mais IVA), foi construída num terreno cedido pela Câmara de Aljezur a título gratuito em 2009 e foi apoiada pela autarquia em cerca de 55 000 euros para a construção e 15 000 euros para mobiliário”, segundo o jornal diocesano.

São Vicente, padroeiro principal da Diocese do Algarve e padroeiro do Patriarcado de Lisboa, é simbolicamente representado por uma barca e um corvo, segundo a tradição que em 1173 as suas relíquias foram conduzidas numa barca desde o Cabo algarvio de São Vicente para Lisboa e veladas durante todo o trajeto por dois corvos.

O santo protetor e advogado das crianças, em Portugal, que também é representado com a palma, que simboliza o martírio, e o evangeliário foi proclamado padroeiro do Algarve por D. Francisco Gomes do Avelar, em 1794.

 

AVEIRO

Diocese assinala 80 anos de restauração

 

O bispo de Aveiro, D. António Moiteiro, presidiu em 11 de dezembro do ano findo a uma Eucaristia de Ação de Graças, na Catedral de Aveiro, pelos 80 anos da Restauração da Diocese.

A Diocese de Aveiro foi criada pelo Papa Clemente XIV, mediante o breve ‘Militantis Ecclesiae gubernacula, de 12-04-1774, a pedido do monarca D. José I, abrangendo uma área destacada do território da Diocese de Coimbra.

Em abril de 1845, o arcebispo de Braga foi constituído no cargo de administrador apostólico da Diocese, para a qual nomeou sucessivamente vigários gerais ou governadores – o que aconteceu até à sua extinção, pelo Papa Leão XIII, em 1882.

O Papa Pio IX viria a restaurar, dando-lhe novos limites, com 82 freguesias de dez concelhos, desmembrados das Dioceses de Coimbra (Águeda, Anadia, Aveiro, Ílhavo, Oliveira do Bairro e Vagos), do Porto (Albergaria-a-Velha, Estarreja e Murtosa) e de Viseu (Sever do Vouga); a sentença executória da restauração deu-se a 11 de dezembro de 1938.

 

AÇORES

Padres diocesanos fizeram Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola

 

O clero da Diocese de Angra reuniu-se em retiro, em dois turnos, para fazer os Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola, orientados pelo sacerdote jesuíta Francisco Rodrigues.

Na informação, o bispo de Angra realçava que a dinâmica proposta para o retiro do clero 2019, os Exercícios Espirituais, “exige” que cada um se disponha a realizá-los “em silêncio e a permanecer todo o tempo no local a eles destinado”.

Neste contexto, D. João Lavrador pedia aos padres no Arquipélago dos Açores que participassem no retiro com “verdadeiro espírito sacerdotal” e “desejosos de progredir na sua espiritualidade”, tão importante para si e para o seu ministério pastoral.

O primeiro turno de presbíteros reuniu-se entre 28 de janeiro a 1 de fevereiro, no Centro Pastoral Pio XII, em Ponta Delgada; o segundo turno, entre 4 e 8 de fevereiro, na Casa de Retiros de Santa Catarina, em Angra do Heroísmo.

A Companhia de Jesus em Portugal explica que os Exercícios Espirituais do seu fundador são uma “experiência pessoal através da qual um grupo de pessoas se dispõe a estar com Deus num ambiente de silêncio” e, habitualmente, é uma experiência onde a pessoa “pode vir a encontrar aquilo que tanto procura”, como “sentido para os seus dias, serenidade, maior liberdade, paz, alegria de fundo, maior capacidade de servir e de se comprometer com a realidade”.

 

AÇORES

«Evangelizadores em Missão» inspira retiro dos Romeiros de São Miguel

 

A Associação Movimento de Romeiros de São Miguel, na Diocese de Angra, vai promover um retiro de preparação para as romarias quaresmais, a 27 de janeiro, na Escola Básica e Integrada Gaspar Frutuoso, na Ribeira Grande.

‘A espiritualidade do Romeiro – Evangelizador em Missão’ é o tema do retiro, onde podem participar todos os romeiros, que vai ser orientado pelo padre José Júlio Rocha, prefeito de Estudos no Seminário Episcopal de Angra.

Na maior ilha do arquipélago dos Açores, São Miguel, as romarias quaresmais vão mobilizar cerca de 2500 homens a partir de 9 de março, primeiro sábado da Quaresma, até Quinta-Feira Santa.

Em 2022 vão comemorar-se 500 anos de existência das romarias em São Miguel; segundo a tradição, tiveram origem nos terramotos e erupções vulcânicas no século XVI, contextualiza o sítio de informação online da Diocese de Angra.

 

VIANA DO CASTELO

A «arte de envelhecer» nas jornadas teológicas

 

A Escola Superior de Teologia do Instituto Católico de Viana do Castelo organizou, de 19 a 22 novembro, a semana de estudos teológicos sobre «A arte de envelhecer, em diálogo com as novas gerações».

A primeira conferência, proferida por Isabel Jonet, teve como tema «Idade rima com solidariedade» e, no dia seguinte, 20 de novembro, a médica Cláudia Moura abordou o tema «Envelhecer com sucesso»,

«Uma ponte entre a fé e sabedoria dos idosos e novas gerações» foi o tema da conferência frei Bento Domingues, dia 21, e Ricardo Pocinho, no dia seguinte refletiu sobre «Envelhecer desde pequenino».

Esta atividade é uma parceria com a Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viana do Castelo.

 

ALGARVE

Pastoral Juvenil dinamiza Festival Jovem da Canção Religiosa

 

O Sector da Pastoral Juvenil da Diocese do Algarve promoveu o seu Festival Diocesano Jovem da Canção religiosa, com o tema ‘Maria e a Missão’, em de 16 de fevereiro, no Auditório Municipal de Olhão.

“Dinamizar a pastoral dos jovens; incentivar a criação poético-musical partindo dos valores da cidadania e humano-cristãos; promover a canção mensagem como forma de linguagem musical e evangelizadora”, foram os objetivos da organização com o festival diocese.

Com o 12.º Festival Diocesano Jovem da Canção o Sector da Pastoral Juvenil do Algarve pretendia também “possibilitar a comunicação, o convívio entre os jovens de cada paróquia, grupos de jovens, movimentos da diocese”.

‘Maria e a Missão’ era o tema que devia inspirar as letras das músicas originais e segundo o regulamento o concurso destinava-se a jovens com idades entre os 16 e os 30 anos, e podiam concorrer intérpretes individuais ou grupos até sete elementos.

 

ÉVORA

Arcebispo associa-se «à dor e ao luto» pelas vítimas da tragédia na Estrada Nacional 255

 

O arcebispo de Évora expressou a sua consternação pela tragédia ocorrida na Estrada Nacional 255, entre Borba e Vila Viçosa, onde um aluimento de terras provocou três mortos.

Através das redes sociais, D. Francisco Senra Coelho associou-se “à dor e ao luto dos familiares e amigos das vítimas” e colocou-se “ao lado de todos os que trabalham afincadamente para minorar o sofrimento e resolver os problemas urgentes da difícil situação”.

O deslizamento de terras na Estrada Nacional 255, entre Borba e Vila Viçosa, ocorreu no dia 19 de novembro de 2019, numa segunda-feira, a meio da tarde.

O arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho apelou ainda à oração “pelas vítimas do trágico aluimento da Estrada Nacional 255” e pediu “a misericórdia de Deus” e a intercessão de “Nossa Senhora da Conceição, venerada no Solar da Padroeira em Vila Viçosa” para todos os envolvidos neste drama.

Para envolver a comunidade católica em oração pelas vítimas desta tragédia, D. Francisco Senra Coelho celebrou no dia 21 de Novembro, uma Eucaristia no Santuário do Senhor Jesus dos Aflitos, em Borba.

Com esta deslocação à Paróquia de Borba e ao Santuário do Senhor Jesus dos Aflitos, local de grande devoção por parte dos borbenses, o Prelado Eborense queria estar próximo da comunidade, neste momento de dor e luto, para confortar as famílias e rezar pelas vítimas daquele trágico acidente.

 

LISBOA

Na Assembleia da República: CDS-PP apresentou voto que condena «perseguição, intolerância e violência» contra cristãos

 

O Grupo Parlamentar do CDS-PP apresentou um “voto de condenação e pesar” pela “perseguição, intolerância e violência contra Cristãos” na Assembleia da República Portuguesa (AR).

O primeiro número do voto de condenação e pesar N.º 711/XIII/4.ª lembra “todas vítimas que perderam a vida em razão da sua crença”, por ataques extremistas violentos, “expressando a sua solidariedade para com estas comunidades de vários países”.

Pretende-se que os deputados portugueses condenem o “agravamento dos atos de violência religiosa” cometidos contra as comunidades cristãs, e “todas as formas de violência, perseguição, discriminação e intolerância” fundados nas convicções religiosas.

O voto de condenação e pesar informa que os cristãos são, “pelo sexto ano consecutivo, uma das confissões religiosas mais massacradas”, em termos comparados, e não esquece a perseguição à minoria muçulmana rohingya, que já mereceu, “por mais do que uma vez, o repúdio e condenação” dos parlamentares.

O Grupo Parlamentar do CDS-PP contextualiza que “mais de 4300 cristãos foram assassinados em razão da sua crença”, em 2018, segundo várias organizações não-governamentais, e que representa um aumento em relação “aos 3060 assassinatos registados em 2017”.

O Grupo Parlamentar do CDS-PP lembra que desde 2010, que “avisos sistemáticos” alertam para um “extermínio das comunidades cristãs” no Médio Oriente e o “desaparecimento de parte significativa do seu património religioso”.

 

PORTO

Bispo assinala cinquentenário do jornal «Voz Portucalense»

 

O bispo do Porto assinalou o cinquentenário jornal diocesano ‘Voz Portucalense’, afirmando que a publicação quer fazer a comunicação de uma Igreja que “proclama a fé, gera fraternidade, perdoa e é perdoada”.

“Ela sabe e todos sabemos que é imprescindível nesta tarefa de comunicar a vida da comunidade diocesana, expressão, ainda que pálida, da vida do Verbo. E a isto é que chamamos «pastoral»”, explica D. Manuel Linda.

Num artigo de opinião, publicado no primeiro número de 2019, o bispo do Porto realça que o “jornal é e será a voz da Voz”, isto é, “a voz do Verbo”, Jesus Cristo.

“Este Verbo revela e opera pela Palavra: prega as vias de acesso ao Pai, proclama que é possível uma fraternidade de irmãos, exemplifica em que consiste o perdão e a paz, pela mansidão da sua fala, aproxima os mais frágeis ou fragilizados, em favor de quem realiza obras de salvação”, desenvolveu o prelado.

O primeiro número do jornal ‘Voz Portucalense’ foi publicado 3 de janeiro de 1970 e surgiu da vontade do então bispo do Porto, D. António Ferreira Gomes, substituindo o semanário ‘A Voz do Pastor’, nas bancas desde fevereiro de 1921.

No primeiro número de 2019, o semanário da Diocese do Porto faz “memória” dos 50 anos de atividade na partilha de testemunhos de quem fez “a história e a missão de informar”, como o bispo emérito de Leiria-Fátima, D. Serafim Ferreira e Silva, diretor do jornal entre 1975 e 1980, entre outros diretores, redatores e colaboradores.

 

VISEU

Formação interdiocesana de catequistas sobre «novas adolescências»

 

Os Departamentos Diocesanos da Catequese de Aveiro, Coimbra, Lamego, Guarda e Viseu promoveram uma formação para os seus agentes pastorais sobre ‘novas adolescências’, em 19 de janeiro.

“A iniciativa teve como finalidade promover uma reflexão sobre os desafios que as novas adolescências colocam à catequese, nos dias de hoje”.

A formação contou com a colaboração do sociólogo e antropólogo Alfredo Teixeira, professor da Universidade Católica Portuguesa, e do padre Paulo Alves, da Diocese de Lamego.

 

VIANA DO CASTELO

Imagem de São Paulo VI na Catedral

recorda Papa responsável pela criação da diocese há 40 anos

 

O bispo de Viana do Castelo, na celebração de 28 de outubro, destacou a memória de São Paulo VI, Papa que foi responsável pela criação da diocese a 3 de novembro de 1977.

D. Anacleto Oliveira abençoou durante a Eucaristia uma imagem do Papa do Concílio Vaticano II (1897 – 1978), que passa assim a estar representado na Catedral de Viana do Castelo, e salientou que “Igreja que não agradece não é Igreja”, e defendeu que a melhor forma de “agradecer” as graças recebidas, ao longo destas quatro décadas, “é testemunhar no meio do mundo” a forma como Cristo é vivido neste território do Alto Minho.

A 3 de novembro de 1977, Paulo VI erigiu canonicamente a Diocese de Viana do Castelo através da Constituição Apostólica ‘Ad aptiorem populi Dei, separando-a da Arquidiocese de Braga.

Neste mesmo domingo, D. Anacleto encerrou também a Porta Santa da Gratidão que apontou simbolicamente também para este 40.º aniversário da Diocese de Viana do Castelo.

O encerramento das comemorações dos 40 anos da fundação da Diocese de Viana do Castelo coincidiu entre 28 de outubro e 04 de novembro com uma semana especial para a comunidade católica da região, que “contou com diversos momentos formativos e celebrativos”.

Na terça-feira, dia 30, centrados na figura de São Teotónio, primeiro santo português, os padres de Viana reuniram-se com D. Anacleto Oliveira na terra de onde aquele santo é originário, em Ganfei, Valença.

No dia 3 de novembro, data do 40.º aniversário da Diocese de Viana do Castelo, D. Anacleto presidiu a uma Missa evocativa também na Sé local, seguido de um jantar-conferência no Centro Pastoral Paulo VI, em Darque, que assinalou também a abertura solene do ano letivo no Instituto Católico de Viana do Castelo.

 

PORTO

D. Pio Alves distinguido como «Cidadão de Honra»

de Viana do Castelo

 

D. Pio Alves, bispo auxiliar do Porto, recebeu o título de ‘Cidadão de Honra de Viana do Castelo’, na cerimónia comemorativa dos 171 anos de elevação de Viana a cidade, no Teatro Municipal Sá de Miranda.

“Um gesto simpático da Câmara Municipal de Viana do Castelo. Estes gestos sociais não são fins: têm o seu lugar, a sua graça … e não estorvam”, disse D. Pio Alves.

Uma nota do município do Alto Minho informa que a distinção como ‘Cidadão de Honra de Viana do Castelo’ ao bispo português se deveu aos “notáveis serviços de cidadania e aos relevantes serviços prestados ao país”.

“Nos lugares e nos trabalhos que ainda me tocar viver, procurarei continuar a ser eu próprio, com a ajuda de todos e a graça de Deus”, referiu o bispo auxiliar do Porto, que agradeceu “a gentileza da autarquia”.

D. Pio Alves nasceu a 20 de abril de 1945, em Lanheses, no concelho de Viana do Castelo; foi ordenado presbítero a 15 de agosto de 1968, na Sé de Braga, arquidiocese onde foi vigário episcopal da Fé, presidente da comissão de Liturgia, diretor do Secretariado para a Comunicação Social, diretor do Arquivo e Biblioteca, Deão do Cabido e diretor do Tesouro-Museu da Sé de Braga.

O agora Papa emérito Bento XVI nomeou-o bispo auxiliar do Porto, em 2011, onde foi administrador apostólico, entre 2013 e 2014, até à entrada do bispo D. António Francisco dos Santos; a nível nacional, foi presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais, de 2011 a 2017.

Celebração Litúrgica, da qual D. Pio foi colaborador, manifesta a sua alegria por esta merecida distinção e associa-se a ela com júbilo.

 

LISBOA

No Batismo, «Senti no preciso momento em que a água me tocou na testa um novo eu» – Helena Lobato

 

Helena Lobato, da Paróquia da Cova da Piedade, afirma que a forma de “encarar a vida, de viver a vida, mudou” a partir do momento que recebeu o Sacramento do Batismo, já em idade adulta, na Páscoa de 2015, pelas mãos do Papa Francisco.

“Durante o Sacramento do Batismo, com outro discernimento, senti no preciso momento em que a água me tocou na testa, esta alegria. Uma coisa tão grande que nos preenche corpo, alma, é mesmo sensação de um novo eu”, disse a pintora portuguesa, ao recordar o dia em que foi baptizada, na Basílica de São Pedro, em Roma

Helena Lobato foi batizada na celebração pascal presidida pelo Papa Francisco, a 4 de abril de 2015, na Basílica de São Pedro; Foi a quinta pessoa a receber os sacramentos de iniciação cristã num grupo de 10 catecúmenos da Itália, Albânia, Quénia, Camboja e Portugal.

Quanto à vertente profissional, a pintora realça que a “arte não se muda” de um momento para o outro, mas à medida que se interioriza a mudança pessoal e “só este verão” de 2018 é que a sua “arte foi tocada pela água do Batismo”.

Helena Lobato recorda a “ousadia” de escrever ao Papa Francisco que “foi num ato de iluminação”, num momento “de aflição da vida” quando as respostas dos homens não “solucionavam os problemas”, e que a resposta “veio com um desafio” de receber o Sacramento do Batismo, em Roma, durante a vigília pascal.

“Nem sabia que os adultos poderiam ser batizados” e que tinha de fazer um “caminho catequético”, que percorreu na Paróquia sadina da Cova da Piedade.

 “Não havia nenhuma ligação à fé, a Jesus, que é o meu grande amigo hoje em dia. Não tinha fé, não estava inserida nem a nível familiar, nem nenhuma das minhas relações de amigos, inclusive de trabalho”, esclareceu a artista plástica,

 

SETÚBAL

Renovamento Carismático Católico reúne em assembleia diocesana

 

O bispo de Setúbal presidiu à Eucaristia da assembleia diocesana do Renovamento Carismático Católico (RCC), de 20 de janeiro, no Santuário de Cristo Rei, em Almada.

A Assembleia Diocesana do RCC na Diocese de Setúbal teve como tema o ‘Espírito Santo, força da nossa esperança’. O encontro realizou-se no Pavilhão do Rosário, no Santuário Nacional de Cristo Rei, em Almada.

Em 2017, o movimento católico celebrou 40 anos de presença em Portugal numa assembleia nacional que teve como tema ‘Cada um recebe o dom de manifestar o Espírito Santo para utilidade de todos’.

O Renovamento Carismático Católico nasceu há mais de 50 anos, durante um retiro de estudantes da Universidade Duquesne de Pittsburgh (Pensilvânia, EUA) e está presente em mais de 200 países, com mais de 120 milhões de membros.

 

AVEIRO

Igreja Metodista acolheu celebrações da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

 

Na Diocese de Aveiro a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2019 foi assinalada em templos da Igreja Metodista.

O Oitavário de Oração pela Unidade dos Cristãos na Diocese de Aveiro foi celebrado em igrejas Metodistas de Aveiro, no dia 24, na Rua Oudinot, e no dia 25, na de Aguada de Cima, no Concelho de Águeda.

‘Procurarás a justiça, nada além da justiça’ é o tema para o ano de 2019 desta semana especial que se realiza anualmente de 18 a 25 de janeiro, no hemisfério norte.

Os subsídios foram preparados por um grupo diferentes comunidades cristãs da Indonésia, país asiático de maioria muçulmana, e publicados pelo Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos (Santa Sé) e pela Comissão Fé e Constituição do Conselho Mundial de Igrejas.

Portugal também já preparou o material para a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos que foi vivida com o tema ‘Eis que estou à porta e bato’ (Apocalipse 3, 14-22), em 1996, e o encontro preparatório realizou-se em Lisboa.

 

PORTO

Diocese cria Rede de Acolhimento Familiar

 A Diocese do Porto lançou em 30 de dezembro findo uma Rede de Acolhimento Familiar, iniciativa do secretariado responsável pelo setor que conta com o apoio do bispo local, D. Manuel Linda. O serviço iniciou-se, simbolicamente, no domingo em que a Igreja Católica celebrava a Festa da Sagrada Família.

O bispo do Porto associou-se à iniciativa com uma mensagem intitulada “Uma rede… de ajuda e salvação”, sublinhando que esta Rede de Acolhimento Familiar foi implementada “graças a uma conjugação de esforços entre o Secretariado Diocesano da Pastoral Familiar, outros organismos voltados para a família e as Vigararias”.

D. Manuel Linda diz confiar muito neste serviço e pede “muita disponibilidade e colaboração” a todos os que “vierem a ser contactados para integrar esta rede”.

Esta instituição compromete-se a disponibilizar um serviço baseado no “diálogo com casais experientes e de sólida formação, sacerdotes e, sempre que necessário, com profissionais habilitados para os problemas identificados”.

Este serviço, como afirma D. Manuel Linda na sua mensagem, pretende responder ao pedido do Papa Francisco para que “a Igreja não se preocupe somente com a preparação dos noivos para o matrimónio, mas que acompanhe continuamente, muito de perto, as famílias já constituídas”.

 

BRAGA

Jornal «Diário do Minho» distinguido

com Medalha de Ouro do concelho

 

O jornal de inspiração cristã ‘Diário do Minho’ recebeu, da parte da autarquia de Braga, a Medalha de Mérito Municipal Grau Ouro, pelo contributo prestado à cidade e à região minhota.

Na sequência da cerimónia, que teve lugar no dia, 5 de dezembro, festa de S. Geraldo, padroeiro da cidade de Braga, o diretor de informação do ‘Diário do Minho’, Damião Pereira, realçou uma distinção que “aumenta a responsabilidade e o compromisso do jornal” perante as populações e comunidades que serve.

Durante a iniciativa promovida pela Câmara de Braga, no Altice Forum, foram ainda galardoadas outras 44 personalidades e instituições do concelho, com Medalhas de Mérito Municipal Grau Honra, Grau Ouro e Grau Prata, entre as quais o Centro Regional de Braga da Universidade Católica Portuguesa, e o padre João Torres, responsável pela Paróquia de Priscos.

O jornal ‘Diário do Minho’, publicado em suporte papel e também no digital, prepara-se para celebrar em 2019, no dia 15 de abril, o seu centenário de fundação. Há dois anos, o projeto foi relocalizado para uma nova sede, inaugurada e abençoada pelo arcebispo de Braga.

Na altura, D. Jorge Ortiga destacou uma publicação apostada em estar presente “onde está a pessoa humana com a sua história concreta para, numa atitude de construção positiva e de reflexão crítica dos acontecimentos, formar sem monopólios e informar de modo plural, sempre na fidelidade a um estatuto editorial que se norteia por valores cristãos”.

 

PORTO

Jornadas Pastorais, na Quinta de Enxomil, Miramar

 

No dia 29 de abril vai realizar-se, nas instalações da Quinta de Enxomil, a XXIII jornada de Questões Pastorais.

Este encontro de formação vai debruçar-se sobre a Participação dos leigos na pastoral da igreja, no 30º Aniversário da Ex. Apost. Christifideles laici, de S. João Paulo II.

Esta jornada começa às 10h30 da segunda feira, 29 de abril, e termina às 16h00, dando aos participantes da possibilidade de poderem atender ainda nesse dia alguma atividade pastoral na paróquia.

Do programa destacamos:

Às 11h00 – Os jovens na Igreja: do Sínodo para a vida, passando pelas Jornadas, por D. António Augusto, Bispo Auxiliar do Porto;

e às 14h30, Secularidade e responsabilidade na organização da Igreja, por D. Juan Ignacio Arrieta, Bispo Titular de Civitate, Secretário do Pontifício Conselho para os Textos Legislativos.

O almoço é servido nas instalações desta casa de atividades formativas que proporciona aos participantes, além de um convívio sacerdotal saudável e formativo, num grande espaço verde envolvente.

A julgar pelas jornadas dos anos anteriores – a este ano é a 23.ª terceira – oferecem uma contribuição valiosa para a formação permanente do sacerdote e um convívio de padres de grande arte das dioceses do país.

Não sendo requerida a inscrição prévia, é conveniente chegar à Quinta de Enxomil às 10h15, para fazer marcar presença e receber a documentação necessária para este encontro formativo.

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial