aCONTECIMENTOS eclesiais

DO PAÍS

 

 

CONFERÊNCIA EPISCOPAL PORTUGUESA

Bispos debatem documento dedicado ao matrimónio e à família

 

Na sua assembleia plenária em Fátima, de 12 a 15 de novembro, os Bispos portugueses ultimaram a redação de uma Carta pastoral que pretende exprimir «uma atenção particular a todas as situações» 

A Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) debateu neste encontro um “documento sobre a preparação para o casamento e o acompanhamento das famílias”.

Sobre este novo documento dedicado ao matrimónio e às famílias, que está a ser preparado, o secretário da CEP salientou na última assembleia plenária dos bispos portugueses, o empenho da Igreja Católica em “conjugar toda a preparação que já existe para o matrimónio, o acompanhamento, também depois do matrimónio, da celebração, os primeiros anos em particular”.

 

BRAGA

Abertura oficial do Centro Pastoral Universitário

 

A Pastoral Universitária da Arquidiocese de Braga realizou no dia 31 de outubro, a Abertura Oficial do Centro Pastoral Universitário (CPU), com a apresentação de novos espaços de acolhimento à comunidade universitária. Foi uma cerimónia formal que contou com a presença de vários atores centrais que contribuíram para a concretização da missão desta instituição.

O CPU é um espaço que tem procurado proporcionar aos universitários oportunidades de crescimento pessoal alternativas ao ambiente académico, a partir das quais os universitários podem fazer um caminho de aprofundamento da sua vivência cristã, do mundo à sua volta e do seu papel na sociedade em que vivem. São várias as respostas que este centro universitário oferece à comunidade académica. Para além da residência universitária, que acolhe 35 estudantes, o CPU é também um espaço de encontro para o convívio, o estudo, para a reflexão e oração nas eucaristias e no grupo de preparação para os Sacramentos, para os encontros de debate sobre temas de interesse atual na vida de um cristão, para encontros dos diversos grupos de universitários que se juntam neste espaço para, em conjunto, construir ações que os tornem verdadeiros instrumentos de Cristo. 

Para tal, os universitários dispõem de vários espaços que estão ao seu serviço: a residência, com copa e refeitório, as salas de estudo, salas de trabalho e de encontro dos grupos, salas de convívio, uma capela e um auditório, denominado D. Jorge Ortiga, benfeitor desta instituição.

Este é um projeto que a Pastoral Universitária abraçou com entusiasmo há cerca de 3 anos e que permitiu uma valorização da sua intervenção junto da comunidade académica. Não só devido à sua localização privilegiada, de porta aberta para o complexo da Universidade do Minho, mas sobretudo porque se tornou uma verdadeira proposta alternativa para muitos jovens universitários que por aqui passam e aqui encontram respostas diferenciadas e alternativas ao saber académico. 

O CPU é, assim, um veículo de comunicação entre a Igreja e a Universidade, entre fé e cultura, através do qual a comunidade académica tem a oportunidade de se aproximar do Evangelho, da vida de Cristo, e aqui encontrar ensinamentos para a vida profissional e pessoal.

Para tal, a Pastoral Universitária apresenta um conjunto de atividades que proporciona este diálogo e este convívio salutar e para as quais toda a comunidade universitária é convidada a participar e a envolver-se. 

O ano pastoral já se iniciou e a comunidade académica está convidada a participar em diversas atividades, nomeadamente, a rezar em conjunto na Missa dos Universitários todas as 3ª feiras, pelas 19h, na Capela do CPU; a fazer a preparação para os Sacramentos em encontros de formação semanais; a participar em momentos de convívio, como a Receção ao Residente, a comemoração do S. Martinho, a Ceia de Natal; a fazer parte de grupos de voluntariado local, nomeadamente na Casa de Saúdo do Bom Jesus, no Projeto Homem, no Instituto Monsenhor Airosa e no Projeto Mais Horizonte (apoio ao estudo e acompanhamento pessoal de adolescentes com um percurso escolar de insucesso, realizado no CPU por universitários voluntários); a preparar-se em encontros semanais para uma experiência de missão de curta duração em países africanos, com o Projeto Sementes; a parar em encontros espirituais preparados para diversos grupos ao longo do ano; a participar em momentos de debate e em tertúlias mensais de reflexão sobre questões de interesse atual e de formação de consciências.

A missão da Pastoral Universitária é ousada para os tempos atuais, sobretudo porque se move em ambientes secularizados, onde se promove essencialmente uma cultura do saber fazer e do sucesso profissional. Mas é também um desafio, porque é uma proposta radical para todos aqueles que não se querem deixar aprisionar num ambiente académico estereotipado em valores que precisam de ser contrabalançados com a dimensão humana e espiritual proposta pela Pastoral no seu Centro Universitário.

O animador diocesano deste Departamento é o Padre Doutor Eduardo Jorge Gomes da Costa Duque.

 

PORTO

Bispo afirma que Seminário Menor deve dotar alunos de «bases culturais e relacionais, espírito de liderança, doação social»

 

O bispo do Porto afirma que o futuro do Seminário Menor da diocese passa pela “capacidade de o transformar em grande escola de preparação dos futuros líderes”, numa mensagem pelos 50 anos do Seminário do Bom Pastor, em Ermesinde.

Na mensagem publicada no sítio online da Diocese do Porto, D. Manuel Linda explica que o «projeto pedagógico» do Seminário Menor tem de se “adaptar às novas exigências” e “fermentar as personalidades dos alunos na fé e na adesão à Igreja”.

“Dotá-los das mais sólidas bases culturais e relacionais, incutir-lhes o espírito de liderança, capacitá-los para a doação social”, acrescentou.

Segundo D. Manuel Linda é nesta “dimensão de excelência” que o Seminário do Bom Pastor “tem futuro” e cita o agora o Papa emérito Bento XVI, numa intervenção no Seminário Maior de Roma: “A Igreja renova-se sempre. A Igreja renasce sempre. O futuro é nosso. O futuro é de Deus”.

“Apagamos as velas das bodas de ouro do Seminário do Bom Pastor. Será que, com elas, também se «apaga» o próprio Seminário?”, começa por questionar na sua mensagem.

O bispo do Porto realça ainda que “nada mais falso” do que vaticinar o encerramento da casa de formação “olhando para o quantitativo dos alunos atuais”.

A comemoração do cinquentenário do Seminário do Bom Pastor, em Ermesinde, foi celebrada ao longo de uma semana e o programa temático teve como objetivo a “gratidão” e a “alegria do encontro” com o mote ‘A alegria do reencontro’.

No seu sítio online, o seminário menor informa que é “um lugar vocacional da Diocese do Porto” que acompanha e forma “os jovens que se identificam com o itinerário vocacional que o dom do Espírito Santo neles iniciou para serem seus ministros no sacerdócio”

 

ÉVORA

Arcebispo convida diocese para Jornada de Liturgia, Catequese e Apostolado dos Leigos

 

O arcebispo de Évora convidou toda a diocese a participar na jornada de formação sobre Liturgia, Catequese e Apostolado dos Leigos, que se vai realizar a 24 de novembro, nos Salesianos.

Numa mensagem vídeo publicada nas redes sociais, D. Francisco Senra Coelho realça que a diocese vai oferecer a possibilidade de cada pessoa “aprofundar a vivência cristã” em “três perspetivas” na jornada programada para o último sábado de novembro.

Sobre a liturgia destacou que é “a beleza do encontro com o Senhor, a celebração da fé”, e é uma oportunidade para todos que “sentem esta convocatória na dimensão litúrgica” e querem “aprofundar a sua relação comunitária”.

A segunda dimensão do encontro, que vai ter lugar no Salesianos de Évora, é a dimensão da Catequese que faz chegar aos irmãos “a beleza da palavra de Deus aprofundada com critério e com didática”, nas diversas fases da sua vida, desde a infância, a adolescência, a juventude e já em adultos.

“A catequese é um itinerário, um caminho que leva ao encontro com Jesus Cristo”, afirma D. Francisco Senra Coelho.

O Apostolado dos Leigos, a terceira perspetiva do encontro no dia 24 de novembro, é segundo o arcebispo, “a dinâmica de ser cristão adulto”, no dia-a-dia, enquanto profissional, na cidadania, “na sociedade que é dado abraçar todos os dias”.

Os leigos são chamados a serem testemunha “do Evangelho e da Doutrina Social da Igreja” nas suas realidades.

“Venha estar em diocese neste grande espaço”, conclui o arcebispo de Évora no convite à diocese para a jornada sobre Liturgia, Catequese e Apostolado dos Leigos. (Respigado de Ecclesia)

 

BRAGANÇA-MIRANDA

D. José Cordeiro nomeado delegado para os congressos eucarísticos internacionais

 

O bispo de Bragança-Miranda, D. José Cordeiro, foi nomeado pela Conferência Episcopal Portuguesa como delegado para os Congressos Eucarísticos internacionais.

A diocese transmontana avança que o bispo de 51 anos acolheu esta missão “com alegre humildade”.

José Cordeiro será o representante da Igreja Católica em Portugal no próximo congresso eucarístico internacional, que vai ter lugar na Hungria, entre 13 e 20 de setembro de 2020.

Nos últimos dias, o bispo de Bragança-Miranda, que preside à Comissão Episcopal de Liturgia e Espiritualidade, participou em Roma na Assembleia Plenária do Pontifício Comité para os Congressos Eucarísticos Internacionais.

Nesta iniciativa, que congregou cerca de uma centena de bispos e delegados de 75 países dos vários continentes, D. José Cordeiro apresentou uma síntese do 4.º congresso eucarístico nacional, que decorreu no Santuário de Fátima em 2016, dedicado ao tema ‘Viver a Eucaristia fonte da Misericórdia’.

Realçou a relevância do congresso eucarístico ter sido realizado no Santuário de Fátima, “coração espiritual de Portugal”, e o contexto especial em que se inseriu, das comemorações do Centenário das Aparições.

Frisou também a “dimensão eucarística intrínseca” da Mensagem de Fátima, não só pelo legado deixado por aqueles que testemunharam as aparições, Lúcia, Francisco e Jacinta, mas porque a Eucaristia é sempre “o ponto culminante de todas as peregrinações”.

 

 

LISBOA

Catequese: «Youcat Bible Day» leva adolescentes em missão para as ruas de Lisboa

 

O Setor da Catequese do Patriarcado de Lisboa dinamizou o Encontro Diocesano de Adolescentes, com o tema ‘Youcat Bible Day’, a partir das 09h00 de um sábado, 10 de novembro, na baixa de Lisboa.

“Ao longo do dia, os adolescentes foram convidados a refletir sobre a sua experiência de vida à luz da Palavra de Deus (catequeses), a anunciar a Palavra (missão de rua), a fazer festa (Youcat party) e a celebrar a fé (Eucaristia)”.

O Setor da Catequese do Patriarcado de Lisboa explica que as atividades do encontro «Youcat Bible Day» são inspiradas no documento preparatório do último Sínodo dos Bispos, sobre ‘os jovens, a fé e o discernimento vocacional’, e utilizam passagens da ‘Bíblia Jovem YOUCAT’.

O programa/ acolhimento começou às 09h00 na igreja da baixa de Lisboa onde teve lugar a catequese na qual cada grupo se inscreveu, duas horas depois é o tempo de missão na rua, às 13h00 houve uma concentração no Terreiro do Paço para o ‘Youcat Party’ e o Encontro Diocesano de Adolescentes do patriarcado terminou às 17h30, depois da Missa na igreja de S. Domingos.

Há também um programa para a vivência do Advento e do Natal. Desde o primeiro domingo do Advento à festa do Domingo do Batismo do Senhor o convite é “à interioridade, ao silêncio, à escuta e comunhão com Deus através da vivência da oração”, e existem subsídios para essa caminhada em família, para os catequisandos e um guião para os catequistas.

 

ESCUTISMO CATÓLICO PORTUGUÊS:

Capela de Nossa Senhora de Fátima nomeada para Prémio Europeu de Arquitectura Contemporânea

 

O Corpo Nacional de Escutas (CNE) noticiou que a Capela de Nossa Senhora de Fátima, em Idanha-a-Nova, do atelier Plano Humano Arquitectos, está nomeada para o Prémio Europeu de Arquitectura Contemporânea – Mies van der Rohe Award 2019.

O CNE informou que a obra da Capela de Nossa Senhora de Fátima vai “integrar o conjunto de nomeados pelas diversas organizações profissionais, peritos independentes, e instituições dos países europeus” para a seleção de “uma shortlist de 40 obras que será divulgada em janeiro de 2019”.

Essas obras vão ser “obrigatoriamente visitadas pelo Júri”, para eleger os cinco finalistas, que vão apresentar os seus trabalhos e estar presentes na cerimónia de entrega de prémios, em maio de 2019, em Barcelona.

A Capela de Nossa Senhora de Fátima, no Campo Nacional de Atividades Escutistas de Idanha-a-Nova, foi inaugurada no 23.º acampamento nacional – ACANAC – com mais de 22 mil escuteiros, em 2017.

Segundo o atelier Plano Humano Arquitectos o espaço é constituído por uma estrutura de madeira e zinco que “confere um aspeto exterior simples e protetor”, um ambiente “confortável e acolhedor no interior”; tem um comprimento total de 12 metros e uma altura máxima de 9 metros; a estrutura de 12 vigas é uma alusão aos Apóstolos de Jesus Cristo.

“O altar, a fonte e o caminho de percurso da água, são elementos fixos do edifício, e são constituídos em pedra, material natural e nobre; A cátedra, o ambão, o suporte do círio, a base da imagem de Nossa Senhora de Fátima e os bancos da assembleia são móveis, feitos em madeira maciça”, desenvolve.

 

BRAGA

História da Igreja: Recordar a obra e a figura de D. António Barroso

 

A Postulação da Causa de Canonização de D. António Barroso e a Câmara Municipal de Barcelos organizaram, no dia 10 de novembro, uma sessão cultural sobre a obra e figura deste bispo que faleceu há cem anos.

A iniciativa realizou-se no auditório do edifício dos Paços do Concelho, e contou com intervenções de António Matos Ferreira que falou sobre «D. António Barroso: O cidadão, o político e o bispo»; Amadeu Gomes de Araújo abordou o tema «D. António Barroso, Bispo do Padroado» e Victor Pinho refletiu sobre «D. António Barroso e Dr. Martins Lima: encontros e desencontros de dois barcelenses ilustres».

Nas comemorações do centenário deste Bispo Português a caminho dos altares integrou-se também um programa musical, no Conservatório de Música de Barcelos.

Foi organizada também uma exposição dos Institutos Missionários «Ad Gentes», que ficou patente no Salão Nobre da Câmara Municipal de Barcelos.

 

LEIRIA-FÁTIMA

Fátima: Santuário é cada vez mais um destino de turismo religioso para os cristãos da Ásia

 

A Associação Empresarial Ourém-Fátima (ACISO) está a reforçar a promoção do Santuário de Fátima como destino religioso junto do continente asiático, mais concretamente no Vietname e na Coreia do Sul.

Aquele organismo destaca o número crescente de peregrinos provenientes daqueles países, que nos últimos anos tem visitado a Cova da Iria.

Só entre o período de 2016 e 2017, “o Vietname subiu 9 posições no ranking que contabiliza o número de peregrinos de cada país que visitaram o Santuário”, situando-se agora entre os “10 primeiros” dessa tabela.

No que diz respeito à Coreia do Sul, trata-se de uma nação “que se tem destacado cada vez mais, quer pelos visitantes do seu país a Fátima e zona envolvente, quer pelo número de católicos existentes no país”, que se cifra atualmente em “5,7 milhões de fiéis”, cerca de “10 por cento da sua população”.

Nos últimos anos, a Coreia do Sul tem-se apresentado “consistentemente” entre os cinco países com mais noites registadas em Fátima, adianta a mesma fonte.

A Associação Empresarial Ourém-Fátima promoveu no início deste mês (entre 1 e 6 de novembro) um evento para operadores turísticos do Vietname, com cerca de 10 operadores provenientes das regiões de Hanói e Saigão.

O circuito turístico desta iniciativa incluiu as cidades de Fátima, Ourém, Tomar, Batalha, Alcobaça, Óbidos, Lisboa e Tróia.

A ACISO prevê ainda para o final de 2018 a organização de vários workshops de turismo religioso no Vietname.

O presidente daquele organismo, Domingos Neves, destaca a importância de “solidificar a relação com este destino e criar oportunidades e parcerias entre os operadores turísticos locais e os associados da ACISO”.

 

LISBOA

Sé Patriarcal coloca à veneração relíquias dos santos

 

A Sé Patriarcal de Lisboa expôs para veneração relíquias de diversos santos, como São Francisco Xavier, São Vicente, São Lourenço ou Santo António, quando a Igreja Católica celebra a Solenidade de Todos os Santos.

“Como já vem sendo hábito na Catedral de Lisboa, no dia de Todos os Santos, as relíquias que se encontram na Sé ficam expostas para veneração dos fiéis, desde o final da celebração eucarística das 11h30 até às 18 horas, altura em que são recolhidas após o Canto de Vésperas da Solenidade de Todos-os-Santos, seguindo-se, às 19 horas, a Eucaristia”.

No seu sítio online o Patriarcado de Lisboa divulga também quais são os santos cujas relíquias vão poder ser veneradas pelos fiéis que passarem na Sé:

– São Gregório Nazianzo, bispo e doutor da Igreja; + 389 (morte); 2 janeiro (festa litúrgica)

– Santo Amaro, abade; + cerca séc. VI; 15 janeiro

– São Crispim, bispo; + 467; 17 janeiro

– São Vicente, diácono e mártir; + 304; 22 janeiro

– São Valério, bispo; + 305-315; 22 janeiro

– Santo António, presbítero e doutor da Igreja; + 1231; 13 junho

– Santo Aleixo, mendicante; + séc. IV; 17 julho

– São Lourenço, diácono e mártir; + 258; 10 agosto

– São Nuno de Santa Maria, religioso; + 1431; 6 novembro

– Beata Maria Clara do Menino Jesus, religiosa; + 1899; 1 dezembro

– São Francisco Xavier, presbítero; + 1552; 3 dezembro

 

 

ÉVORA

«Se for irrelevante é desnecessária a fé cristã», afirma arcebispo da arquidiocese

 

 O arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho, afirmou em 9 de novembro que se a fé for “irrelevante”, torna-se “desnecessária”.

“A nossa fé não é uma questão ideológica, é uma vida, um modo de ser pessoa. Interessa-nos descobrir vidas fascinadas, que tem Cristo como horizonte, que olham para ele como referência quando têm de tomar decisões na vida, pessoas que resolvem cristãmente as dificuldades”, afirmou o arcebispo, a propósito do encontro «Évora Talks», este ano com o tema «Por onde tens andado?»

A iniciativa, numa organização conjunta das Equipas Jovens de Nossa Senhora, das Equipas de Casais de Nossa Senhora, da Pastoral Juvenil e da Pastoral Universitária da Diocese de Évora, deu voz a seis experiências de vida.

“Nada melhor do que ir à vida concreta de cada pessoa e perguntar-lhes: «O que tens feito?»”, reconhece D. Francisco Senra Coelho.

“Se for irrelevante é desnecessária a fé cristã”, acrescentou o responsável, convencido de que iniciativas semelhantes mostram “referências, testemunhos” e tornam-se “importantes” para ajudar a perceber que ser cristão é uma “forma de vida”.

Convidada a proferir uma conferência, a irmã Maria de Fátima Magalhães, da Companhia de Santa Teresa Jesus, partilhou o “maior raspanete da sua vida”, dado pela Santa Madre Teresa de Calcutá.

“O maior raspanete da sua vida, recorda, foi da Madre Teresa de Calcutá: “Um pobre chegou a pedir comida, porque tinha fome. A Madre Teresa tinha sempre uma mesa com comida. Eu coloquei alguns num saco, não estive a ver se era carne, peixe, ou fruta. A madre Teresa disse-me «Tu davas isto a Jesus? Em cada pobre está Jesus, e a Jesus dá-se o melhor». Voltou comigo à cozinha e em vez de duas sandes de carne, pôs uma de carne e outra de peixe, pôs dois bolos e duas peças de fruta, em vez de sumos, pôs um sumo e três garrafas de água”.

Em Elvas, desenrola-se o programa pastoral «Prevenir e Remediar», com 100 voluntários e várias valências, o trabalho que a cada noite leva esta irmã à rua para “dar de comer aos pobres ou conversar com prostitutas” ou quando entra nas prisões para ali “encontrar Deus”.

“Tenho encontrado verdadeiros místicos e tenho descoberto que Deus não desiste de ninguém”, reforça a religiosa.

Também Mariana e Filipe Pinto, casados há 15 anos, levaram ao «Évora Talks» a sua experiência de casal, num caminho “com amor e desafios, com doenças e crises de casal”.

“Vivemos no hoje com a realidade que temos. E isso é graça sempre, mesmo os momentos de fragilidade e sufoco, é muito bonito e interpelador o caminho que queremos fazer juntos”, declarou o marido, Filipe Pinto.

Responsável pelo grupo «Ao 3º Dia», que integra pessoas com doença grave ou crónica, observa a importância de ver as opções tomadas diariamente como decisões em “direção a Deus”.

É preciso “Ver as coisas não como um obstáculo mas como um desafio a ir mais fundo, a crescer com uma situação que surge e não se escolhe, a aceitar e crescer como família”.

A experiência de missão foi trazida à noite «O que tens feito» por Madalena Perloiro, que esteve em São Tomé e Príncipe um ano pela associação Leigos para o Desenvolvimento. Quando terminou a licenciatura, percebeu que “não tinha pressa para continuar os estudos”.

“Andei por África a missionar com os leigos com o desejo de servir e de estar, de uma maneira simples, a servir uma comunidade entre pessoas que não conhecia. Sai da minha zona de conforto e procurei viver mais ao jeito de Jesus”.

O responsável pela Pastoral Juvenil na Arquidiocese de Évora, o padre Fernando Lopes, afirmou que “a fé sente-se na fé”.

“É dessa forma que pretendemos que quem escuta, perceba que pode também estar a dar testemunho”, e é desta forma que “os jovens devem levar Jesus a outros jovens”.

 

VIANA DO CASTELO

Imagem de São Paulo VI na Catedral recorda Papa responsável pela criação da diocese há 40 anos

 

O bispo de Viana do Castelo, na celebração de 28 de outubro, destacou a memória de São Paulo VI, Papa que foi responsável pela criação da diocese a 3 de novembro de 1977.

D. Anacleto Oliveira abençoou durante a Eucaristia uma imagem do Papa italiano (1897 – 1978), que passa assim a estar representado na Catedral de Viana do Castelo.

Num dia de festa e de ação de graças, D. Anacleto salientou que “Igreja que não agradece não é Igreja”, e defendeu que a melhor forma de “agradecer” as graças recebidas, ao longo destas quatro décadas, “é testemunhar no meio do mundo” a forma como Cristo é vivido neste território do Alto Minho.

“Anunciemos este amor no meio do mundo através das nossas palavras, mas sobretudo através da nossa própria vida, pois o amor anuncia-se melhor quando é vivido”.

A 3 de novembro de 1977, Paulo VI erigiu canonicamente a Diocese de Viana do Castelo através da Constituição Apostólica ‘Ad aptiorem populi Dei’, separando-a da Arquidiocese de Braga.

Neste mesmo domingo, D. Anacleto encerrou também a Porta Santa da Gratidão que apontou simbolicamente também para este 40.º aniversário da Diocese de Viana do Castelo.

“Agradecer o amor que de Deus recebemos leva-nos a amarmo-nos uns aos outros, pois, quando nos unimos verdadeiramente a Deus, unimo-nos aos outros. Amando a Deus recebemos força para amar os outros”, frisou o responsável católico.

O encerramento das comemorações dos 40 anos da fundação da Diocese de Viana do Castelo coincidiu entre 28 de outubro e 04 de novembro com uma semana especial para a comunidade católica da região, que “contou com diversos momentos formativos e celebrativos”.

Na terça-feira, dia 30, tendo presente que a diocese minhota se encontra a viver um Ano Pastoral dedicado à Evangelização, e centrado na figura de São Teotónio, primeiro santo português, os padres de Viana reuniram-se com D. Anacleto Oliveira na terra de onde aquele santo é originário, em Ganfei, Valença.

No dia 3 de novembro, data do 40.º aniversário da Diocese de Viana do Castelo, D. Anacleto presidiu a uma Missa evocativa também na Sé local.

O programa de aniversário foi completado com um jantar-conferência no Centro Pastoral Paulo VI, em Darque, dada pelo chefe Luís Lavrador, da Seleção Portuguesa de Futebol), que assinalou também a abertura solene do ano letivo no Instituto Católico de Viana do Castelo.

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial